Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Relacionamentos > Não Existe Príncipe Encantado

Não Existe Príncipe Encantado

Categoria: Relacionamentos
Não Existe Príncipe Encantado

Muitas mães, com a ajuda de filmes e desenhos americanos de contos de fadas, criam suas filhas em um mundo cor de rosa, bem parecido com aquele mundo perfeito dos contos de fadas, inclusive, muitas destas meninas até se consideram as próprias princesas destas histórias fictícias.

Mas a vida real é bem diferente, com raras exceções, as mulheres não podem se dar ao luxo de ser princesa, pois na sociedade atual está cada vez mais difícil termos mulheres que não precisam trabalhar e podem ficar em casa apenas se preocupando com sua beleza e com seu castelo, claro que neste caso não estão incluídas as donas de casa, mulheres que trabalham muito cuidando dos filhos e mantendo a casa em ordem.

Nos dias atuais, a mulher é participativa e importante na sociedade, fato este conquistado pela força de vontade delas mesmas, e, além disso, elas têm papel fundamental nas finanças do lar.

Claro que não podemos generalizar. Uma minoria – bem pequena, diga-se de passagem – pode sim levar uma vida de princesa e inclusive participar de programas televisivos esbanjando toda sua riqueza e futilidade, mas com certeza você conhece pouquíssimas pessoas com esse padrão de vida e muitas pessoas com padrão de vida normal, que dão duro para levar uma vida digna e que valha a pena.

Nós, mulheres, precisamos ser mais realistas e parar de esperar um imponente cavalo branco trazendo o homem dos seus sonhos, sem nenhum defeito e para completar: lindo.

Isso não vai acontecer, pois os príncipes aparecerão para as princesas e para mulheres da vida real aparecerão os homens normais.

Quando se resolve começar um relacionamento, mesmo que seja com o Shrek e não com o príncipe encantado, é preciso levar alguns pontos em consideração, tanto do homem quanto da mulher, coisas que realmente importam como afinidade, bom papo, interesses em comum, amizade, parceria, entre vários outros fatores que fazem a diferença e não todo o glamour e romantismo pregados pelos contos de fadas.

Com certeza, tem muito mais valor um homem com dignidade do que um príncipe encantado, em um cavalo branco sem nada a te acrescentar. E no conto da vida real, muitas vezes o fim da história é um pouco diferente do conto de fadas já que o príncipe encantado muitas vezes acaba virando um sapo e não o contrário.

Por isso, devemos procurar homens reais com seus defeitos e qualidades que, talvez assim seja possível termos um final feliz.


Maria Rachel Lins Brandão

Título: Não Existe Príncipe Encantado

Autor: Maria Rachel Brandão (todos os textos)

Visitas: 0

446 

Comentários - Não Existe Príncipe Encantado

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Penumonia, as suas causas, sintomas e tratamento

Ler próximo texto...

Tema: Saúde
Penumonia, as suas causas, sintomas e tratamento\"Rua
A pneumonia é uma infecção bacteriana ou viral dos pulmões. Os sintomas podem incluir febre, calafrios, falta de ar, tosse que produz fleuma e dor no peito. Geralmente, a pneumonia pode ser tratada com sucesso em casa com antibióticos, mas alguns casos podem exigir hospitalização e podem resultar em morte. Vacinas estão disponíveis contra alguns dos agentes infecciosos mais comuns que causam pneumonia.

Causas de pneumonia
A pneumonia é uma infecção das bolsas de ar nos pulmões, sendo causada por bactérias, vírus ou, raramente, fungos. A maioria dos casos de pneumonia são causados por bactérias, mais comumente Streptococcus (doença pneumocócica), mas a pneumonia viral é mais comum em crianças.
 
Qualquer pessoa pode desenvolver pneumonia, mas alguns grupos estão em maior risco. Estes incluem:
- Bebês e crianças pequenas, particularmente aqueles nascidos prematuramente
- Pessoas que tiveram uma infecção viral recente, como um resfriado ou gripe
- Fumantes
- Pessoas com condições pulmonares crônicas, como asma, bronquite ou bronquiectasias
- Pessoas com sistema imunológico enfraquecido
- Pessoas que bebem álcool em excesso
- Pacientes hospitalizados
- Pessoas que tiveram problemas de deglutição ou tosse após um acidente vascular cerebral ou outra lesão cerebral
- Pessoas com 65 anos ou mais.
A pneumonia pode desenvolver-se quando uma pessoa respira as pequenas gotículas que contêm pneumonia, mas também pode ocorrer quando bactérias ou vírus que estão normalmente presentes na boca, nariz e garganta, entram nos pulmões.

sinais e sintomas de pneumonia
A pneumonia viral tende a desenvolver-se lentamente ao longo de vários dias, enquanto que, geralmente, a pneumonia bacteriana desenvolve-se rapidamente, muitas vezes ao longo de um dia.
A maioria das pessoas que desenvolvem pneumonia, inicialmente, têm uma infecção viral, como um resfriado ou gripe, que produz sintomas como dor de cabeça, dores musculares e febre. Se uma pneumonia se desenvolver, geralmente, os sintomas incluem:
- Febre alta
- Calafrios
- Falta de ar
Aumento da frequência respiratória
- Uma tosse que piora e que pode produzir escarro descolorido ou sangrento (fleuma)
- Dores no peito causadas pela inflamação da membrana que reveste os pulmões.

Em bebês e crianças, os sintomas podem ser menos específicos e podem não mostrar sinais claros de uma infecção no peito. Comumente eles terão uma febre alta, podendo parecer muito indispostos e tornarem-se letárgicos, mas eles também podem produzir uma respiração barulhenta e apresentar dificuldade para se alimentarem.
 
Também é possível que a pele, lábios e unhas se possam tornar-se azulados. Este é um sinal de que os pulmões são incapazes de fornecer oxigênio suficiente para o corpo. Se isso ocorrer, é vital procurar assistência médica imediatamente.

Diagnóstico para pneumonia
Se houver suspeita de pneumonia, é importante procurar atendimento médico com prontidão para que um diagnóstico preciso e um tratamento adequado possam ser implementados.

O médico poderá obter um histórico médico e realizar um exame físico. Durante o exame, o médico ouvirá o tórax com um estetoscópio. Respiração grosseira, sons crepitantes, sibilos e sons respiratórios reduzidos numa determinada parte dos pulmões podem indicar pneumonia.
Geralmente, para confirmar o diagnóstico, realiza-se uma radiografia de tórax. O raio-X mostrará a área do pulmão afetada pela pneumonia. Também podem ser efectuadas análises ao sangue e uma amostra do escarro pode ser enviada para um laboratório para realização de testes.

Tratamento de pneumonia
A maioria dos casos de pneumonia podem ser tratados em casa. Entretanto, bebês, crianças e pessoas com pneumonia grave podem precisar de ser internados num hospital para tratamento.
Geralmente, a pneumonia é tratada com antibióticos, mesmo que exista suspeita de pneumonia viral, já que também pode haver um grau de infecção bacteriana. O tipo de antibiótico utilizado e a forma como será administrado serão determinados pela gravidade e causa da pneumonia.
Se a pneumonia puder ser tratada em casa, geralmente, o tratamento inclui:
- Antibióticos, administrados por via oral sob a forma de comprimidos ou líquidos
- Medicamentos para alívio da dor
- Paracetamol para reduzir a febre
- Descansar

Se for necessário tratamento hospitalar, gerlamente, o tratamento inclui:
- Antibióticos administrados por via intravenosa
- Terapia de oxigênio, para garantir que o corpo receba o oxigênio de que precisa
- Fluidos intravenosos, para corrigir a desidratação ou se a pessoa estiver muito indisposta para comer ou beber
- Fisioterapia, para ajudar a limpar o escarro dos pulmões.

Pesquisar mais textos:

José Antunes

Título:Penumonia, as suas causas, sintomas e tratamento

Autor:José Antunes(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios