Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Serviços > Serviço Social – Uso e/ou Abuso

Serviço Social – Uso e/ou Abuso

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Serviços
Visitas: 2
Comentários: 1
Serviço Social – Uso e/ou Abuso

Na intervenção psicossocial, tudo começa com uma primeira entrevista em que uma pessoa aparece com uma situação que a aflige e impede a sua vida de prosseguir de uma forma habitual e normalmente coordenada. Esta primeira entrevista tem como objetivo principal compreender perfeitamente a situação-problema que aflige o utente, bem como a situação de vida a que esta está inerente.

Quais serão os anseios do utente? Que poderá este esperar do profissional que está na sua frente? E do serviço em geral? Naturalmente a pessoa-cliente poderá esperar que o profissional o atenda em ambiente reservado, sem os olhos curiosos de terceiros, que o escute atentamente e procure compreender em profundidade o “seu problema”, que o informe de uma forma clara, com uma linguagem que possa entender, independentemente da sua origem, situação económica ou formação académica, que o oriente no desenvolvimento de um plano que venha a solucionar aquilo que o apoquenta, e que o apoie no acesso aos recursos informais, formais e societais, de tal forma que possa sentir-se capaz de alcançar a resolução da sua situação problema.

Nesta primeira fase dá-se uma exploração do problema para que se possa alcançar uma compreensão tão clara quanto possível, apesar da subjetividade que lhe está inerente em virtude da situação de vida em que está envolvido ser única para a pessoa que o apresenta, mas poder ser apreciado de formas muito diferentes se for vivenciado por outras pessoas e noutras circunstancias.

É de absoluta necessidade verificar com alguma calma os contornos pessoais e sociais de toda a situação, de forma a poder chegar a conclusões claras sobre o problema como também sobre a personalidade da pessoa que o apresenta; só assim será possível elaborar um plano de resolução.

Em primeiro lugar, a preocupação do técnico está voltada para a pessoa que se assume como utente, no entanto, esta não é um elemento único na família, na sociedade e no mundo, esta pessoa, está envolvida numa porção de relacionamentos, uns de natureza profissional, outros de natureza social e ainda outros de natureza familiar.

A maioria das situações-problema que levam uma pessoa comum a dirigir-se a um técnico de intervenção psicossocial estão imbuídas de problemas familiares, ou noutros casos envolvem as famílias das pessoas em causa.

O técnico procurará necessariamente intervir dentro das suas possibilidades, não perdendo de vista a situação colocada pelo utente em causa mas procurando vislumbrar se há dependentes em algum risco. Neste contexto, nem sempre os técnicos são apreciados, eles são a cara de um inimigo (o estado) a quem se recorre tantas vezes indevidamente no intuito de alcançar vantagens quando tantas vezes os reais problemas estão muito para além daquilo que é apresentado. Aqui cabe ao técnico ser perspicaz ao ponto de diferenciar entre as situações reais e as farsas, coisa que nem sempre é fácil, uma vez que vivemos num mundo de artistas que facilmente orientam planos para conseguir os seus objetivos.


Ana Sebastião

Título: Serviço Social – Uso e/ou Abuso

Autor: Ana Sebastião (todos os textos)

Visitas: 2

614 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    30-05-2014 às 00:52:53

    Verdade tudo que escreveste. Às vezes, o abuso é surreal, e nem sabe-se como agir na hora. Muito bom seu texto!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - Serviço Social – Uso e/ou Abuso

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O que é uma Open House?

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Imóveis Venda
O que é uma Open House?\"Rua
Este é um tema que vem pôr muito a lindo o trabalho de alguns mediadores imobiliários e do seu trabalho.

Quando temos um imóvel para vender, muitos são os métodos a utilizar e os meios que nos levam até eles para termos o nosso objetivo cumprido – A venda da Casa.
Quando entregamos o nosso imóvel para que uma mediadora o comercialize, alguns aspetos têm de ser tidos em conta, como a legalidade da empresa e quem será a pessoa responsável pela divulgação da sua casa, mas a ansia de vermos o negócio concretizado é tanta, que muitas vezes nos escapa a forma como fazem a referida divulgação e publicidade do imóvel.

Entre anúncios na internet e as conhecidas folhas nas montras dos estabelecimentos autorizados, muitas mediadoras optam por fazer uma ação que está agora muito em voga que é uma Open House. Mas afinal, o que é isto de nome estrangeiro que tanto se vê pelas ruas e em folhetos de anúncio?

Ora bem, a designação em Português é muito simples – Casa Aberta. E na realidade, uma Open House é isso mesmo. Abrir uma Casa para que todos a possam ver. NO entanto, requerem-se alguns aspetos que as mediadoras normalmente preveem, mas que é fundamental que o proprietário do imóvel também tenha consciência e conhecimento.

Por norma as imobiliárias só fazem este tipo de intervenção e ação em imóveis que têm como exclusivo, isto é, quando é uma só determinada mediadora, a autorizada a poder comercializar o imóvel.

Em segundo lugar, este tipo de ação de destaque requer à mediadora custos com tempo, recursos humanos e financeiros.
A mediadora começa por marcar um dia próprio que por norma é datado para um feriado ou fim de semana. Faz então publicidade local através de folhetos e flyres anunciando a Open House, o dia e a hora, tal como o local. Muito provavelmente serão tiradas fotografias ao seu imóvel.

Através de redes sociais também poderão ser divulgadas as ações.
No dia da Open House, o local será indicado com publicidade da sua casa e da imobiliária e começarão a aparecer visitas ao imóvel.

Sugiro que não tenha mobiliário e muito menos valores em casa. O ideal será o imóvel estar desocupado de todos e quaisquer bens, por uma questão de segurança, mas também porque as áreas parecerão maiores e isso com toda a certeza ajuda à venda.

A imobiliária será responsável pela limpeza e trato do imóvel, pelo que se ocorrerem danos, serão eles os responsáveis.
Neste tipo de ações, é normal que a concorrência das imobiliárias apareça e faça parcerias que para si só trará vantagens.

Uma Open House pode não ser uma ação de destaque em Portugal, mas por exemplo nos Estados Unidos, é o normal e mais agradável. Os clientes não se sentem pressionados como numa visita normal e os negócios concretizam-se com muito mais rapidez e naturalidade.

Pesquisar mais textos:

Carla Horta

Título:O que é uma Open House?

Autor:Carla Horta(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios