Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Arte > Arte Renascentista em Portugal

Arte Renascentista em Portugal

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Arte
Visitas: 246
Comentários: 2
Arte Renascentista em Portugal

A arte renascentista entrou em Portugal tardiamente, e poderemos dizer que nunca se conseguiu separar de uma forma total daqueles que foram os movimentos anteriores e que a influenciaram de uma forma muito distinta, como é exemplo claro o gótico. Podemos afirmar sem dúvida que o renascimento em Portugal, no que diz respeito às artes, não foi um movimento puro. As primeiras manifestações artísticas tiveram lugar nos núcleos góticos e manifestam-se sobretudo a nível do tratamento da imagem e da temática decorativa.

Em Portugal este movimento não teve uma consistência, como aconteceu noutros países, pelo que é difícil a sua caracterização de uma forma constante e que seja abrangível a todas as áreas. No reinado de D. João II e de D. Manuel I existem a trabalhar em Portugal alguns artistas de origem italiana e francesa, mas é sobretudo com o reinado de D. João III que se assume a verdadeira importância do clássico, de tal forma que são enviados artistas a Itália para se integrarem das novas características estéticas.

É sobretudo a nível da arquitetura e da escultura que podemos ver o movimento renascentista em Portugal a tomar forma. Desta forma existiu uma conjugação dessa nova estética com o gótico e o manuelino. O renascimento surge assim associado a nomes como, Sansovino, Nicolau Chanterene, João de Ruão, que vieram para o nosso país para campanhas de obras, ou por núcleos artísticos, e vem também pela mão dos próprios conterrâneos que viajaram para Itália com o objetivo de lá estudarem as novas tendências, como é o caso de Francisco de Holanda.
Não só foi importante o contacto com os próprios artistas renascentistas e com a sua forma de pensar e trabalhar, como também o contacto com os seus modelos teóricos e formais, com a tratadística, as gravuras entre outros meios de divulgação daqueles que eram os fundamentos renascentistas.

O renascimento surge em Portugal de uma maneira subtil onde se foi introduzindo nas manifestações artísticas aquilo que era o renascimento em Itália e noutros países, através daqueles que eram os seus principais fundamentos e características, a temática, o tratamento das formas e da figura humana de forma naturalista, a proporção, a perspetiva e o tratamento e trabalho dos materiais.

Sónia Henriques

Título: Arte Renascentista em Portugal

Autor: Sónia Henriques (todos os textos)

Visitas: 246

798 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • SophiaSophia

    17-06-2014 às 02:45:37

    Com toda essa história da arte renascentista em Portugal podemos ver que de forma lenta e progressiva, ela foi sendo introduzida no país. Muito bom!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãopines

    24-03-2014 às 12:57:38

    SUPER GOSTEI MUITO VOU MOSTRAR AOS MEUS FILHOS PARA ELES SE DELEITAREM

    ¬ Responder

Comentários - Arte Renascentista em Portugal

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Penumonia, as suas causas, sintomas e tratamento

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Saúde
Penumonia, as suas causas, sintomas e tratamento\"Rua
A pneumonia é uma infecção bacteriana ou viral dos pulmões. Os sintomas podem incluir febre, calafrios, falta de ar, tosse que produz fleuma e dor no peito. Geralmente, a pneumonia pode ser tratada com sucesso em casa com antibióticos, mas alguns casos podem exigir hospitalização e podem resultar em morte. Vacinas estão disponíveis contra alguns dos agentes infecciosos mais comuns que causam pneumonia.

Causas de pneumonia
A pneumonia é uma infecção das bolsas de ar nos pulmões, sendo causada por bactérias, vírus ou, raramente, fungos. A maioria dos casos de pneumonia são causados por bactérias, mais comumente Streptococcus (doença pneumocócica), mas a pneumonia viral é mais comum em crianças.
 
Qualquer pessoa pode desenvolver pneumonia, mas alguns grupos estão em maior risco. Estes incluem:
- Bebês e crianças pequenas, particularmente aqueles nascidos prematuramente
- Pessoas que tiveram uma infecção viral recente, como um resfriado ou gripe
- Fumantes
- Pessoas com condições pulmonares crônicas, como asma, bronquite ou bronquiectasias
- Pessoas com sistema imunológico enfraquecido
- Pessoas que bebem álcool em excesso
- Pacientes hospitalizados
- Pessoas que tiveram problemas de deglutição ou tosse após um acidente vascular cerebral ou outra lesão cerebral
- Pessoas com 65 anos ou mais.
A pneumonia pode desenvolver-se quando uma pessoa respira as pequenas gotículas que contêm pneumonia, mas também pode ocorrer quando bactérias ou vírus que estão normalmente presentes na boca, nariz e garganta, entram nos pulmões.

sinais e sintomas de pneumonia
A pneumonia viral tende a desenvolver-se lentamente ao longo de vários dias, enquanto que, geralmente, a pneumonia bacteriana desenvolve-se rapidamente, muitas vezes ao longo de um dia.
A maioria das pessoas que desenvolvem pneumonia, inicialmente, têm uma infecção viral, como um resfriado ou gripe, que produz sintomas como dor de cabeça, dores musculares e febre. Se uma pneumonia se desenvolver, geralmente, os sintomas incluem:
- Febre alta
- Calafrios
- Falta de ar
Aumento da frequência respiratória
- Uma tosse que piora e que pode produzir escarro descolorido ou sangrento (fleuma)
- Dores no peito causadas pela inflamação da membrana que reveste os pulmões.

Em bebês e crianças, os sintomas podem ser menos específicos e podem não mostrar sinais claros de uma infecção no peito. Comumente eles terão uma febre alta, podendo parecer muito indispostos e tornarem-se letárgicos, mas eles também podem produzir uma respiração barulhenta e apresentar dificuldade para se alimentarem.
 
Também é possível que a pele, lábios e unhas se possam tornar-se azulados. Este é um sinal de que os pulmões são incapazes de fornecer oxigênio suficiente para o corpo. Se isso ocorrer, é vital procurar assistência médica imediatamente.

Diagnóstico para pneumonia
Se houver suspeita de pneumonia, é importante procurar atendimento médico com prontidão para que um diagnóstico preciso e um tratamento adequado possam ser implementados.

O médico poderá obter um histórico médico e realizar um exame físico. Durante o exame, o médico ouvirá o tórax com um estetoscópio. Respiração grosseira, sons crepitantes, sibilos e sons respiratórios reduzidos numa determinada parte dos pulmões podem indicar pneumonia.
Geralmente, para confirmar o diagnóstico, realiza-se uma radiografia de tórax. O raio-X mostrará a área do pulmão afetada pela pneumonia. Também podem ser efectuadas análises ao sangue e uma amostra do escarro pode ser enviada para um laboratório para realização de testes.

Tratamento de pneumonia
A maioria dos casos de pneumonia podem ser tratados em casa. Entretanto, bebês, crianças e pessoas com pneumonia grave podem precisar de ser internados num hospital para tratamento.
Geralmente, a pneumonia é tratada com antibióticos, mesmo que exista suspeita de pneumonia viral, já que também pode haver um grau de infecção bacteriana. O tipo de antibiótico utilizado e a forma como será administrado serão determinados pela gravidade e causa da pneumonia.
Se a pneumonia puder ser tratada em casa, geralmente, o tratamento inclui:
- Antibióticos, administrados por via oral sob a forma de comprimidos ou líquidos
- Medicamentos para alívio da dor
- Paracetamol para reduzir a febre
- Descansar

Se for necessário tratamento hospitalar, gerlamente, o tratamento inclui:
- Antibióticos administrados por via intravenosa
- Terapia de oxigênio, para garantir que o corpo receba o oxigênio de que precisa
- Fluidos intravenosos, para corrigir a desidratação ou se a pessoa estiver muito indisposta para comer ou beber
- Fisioterapia, para ajudar a limpar o escarro dos pulmões.

Pesquisar mais textos:

José Antunes

Título:Penumonia, as suas causas, sintomas e tratamento

Autor:José Antunes(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios