Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Informática > Como estar seguro no mundo virtual

Como estar seguro no mundo virtual

Categoria: Informática
Como estar seguro no mundo virtual

Pessoas e grupos de má índole se apresentam no mundo virtual de forma devastadora. Pelo fato de não serem identificados, muitos se dedicam a destruir os dados dos computadores e propagar incômodo e mal-estar por meio de arquivos infectados que se espalham pela rede mundial de computadores. Os “hackers”, nome dado ao tipo de pessoa que elabora e passa esses malefícios adiante, são os responsáveis por muitas confusões, trapaças, golpes e transtornos no ciberespaço. Eles utilizam um “malware”, cuja tradução significa software malicioso, elaborado para encontrar os pontos fracos dos sistemas e agir sobre eles. Esses programas vasculham a vulnerabilidade dos sistemas, danificando computadores.

Esses softwares instalados nos computadores, quando enviados, estão sob o disfarce de vírus ou cavalos de Tróia em páginas de recados, sites de relacionamento, anexos em e-mails, mensagens instantâneas ou ainda em arquivos ou acessórios, como pen drives, por exemplo, infectados. Esses vírus são programas computacionais maliciosos que infectam outros arquivos por meio de cópias numerosas de si mesmo. Esse tipo de programa malicioso toma parte de arquivos do computador. O bastante conhecido “Cavalo de Troia” é também um desses programas maliciosos, porém seu poder de devastar é ainda maior. Ele é programado para roubar senhas, dados pessoais e destruir arquivos. Esse programa age sem o conhecimento e a intervenção do usuário.

Existem ainda os chamados worms, que são também programas que propagam cópias de si mesmo pela rede. Esses vírus agem como infecções na tecnologia computacional. Eles infectam programas instalados nos micros, podem ocupar espaço demasiado do disco rígido e dificultar o manuseio do computador.

O que é possível fazer para evitar esses softwares e programas destruidores é estar atento a tudo o que acontece na rede, estar informado acerca dos novos vírus que estão sendo propagados e estar atento para observar as mudanças no micro. Evitar esse tipo de transtorno depende do bom senso de cada um. É preciso não aceitar convites para links de desconhecidos. Jamais devem ser abertos e-mails, mensagens em anexo ou instantâneas de pessoas que não são confiáveis virtualmente, ou seja, que não são remetentes seguros. E ainda é preciso desconfiar de e-mails de contatos pessoais que tragam mensagens duvidosas. Por vezes esses vírus utilizam-se dos endereços e caixas dos contados pessoais para enviar as infecções. Também é importante deletar essas mensagens duvidosas sem abri-las. Baixar arquivos, encaminhar e-mails, clicar em links devem ser feitos somente a partir de locais seguros.

Existem formas para proteger o computador pessoal desses males da tecnologia da informação. Um deles é pedir a ajuda de um técnico em informática que instalará programas contra esses visitantes, ou ainda, por si próprio buscar nos sites de downloads pacotes antivírus e instalá-los no próprio micro.


Rosana Fernandes

Título: Como estar seguro no mundo virtual

Autor: Rosana Fernandes (todos os textos)

Visitas: 0

638 

Imagem por: hiperia3d

Comentários - Como estar seguro no mundo virtual

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Ler próximo texto...

Tema: Literatura
Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal\"Rua
Gertrude Stein foi uma escritora de peças de teatro, de peças de opera, de ficção, de biografia e de poesia, nascida nos Estados Unidos da América, e escreveu a Autobiografia de Alice B. Toklas, vestindo a pele, e ouvindo pela viva voz da sua companheira de 25 anos de vida, os relatos da historia de ambas, numa escrita acessível, apresentando situações caricatas ou indiscretas de grandes vultos da arte e da escrita da sua época. Alice B. Toklas foi também escritora, apesar de ter vivido sempre um pouco na sombra de Stein. Apesar de ambas terem crescido na Califórnia, apenas se conheceram em Paris, em 1907.


Naquela altura, Gertrude vivia há quatro anos com o seu irmão, o artista Leo Stein, no numero 27 da rue de Fleurus, num apartamento que se tinha transformado num salão de arte, recebendo exposições de arte moderna, e divulgando artistas que viriam a tornar-se muito famosos. Nestes anos iniciais em Paris, Stein estava a escrever o seu mais importante trabalho de início de carreira, Three Lives (1905).


Quando Gertrude e Alice se conheceram, a sua conexão foi imediata, e rapidamente Alice foi viver com Gertrude, tornando-se sua parceira de escrita e de vida. A casa, como se referiu atrás, tornou-se um local de reunião para escritores e artistas da vanguarda da época. Stein ajudou a lançar as carreiras de Matisse, e Picasso, entre outros, e passou a ser uma espécie de teórica de arte, aquela que descrevia os trabalhos destes artistas. No entanto, a maior parte das críticas que Stein recebia, acusavam-na de utilizar uma escrita demasiado densa e difícil, pelo que apenas em 1933, com a publicação da Autobiografia de Alice B. Toklas, é que o trabalho de Gertrude Stein se tornou de facto reconhecido e elogiado.


Alice foi o apoio de Gertrude, foi a dona de casa, a cozinheira, grande cozinheira aliás, vindo mais tarde a publicar algumas das suas receitas, e aquela que redigia e corrigia o que Gertrude lhe ditava. Assim, Toklas fundou uma pequena editora, a Plain Editions, onde publicava o trabalho de Gertrude. Aliás, é reconhecido nesta Autobiografia, que o papel de Gertrude, no casal, era o de marido, escrevendo e discutindo arte com os homens, enquanto Alice se ocupava da casa e da cozinha, e de conversar sobre chapéus e roupas com as mulheres dos artistas que visitavam a casa. Depois da morte de Gertrude, Alice continuou a promover o trabalho da sua companheira, bem como alguns trabalhos seus, de culinária, e um de memórias da vida que ambas partilharam.


Assim, este livro que inspirou o filme “Meia noite em Paris”, de Woody Allen, é um livro a não perder, já nas livrarias em Portugal, pela editora Ponto de Fuga.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Imagem por: hiperia3d

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios