Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Serviços Construção > A Ética na Construção

A Ética na Construção

Visitas: 190
Comentários: 3
A Ética na Construção

Já lá vão os tempos dos serviços de construção em que a confiança pautava, quer da parte contratante, quer da contratada, uma relação séria, em que se procurava cumprir, com rigor e eficiência, um plano arquitectónico bem delineado, com condições e materiais acordados a priori. Infelizmente, o valor da palavra apresenta hoje uma quebra imensa a nível geral, o que favorece em muito o mercado de enganos global. Assim sendo, a não existir um estreito controlo, não é raro cobrarem-se ocasiões de verdadeiro ócio como horas de labuta árdua, momentos que se passam a contemplar as meninas que vão na rua e a dirigir-lhes piropos, mais ou menos tolos, pretensiosos e batidos, como tarefas de minúcia, pausas ilegítimas como válidos acabamentos, e por aí adiante. Da mesma forma, os clientes são iludidos, amiúde, no que concerne à quantidade e à qualidade do material que escolheram e que, confiam, estará a ser aplicado.

De facto, a questão da ética profissional é, em variados ramos, e no da construção em particular, maltratada e menosprezada, para não dizer mesmo esquecida. Pena é que não pese sobre os trabalhadores e supervisores a responsabilidade das consequências que podem advir de serviços mal feitos e perigos não acautelados. Atente-se nas notícias de acidentes de trabalho, em que, na maioria dos casos, a morte ou a deficiência adquirida poderiam perfeitamente ser evitadas, se as normas de segurança tivessem sido observadas! Deste modo, e sempre que possível, quem encomenda serviços de construção deve tomar a seu cargo a vigilância apertada sobre todas as pessoas e procedimentos que a obra envolve, pedindo explicações e efectuando reclamações quando necessário.

A falta de escrúpulos vigente, e até de uma certa consciência, leva a que o comprador só pense no pagamento depois de verificados todos os parâmetros, e, às vezes, apetece, inclusive, deixar decorrer algum tempo, digamos de garantia, para aferir da consistência do que está feito… Assim, por um lado, poder-se-á exercer alguma pressão no sentido de maior perfeição, e, por outro, não se corre o risco de ouvir dizer que o empreiteiro, o canalizador, o electricista, o pedreiro, ou qualquer outro operário desapareceu depois de receber o dinheiro, “esquecendo-se” de terminar aquilo por que foi pago… Às vezes, até parece, como cúmulo, que os coletes que se usam nas obras denotam um estranho medo do cimento armado! Ou, então, vigora a teoria de que o trabalho faz suar, o suor é humidade, a humidade faz mal à saúde e, portanto, existe um forte receio de apanhar uma pneumonia...!

Maria Bijóias

Título: A Ética na Construção

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 190

792 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 3 )    recentes

  • Briana AlvesBriana

    22-09-2014 às 14:23:23

    Encontramos muito essa falta de ética na construção, infelizmente! Mas, não podemos esquecer que devemos procurar profissionais sérios, comprometidos com o exercício de sua profissão.

    ¬ Responder
  • SophiaSophia

    01-06-2014 às 04:38:00

    Muitas vezes, a ética na construção fica muito a desejar. Parece que o dinheiro é que comenda as pessoas e não a transparência, honestidade no serviço. Infelizmente, isso tem sido comum, esperamos melhorar!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoGercival Araujo

    12-05-2009 às 23:16:00

    Muito bom o tema e o texto, estamos realmente decadentes, precisamos conscientizar essa geração de iniciantes,que a moral e o bom censo são valores impagaveis.

    ¬ Responder

Comentários - A Ética na Construção

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Ler próximo texto...

Tema: Informática
Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?\"Rua
Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Bom, Não é de hoje que tecnologia vem surpreendendo a todos nós com grandes revoluções e os custos que diminuem cada vez mais.
Hoje em dia é comum ver crianças com smarthphones com tecnologia que a 10 anos atrás nem o celular mais moderno e caro do mercado tinha.
Com isso surgiram sugiram vários profetas da tecnologia e visionários, tentando prever qual será o próximo passo.

E os filmes retratam bem esse tema e usam essa formula que atrai a curiosidade das pessoas.
Exemplos:

Minority report - A nova lei de 2002 (Imagem)

Transcendence de 2014

Em Transcendence um tema mais conspiratório, onde um ser humano transcende a uma consciência artificial e assim se torna imortal e com infinita capacidade de aprendizagem.
Vale a pena ver tanto um quanto o outro filme. Algumas tecnologias de Minority Report, como utilizar computadores com as mãos (caso do kinect do Xbox 360 e One) e carros dirigidos automaticamente, já parecem bem mais próximo do que as tecnologias vistas em Transcendence, pois o foco principal do mesmo ainda é um tema que a humanidade engatinha, que é o cérebro humano, a máquina mais complexa conhecida até o momento.

Eu particularmente, acredito que em alguns anos teremos realmente, carros pilotados automaticamente, devido ao investimento de gigantes como o Google e o Baidu nessa tecnologia.

Também acho que o inicio da colonização de Marte, vai trazer grandes conquistas para humanidade, porém grandes desafios, desafios esses que vão nos obrigar a evoluir rapidamente nossa tecnologia e nossa forma de encarar a exploração espacial, não como um gasto, mas sim como um investimento necessário a toda humanidade e a perpetuação da sua existência.

A única salvação verdadeira para humanidade e para o planeta terra, é que seja possível o ser humano habitar outros planetas, seja localizando planetas parecidos com a terra ou mudando planetas sem condições para a vida em planetas habitáveis e isso só será possível com gente morando nesses planetas, como será o caso do Marte. O ser humano com a sua engenhosidade, aprendeu a mudar o ambiente a sua volta e assim deixou de ser nômade e da mesma forma teremos que aprender a mudar os mundos, sistemas, galáxias e o universo a nossa volta.

Espero que tenham gostado do meu primeiro texto.
Obrigado à todos!
Até a Próxima!


Pesquisar mais textos:

Érico da Silva Kaercher

Título:Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Autor:Érico da Kaercher(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios