Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Serviços > Serviços para todo o Serviço

Serviços para todo o Serviço

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Serviços
Comentários: 1
Serviços para todo o Serviço

Que estamos todos cada vez menos jovens, todos sabemos, mas será que temos de facto consciência que muitos de nós dependeremos um dia mais tarde dos outros? Vivemos num corrupio sobrenatural e nem damos conta da velhice que se aproxima a cada minuto que passa. Lá paramos de vez em quando e pensamos na reforma, na altura em que vamos finalmente descansar e para os mais filosóficos, a imaginação pode levar ao pensamento da forma como podemos morrer, mas pensamos de facto na fase intermédia à reforma merecida e à nossa própria morte? Imaginamo-nos a depender de outros para as coisas mais básicas que hoje, plenos da nossa vitalidade e juventude, fazemos instintivamente? Pois bem, existem milhares de idosos por esse mundo fora nessa mesma situação e nós a maior parte das vezes nem damos por eles.

Quem percorre as ruas de Lisboa, Porto ou Coimbra (entre outras cidades Portuguesas), com alguma certeza já se apercebeu de uns serviços recentes, bastante úteis e gratuitos. São os chamados Serviços para todo o Serviço.

Por norma, associados a coletividades e associações, ou até mesmo subsidiados pelas Juntas de Freguesia, estes serviços ajudam uma vasta população, normalmente mais idosa e que por força do cansaço e limitações, já não conseguem enfrentar uma subida a um banco ou ao apertar de um parafuso.

Com uma taxa de população cada vez mais envelhecida, muitos são os casos em que os nossos velhotes se fecham em casa rodeados de necessidades que aos nossos olhos, são meras trocas de lâmpadas, mas que para eles são verdadeiras epopeias.

Assim, e na vontade de ver a torneira parar de pingar ou de pendurar a persiana que caiu, os mais incapacitados contactam a organização coordenadora e num instante os “nossos velhotes” são auxiliados.

São prestados serviços básicos de pequenos arranjos em casa para que o conforto seja mantido nos lares dos idosos.

Os serviços costumam ser gratuitos, mas se pagos, o seu valor é o que o idoso puder dar.

Para usufruir deste serviço, o idoso tem de estar normalmente associado à coletividade ou inscrever-se na Junta de Freguesia onde reside. Estes locais, têm normalmente conhecimento das dificuldades dos idosos, quer a nível financeiro, quer a nível de saúde, visto muitas vezes serem assegurados por estas entidades, o transporte para tratamentos nos Centros de Saúde.

Ajudar não custa nada, mesmo que seja ajudar o velhote a atravessar a estrada, mas é necessário mais do que isso. Estes serviços são prestados por homens trabalhadores que obviamente além do arranjo, trocam as tais palavrinhas tão valiosas para quem sabe mais que uma biblioteca. Os idosos!


Carla Horta

Título: Serviços para todo o Serviço

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 0

601 

Imagem por: Marco Toet

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    31-05-2014 às 03:38:40

    Não sabia que existia esse tipo de serviço, parece ser bem útil para as pessoas. Muito bom!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - Serviços para todo o Serviço

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Pulp Fiction: 20 anos depois

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Arte
Pulp Fiction: 20 anos depois\"Rua
Faz hoje 20 anos que estreou um dos mais importantes ícones cinematográficos americanos.

Pulp Fiction é um marco do cinema, que atirou para a ribalta Quentin Tarantino e as suas ideias controversas (ainda poucos tinham visto o brilhante “Cães Danados”).

Repleto de referências ao cinema dos anos 70 e com uma escolha de casting excepcional, Pulp Fiction conquistou o público com um discurso incisivo (os monólogos bíblicos de Samuel L. Jackson são um exemplo disso), uma violência propositadamente mordaz e uma não linearidade na sucessão dos acontecimentos, tudo isto, associado a um ritmo alucinante.

As três narrativas principais entrelaçadas de dois assassinos, um pugilista e um casal, valeram-lhe a nomeação para sete Óscares da Academia, acabando por vencer na categoria de Melhor Argumento Original, ganhando também o Globo de Ouro para Melhor Argumento e a Palma D'Ouro do Festival de Cannes para Melhor Filme.

O elenco era composto por nomes como John Travolta, Samuel L. Jackson, Bruce Willis, Uma Thurman e (porque há um português em cada canto do mundo) Maria de Medeiros.

Para muitos a sua banda sonora continua a constar na lista das melhores de sempre, e na memória cinéfila, ficam eternamente, os passos de dança de Uma Thurman e Travolta.

As personagens pareciam ser feitas à medida de cada actor.
Para John Travolta, até então conhecido pelos musicais “Grease” e “Febre de Sábado à Noite”, dar vida a Vincent Vega foi como um renascer na sua carreira.

Uma Thurman começou por recusar o papel de Mia Wallace, mas Tarantino soube ser persuasivo e leu-lhe o guião ao telefone até ela o aceitar.

Começava ali uma parceria profissional (como é habitual de Tarantino) que voltaria ao topo do sucesso com “Kill Bill”, quase 10 anos depois.

Com um humor negro afiadíssimo, Tarantino provou em 1994 que veio para revolucionar o cinema independente americano e nasceu aí uma inspirada carreira de sucesso, que ainda hoje é politicamente incorrecta, contradizendo-se da restante indústria.

Pulp Fiction é uma obra genial. Uma obra crua e simultaneamente refrescante, que sobreviveu ao tempo e se tornou um clássico.
Pulp Fiction foi uma lição de cinema!

Curiosidade Cinéfila:
pulp fiction ou revista pulp são nomes dados a revistas feitas com papel de baixa qualidade a partir do início de 1900. Essas revistas geralmente eram dedicadas às histórias de fantasia e ficção científica e o termo “pulp fiction” foi usado para descrever histórias de qualidade menor ou absurdas.

Pesquisar mais textos:

Carla Correia

Título:Pulp Fiction: 20 anos depois

Autor:Carla Correia(todos os textos)

Imagem por: Marco Toet

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios