Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Eventos > Mais um dia dos namorados...

Mais um dia dos namorados...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Eventos
Comentários: 3
Mais um dia dos namorados...

A 14 de fevereiro comemora-se o dia de São Valentim, mais conhecido pelo dia dos Namorados. No fundo é mais um dia para homenagear o amor. Mas afinal o amor não deveria ser celebrado todos os dias? Ok, aqui é de uma forma mais consumista, serve de desculpa para gastar mais um dinheirinho, em qualquer presente que de alguma maneira mostre o quanto a pessoa que amamos é importante para nós. E então lá vão todos os namorados apaixonados comprar uma prendinha, nem que seja um peluche em forma de coração, todo piroso, a dizer “Amo-te”. É a única altura em que muitas pessoas se permitem em receber tal coisa, que depois acabam por guardar num recanto escondido.

O amor permite tudo… O que muitos esquecem, é que existe quem não tem parceiro e que têm que enfrentar este dia com uma certa angústia, ou então com um enorme alívio…Fazendo as contas, durante o ano oferecemos prendas à nossa cara-metade, três vezes (aniversário, natal e dias dos namorados, isto se não se der também no dia em que comemoram mais um ano…). Não há “bolsa” nem imaginação que resista. Seja sincero, quantas vezes comprou uma prenda sem qualquer tipo de significado, só porque tinha que assinalar o dia?
Entretanto, o comércio aumenta as vendas, as escapadelas românticas disparam e os restaurantes ficam sobrelotados. Quem estiver a sofrer de um desgosto amoroso, aceite um conselho de quem lhe quer bem: Não saia de casa neste dia!

Para mostrar que se ama, basta um simples olhar, um simples gesto, não são precisos presentes. Os artifícios que se criam, só servem para ridicularizar o sentimento. Mas enfim, este dia existe e temos que o aceitar, quer queiramos, quer não.

Mas afinal o que é o amor? O que é amar? Será que existe uma definição? Bem, se começasse para aqui a levantar questões, ainda saia daqui uma dissertação. Para mim, o amor é algo que nos prende o coração de uma forma tão profunda que nos tira o fôlego. Quando estamos com a pessoa que gostamos, tudo à nossa volta perde importância e se o tempo parásse, melhor. No início é um mundo de emoções, tudo é lindo e maravilhoso, porém também tudo isto tende a mudar, se para melhor ou pior, depende da sintonia do casal.

O certo é que cada vez mais, o conceito de “amor para a vida” está a ficar banalizado. As relações são cada vez mais curtas, banais, desprendidas e dispensáveis. Poucos são os jovens que ainda acreditam nos contos de fadas. Talvez porque a sociedade é cada vez mais exigente, mas também porque se consegue tudo com maior facilidade. As relações duradouras, essas, são quase um fenómeno em “extinção”. Enfim… posso até parecer um pouco descrente, mas acredito que seja, porque ainda não encontrei o “meu amor”. E você já encontrou o seu?

Catarina Guedes Duarte

Título: Mais um dia dos namorados...

Autor: Catarina Guedes Duarte (todos os textos)

Visitas: 0

786 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 3 )    recentes

  • Carla HortaCarla Horta

    15-09-2012 às 23:31:36

    Uma boa ideia sem gastar dinheiro para surpreender a sua cara metade no dia dos namorados, é um jantar romântico com o tema das mil e uma noites. No chão da sala, experimente colocar um colchão de campismo coberto com lençóis bonitos e junte muitas almofadas e velas. faça uma refeição buffet que possam comer à mão. coloque uma musica romântica e namore neste dia tão especial.

    ¬ Responder
  • Professor Silvaanonimo

    07-02-2010 às 16:23:15

    @cristina
    xe foxex uma formiguinha podiax-te arrepender max a frase ate ta fixe por ixxo dou-te ox meux parabenx

    ¬ Responder
  • cristinacristina

    30-09-2009 às 16:11:57

    eu queria ser uma formiguinha daquelas que foram o drao fera o seu peito e roubar seu coracao ...

    ¬ Responder

Comentários - Mais um dia dos namorados...

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Fine and Mellow

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Música
Fine and Mellow\"Rua
"O amor é como uma torneira
Que você abre e fecha
Às vezes quando você pensa que ela está aberta, querido
Ela se fechou e se foi"
(Fine and Melow by Billie Holiday)

Ao assistir a Bio de Billie Holiday, ocorreu-me a questão Bluesingers x feminismo, pois quem ouve Blues, especialmente as mais antigas, as damas dos anos 10, 20, 30, 40, 50, há de pensar que eram mulheres submissas ao machismo e maldade de seus homens. Mas, as cantoras de Blues, eram mulheres extremamente independentes; embora cantassem seus problemas, elas não eram submissas a ponto de serem ultrajadas, espancadas... Eram submissas, sim, ao amor, ao bom trato... Essas mulheres, durante muito tempo, tiveram de se virar sozinhas e sempre que era necessário, ficavam sós ou mudavam de parceiros ou assumiam sua bissexualidade ou homossexualidade efetiva. Estas senhoras, muitas trabalharam como prostitutas, eram viciadas em drogas ou viviam boa parte entregues ao álcool, merecem todo nosso respeito. Além de serem precursoras do feminismo, pois romperam barreiras em tempos bem difíceis, amargavam sua solidão motivadas pelo preconceito em relação a cor de sua pele, como aconteceu a Lady Day quê, quando tocava com Artie Shaw, teve que esperar muitas vezes dentro do ônibus, enquanto uma cantora branca cantava os arranjos que haviam sido feitos especialmente para ela, Bilie Holiday. Foram humilhadas, mas, nunca servis; lutaram com garra e competência, eram mulheres de fibra e cheias de muito amor. Ouvir Billie cantar Strange Fruit, uma das primeiras canções de protestos, sem medo, apenas com dor na alma, é demais para quem tem sentimentos. O brilho nos olhos de Billie, fosse quando cantava sobre dor de amor ou sobre dor da dor, é insubstituível. Viva elas, nossas Divas do Blues, viva Billie Holiday, aquela que quando canta parte o coração da gente; linda, magnifica, incomparável, Lady Day.

O amor vai fazer você beber e cair
Vai fazer você ficar a noite toda se repetindo

O amor vai fazer você fazer coisas
Que você sabe que são erradas

Mas, se você me tratar bem, querido
Eu estarei em casa todos os dias

Mas, se você continuar a ser tão mau pra mim, querido
Eu sei que você vai acabar comigo

Pesquisar mais textos:

Sayonara Melo

Título:Fine and Mellow

Autor:Sayonara Melo(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios