Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Será que sou homossexual?

Será que sou homossexual?

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Visitas: 2
Comentários: 14
Será que sou homossexual?

A homossexualidade é sempre um assunto melindroso. Infelizmente existe sempre assunto e muita conversa quando se fala sobre homossexualidade. Casamento, adoção e até a própria convicção de que se é homossexual, causa incomodo, comichão e muita, muita ferida na suscetibilidade de muita gente. A homossexualidade existe desde sempre, mas também desde sempre abafada e na sombra do tabu. As suscetibilidades dos mais moralistas e convictos de que se trata de uma disfunção emocional ou psicológica, mantém-se e lamentavelmente não se vacilam convicções nem tão pouco se permitem a ouvir opiniões e histórias de vida.

Temos ou não, todos, enquanto Humanidade, direito a amar e a ser amados? Temos ou não, enquanto Seres Humanos viver numa sociedade livre de direitos. Diz-nos a constituição (e não falo na só na Portuguesa) que temos direitos independentemente da nossa raça / etnia, credo ou religião, sexo, idade e orientação sexual. Onde está então o problema e a necessidade de trazer a público e tantas vezes a privado, conversas e preconceitos sobre a homossexualidade. Fere suscetibilidades, é certo, mas só de alguns. Não de todos. A homossexualidade existe e o facto de ser aceite ou não, não vai fazer com que cresça ou se multiplique.

Mas e o papel de um homossexual no meio de toda a discução? Será pacifica e inerte à opinião dos outros ou puro e existe de facto mágoa? Os sentimentos podem ser distintos ou ambos ao mesmíssimo tempo. A questão que muitas vezes se coloca é que se se nasce homossexual ou se a tendência que muitos dizem ser moda, influencia na orientação sexual de cada um. Muito se tem estudado relativamente sobre o assunto e muitos defendem que se nasce, cresce e se morre homossexual.

Mas como saber se se é mesmo um homossexual? A resposta está dentro de cada um de nós. Um gay não tem necessariamente de ter gestos habituais do sexo oposto e pode até casar e ter filhos com o sexo oposto, mas o tal esqueleto dentro do armário(como dizem) está lá.

Ser homossexual não é pecado e por muito que se pudesse ser dito como forma de ajudar a descobrir a sexualidade que cada um de nós opta, a realidade é que a resposta existe e ninguém vai conseguir lê-la, exceto a pessoa em questão.

Não é uma doença, não é uma disfunção, não se pega, não mata, não magoa, não é um problema psicológico. É o assumir do que é ou não na realidade. Não julgue que pelo facto de experimentar vários parceiros sexuais de ambos os sexos, isso vai fazer de si um elemento confuso. Quer saber se é um homossexual? Olhe-se no fundo, estude-se e acima de tudo compreenda-se. A resposta está no seu intimo.


Carla Horta

Título: Será que sou homossexual?

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 2

811 

Imagem por: :mrMark:

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 14 )    recentes

  • SophiaSophia

    23-05-2014 às 18:30:47

    A pessoa se engana muito, mesmo ela conhecendo-se muito bem. Não é porque sente(sentidos) algo pelo mesmo sexo que vai concretizar que é homossexual. Seja você da forma que foi criado- seja mulher se nasceu mulher ou homem se for homem! Aceite-se do jeito que és e não mude sua natureza por capricho ou modinha!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • carro

    21-05-2013 às 16:06:55

    entao os que tem gesto sexuais nao sao gays

    ¬ Responder
  • Luiz

    15-01-2013 às 15:59:10

    Ola, tenho 25 anos, sou virgem até hj e sofro muito por isso. Desde minha adolescência tenho desejos por homens, já tive relações "troca-troca" com meninos, primos quando era criança e pre-adolescente, acredito que por isso tenho desejos homossexuais. Porém, queria muito ser hetero, tento conseguir uma menina para transar mas nunca que da certo. Tenho medo de experimentar uma relação homo e querer apenas isso definitivo Gosto de mulheres mas também tenho esse grande desejo por homens. o que eu faço??

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoThiago

    01-10-2012 às 20:17:32

    Ser homossexual creio não devia ser tratado como uma escolha ou uma doença, e sim como a forma que cada uma escolheu para ser feliz. Ora a sociedade criou um padrão de como deve ser o ser humano perfeito, e esse padrão é seguido até hoje, por isso os homossexuais enfrentam tantos tabus na sociedade. Outro ponto é a questão de se "descobrir" creio que como o texto disse, quando você olha pra dentro de você verdadeiramente você descobre o que te faz senti. Ser homossexual é muito mais do que simplesmente sentir atração pelo sexo oposto, é um desejo de ser feliz ao lado daquele que te completa.

    ¬ Responder
  • Carla HortaCarla Horta

    16-09-2012 às 15:52:05

    Concordo consigo Daniela, os direitos devem ser iguais. No entanto a duvida muitas vezes persiste no ser ou não ser. Até que ponto nos devemos expor na eventualidade de não termos a certeza? Ficaremos catalogados por uma sociedade tantas vezes preconceituosa? Ter certezas é assunto sério e assumir em muitos casos é um acto de coragem.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoDaniela Vicente

    10-09-2012 às 20:57:39

    eu conheço pessoas homossexuais e adoro-os. para ir às compras não há melhor companhia que um gay. sabe de moda, o que nos fica bem e não foge do preço, como o nosso companheiro. eu acho que os gays deviam ter acesso às mesmas coisas que nós, coo casar, ter filhos, ter contas em conjunto, etc. temos todo o direito de amar quem quisermos, seja ele homem ou mulher (desde que seja maior de 18).

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoAnonimo

    24-07-2012 às 09:45:00

    Sou heterossexual e nunca tive duvidas quanto a isso. Mas tenho uma pessoa que me é muito próxima que vive há anos nessa ansiedade sem saber o que é na realidade. É doloroso ver a ansiedade. Defendo que para se ter a certeza da nossa identidade é também necessário ter a certeza da nossa sexualidade. Quem passará a vida inteira ao nosso lado?
    No caso que falo, ele é casado e tem filhos, mas desde solteiro que mantém esta duvida, sem nunca ter tido qualquer relação com alguém do mesmo sexo. A esposa nem sequer imagina sobre estas duvidas e ele tem um medo enorme que a mulher descubra. O resultado é que não se conhecendo, não é inteiramente feliz.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoBruno

    02-10-2012 às 09:43:09

    É esta a realidade de muitos homens e mulheres casados. Que desde uma certa altura tiveram em si desejos que contrariam o que lhes foi ensinado pela sociedade ou pelos seus pais. Não é uma forma fácil nem saudável de se estar na vida, acredito que será como um cancro que vai consumindo a pessoa e debilitando gradualmente tudo aquilo de bom que existe na pessoa. Enquanto o seu amigo não encarar quem é ele nunca será verdadeiramente feliz. A única coisa que poderá fazer é mesmo apoia-lo caso ele decida encarar quem realmente é. Força para o seu amigo

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoMaria

    23-07-2012 às 11:25:32

    Quando não se sabe o que se quer é experimentar, como diz o André. Que outra forma podem saber se querem ou não, se gostam ou se querem esquecer o assunto? Se essa ideia não vos sai da cabeça, experimentem. Se preferir passar a vida inteira sem saber o que quer não acredito que vá ser feliz. Só se tem uma vida.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoAndré

    23-07-2012 às 11:25:10

    Cada um faz o que quer e quem não sabe muito bem aquilo que é que se descubra. Se não experimentar nunca vai saber o que quer da vida. Viver infeliz é que não. Contribuo para a sociedade, trabalho, pago os meus impostos e não me meto na vida de ninguém. Quem eu levo para a minha cama só a mim diz respeito.
    Mas só cheguei até aqui depois de ter passado por várias experiencias e ter visto se gostava ou não. Descobri-me e enquanto Ser Humano tenho o direito e o dever de me descobrir a mim próprio. Nunca choquei ninguém e evitei ferir suscetibilidades alheias, mas não deixei de saborear todos os momentos que julguei ter direito.
    Querem um conselho? Descubram-se.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoMadalena

    19-07-2012 às 11:54:53

    Ainda se discute a sexualidade dos outros? Eu já passei por diferentes fases. One night stand todas as semanas com pessoas diferentes, depois atinei e casei e mantive-me fiel ao meu marido, divorcie-me e estive 2 anos em perfeito celibato e depois passei a ter uma relação de 2 anos com uma pessoa que só nos encontrávamos para sexo. No meio disto tive um experiencia fantástica de uma só noite com uma mulher. Não coloco em causa a minha sexualidade e nem admito que os outros a comentem. Se não permito que os outros falem da minha sexualidade, porque é que vou falar na sexualidade dos outros?

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoWashington

    16-02-2011 às 16:17:58

    @Edson Luciano Machado

    Vc é heterossexual. Apenas fantasia com travestis.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoLeonardo

    02-03-2010 às 11:42:58

    @Edson Luciano Machado

    Olá li o seu comentário e não pode deixar de dizer algo.

    Tenho 21 anos e até agora só tive namoradas, e até gosto de estar com elas, mas tambem gosto de olhar para travestis! Uma vez foi a uma discoteca e estava lá um travesti bem bonito que me deu vontade de beijar e ...Fiquei com vontade de estar..

    Mas não sinto atracção por homens sinto só por travestis.
    TAMBÉM NÃO SEI O QUE SE PASSA CMG!! NEM O QUE SOU..pORQUE UM GAY GOSTA DE HOMENS, não é?
    Estou ficando muito confuso e triste.

    ¬ Responder
  • Victor FelipeEdson Luciano Machado

    01-03-2010 às 10:15:39

    ola, sobre o assunto tenho penssado bastante e acredito q o q tu diz neste artigo esta correticimo, pois eu tenho uma vida normal sou casdo e tenho uma filha mas minha vontade de se relacionar com o mesmo sexo é iminente, mas o que me chama a atenção é os travestis por ter uma forma femenina.O que sou na realidade?

    ¬ Responder

Comentários - Será que sou homossexual?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os descendentes de Eça

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Literatura
Os descendentes de Eça\"Rua
Recentemente, por via da comunicação social, soubemos da entrega do prémio Leya, a um trineto de Eça de Queirós. Julgo que bastou essa noticia, para que todos ficássemos curiosos sobre os seus descendentes…esse mistério, como o Mistério da Estrada de Sintra, começou a adensar-se entre quem se interessa por estas coisas da literatura e da genealogia…então aqui deixo algumas notas que poderão ser importantes para quiçá, um dia, um qualquer jornalista, ou editor, se lembre, de conseguir reunir todos os seus descendentes vivos e se tire uma fotografia de família.

José Maria Eça de Queirós, escritor pródigo da nossa nação, contraiu matrimónio em 1886, com Emília de Castro Pamplona Resende, condessa de Resende, deixando à data de sua morte, em Paris, quatro filhos como seus descendentes e herdeiros diretos; foram eles António Eça de Queirós, Maria Eça de Queirós, Alberto Eça de Queirós e José Maria Eça de Queirós; portanto três meninos e uma menina.
Através do site Geneall.net, foi possível perceber as linhas genealógicas que se seguiram aos seus filhos. No entanto, nem todos os nomes dos seus bisnetos e trinetos estão aí presentes, com certeza por motivos de ordem pessoal, de resguardo da privacidade, motivos que não podemos questionar. Porém, é possível, pelo menos determinar a existência desses membros da família queirosiana.

De antemão sabemos que não houve descendência por parte de dois dos seus filhos, António Eça de Queirós e de Alberto Eça de Queirós.
Maria Eça de Queirós teve dois filhos, uma menina e um menino, porém a menina morreu muito nova, ficando apenas o menino, de seu nome Manuel Pedro Benedito de Castro, que mais tarde casou com Maria da Graça Salema de Castro, a mulher que se tornou a primeira diretora da Fundação Eça de Queirós, na casa de Tormes, pertença da família da esposa de Eça de Queirós. Como Manuel Pedro Benedito de Castro não teve filhos, sabemos que por este ramo, terminou a descendência do escritor.

Convém, entretanto, acrescentar aqui uma curiosidade. Depois do regresso a Portugal da viúva de Eça, ela e os filhos, foram residir para a casa da Granja, pertencente à família de Sophia de Mello Breyner. Inicialmente como esta casa costumava ser arrendada pela família de Sophia, Emília de Castro, arrendou-a, vindo a compra-la uns anos depois. Portanto, é aqui nesta casa que ela cria os seus filhos, e é onde, José Maria Eça de Queirós, um dos seus filhos, permanece após a sua morte, tendo criado aqui os seus filhos e netos, e tendo aqui também falecido.

Podemos então seguramente afirmar que a sua grande linha de descendência parte do seu filho, com o mesmo nome, José Maria Eça de Queirós, que teve também ele, atente-se à curiosidade, quatro filhos, neste caso, ao inverso, um menino, e três meninas, respetivamente de seus nomes, Manuel Eça de Queirós, Maria das Dores Eça de Queirós, Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós e Emília Maria de Castro Eça de Queirós. Esta ultima, Emília, teve ao que consta nove filhos, sendo que um deles, Afonso Maria Eça de Queirós Cabral, é quem atualmente preside à Fundação acima citada, depois da morte da primeira presidente, referida atrás, Maria da Graça Salema de Castro.

Manuel Eça de Queirós por sua vez teve seis filhos, Maria das Dores Eça de Queirós teve três filhos, e Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós, dois filhos. Somados, contabilizamos vinte, os bisnetos do famoso escritor. Seria interessante avançar um pouco mais nos ramos genealógicos e aflorar quem são ou pelo menos, quantos são os trinetos e tetranetos de Eça, por conseguinte fica aqui o desafio, pois é certo que porventura alguns destes descendentes não se conhecem, e nunca terão trocado qualquer impressão sobre o seu ascendente, para uns, bisavô, para outros trisavô, e ainda para outros, tetravô.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Os descendentes de Eça

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Imagem por: :mrMark:

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios