Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Serviços Construção > Novas tendências na construção civil

Novas tendências na construção civil

Visitas: 38
Comentários: 4
Novas tendências na construção civil

Este nosso admirável e contemporâneo mundo novo trouxe consigo imensas novidades, mas também necessidades. Face ao rápido crescimento populacional e aglomeração das populações em zonas específicas, urbanizadas, a construção civil foi obrigada a repensar a sua forma de operar. A estas questões, de ordem social, aliam-se também as de natureza económica e ambiental.

Assim, as novas tendências na construção civil apontam, no plano social, para a construção de espaços agradáveis e acolhedores, combinando o espaço habitacional com espaços verdes, infraestruturas específicas (como courts de ténis, gimnodesportivos e parques infantis) e bons acessos.

A população residente sentir-se-á em sintonia com o bem-estar emanado pela construção criada e, consecutivamente, sentirá o desejo de zelar pela conservação e manutenção de todos os espaços envolventes. É um passo importante na direção da erradicação dos bairros sociais, autênticos guetos, permeados de edifícios de gosto duvidoso (a par da educação dos jovens neste sentido, claro).

Por outro lado, a economia de um país também depende bastante do estado de conservação do mercado imobiliário. Logo, é fundamental que a construção civil inove, no sentido de atrair mais clientes. Neste âmbito, a construção de tipo ecológico tem vindo a revelar-se uma excelente aposta, já que os clientes mais jovens ostentam maiores preocupações ambientais e optam por adquirir, mais frequentemente, casas «verdes». Poupam-se imensos recursos na publicidade e promoção do local (já que os clientes surgem mais facilmente) e, desta forma, o conceito de «verde» assume maior esplendor.

Paralelamente, a preservação do meio ambiente tem vindo a assumir um destaque considerável nas preocupações dos construtores. Assim, é normal encontrar-se uma casa construída com tijolo de solo-cimento (cuja cozedura é natural, ao sol, ao invés dos tijolos tradicionais que consomem o equivalente a cerca de 60 árvores em cada cozedura) pintada com tinta à base de água, equipada com plástico reciclado, lâmpadas económicas, madeiras (do pavimento, revestimento e mobiliário) com certificação de origem, painéis solares, sistemas de captação da água das chuvas ou de filtragem e reutilização da água do esgoto (este último é preterido em relação ao sistema de captação da água da chuva, já que se torna mais dispendioso) e maximização da exposição solar da casa, como forma de aproveitar energia nos meses invernosos.

As janelas têm, atual e tendencialmente, vidros duplos e possuem um bom isolamento. Há também quem revista as paredes, antes do reboco, com poliuretano, um material que garante um isolamento térmico e acústico ótimo.

As tendências são, enfim, variadas, mas todas apontam num mesmo sentido: o da preservação do nosso planeta. Siga as novas tendências!


Isabel Rodrigues

Título: Novas tendências na construção civil

Autor: Isabel Rodrigues (todos os textos)

Visitas: 38

806 

Imagem por: Matahina

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 4 )    recentes

  • Yuri SilvaYuri

    22-09-2014 às 14:06:40

    Há grande necessidade atual preservar o meio ambiente. Para isso, as medidas de conservação do lugar, a infraestrutura, os arbustos são cada vez mais importantes para manter o lugar agradável!

    ¬ Responder
  • SophiaSophia

    01-06-2014 às 03:45:48

    É tão linda essas construções que estão a cada mais bem desenhadas, modeladas, com um encanto muito chamativo. A questão são os preços, bem mais caros!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • inara

    10-01-2014 às 20:33:25

    gostaria de saber quanto fica para fazer uma casa dessa

    ¬ Responder
  • Missao TanizakiMissao Tanizaki

    11-03-2010 às 18:36:08

    CASA Popular & AGUAPÉ

    Prezados Cidadão Brasileiro,

    Hoje as 4 horas da madrugada iniciei as minhas rotinas e na INTERNET acessei um trabalho sobre CASA POPULAR que pode ser acessada pelo link que segue abaixo.

    REF. 01: http://www.piniweb.com.br/construcao/habitacao/holcim-lanca-casa-popular-para-ser-vendida-em-lojas-de-163514-1.asp

    O TEMA me inspirou a me apresentar o que segue.

    Devemos dar PRIORIDADE as Casas Populares, porém, no meu entendimento, essas e outras TECNOLOGIAS podem se empregadas, após algumas adaptações, até mesmo, em RESIDÊNCIAS para Famílias de Maior Poder Aquisitivo, podendo induzir, com isso, Menor Consumo Energético com Ventiladores / Ar Condicionado, Eliminação & Redução da utilização do Madeiramento dos Telhados, entre outros, que seguem abaixo, promovendo muita ECONOMIA ao longo do TEMPO e que contribuem bastante para a redução dos Problemas do Meio Ambiente & Biodiversidade.

    1) Muros VERDES: é um recurso que elimina REBOCO (Areia & Cimento) e Reduz a Temperatura dos Muros / Paredes, contribuindo na Preservação do Meio Ambiente & Biodiversidade.

    2) Laje Inclinada: podemos construir LAJES INCLINADAS que elimina totalmente a utilização do tradicional madeiramento – as telhas podem ser colocadas diretamente sobre a LAJES INCLINADAS.

    3) Jardins & Canteiros ORGÂNICOS: é um recurso que Desenvolve CONSCIÊNCIA & SABEDORIA e afasta os PAIS & FILHOS da MÍDIA NÃO-ÉTICA. INDUTOR de muitas MUDANÇA POSITIVAS.

    4) FORRO de BAGAÇO de CANA: esse produto, entre outros, podem apresentar aspectos Artesanais “XIQUE” & NOBRE que podem contribuir para disseminar mentalidade da Valorização da Natureza.

    5) Água Quente – sistema de Aquecimento SOLAR - ainda é caro, mas pode ser utilizados em algumas situações.

    6) Energia Elétrica – Células Foto-Elétricas - ainda é caro, mas pode ser utilizados em algumas situações.

    7) Resíduo da Construção Civil: em muitas situações podemos depositar Resíduos de Concreto, Pedaços de Tijolos, entre outros materiais, sob o PISO da própria CONSTRUÇÃO, economizando se Terra de aterro do terreno.

    8) Outros – VOCÊ pode apresentar Sugestões.


    NOTA 01: a DONA de CASA é quem MANDA / DECIDE, na maioria das FAMÍLIAS, por isso a ELAS dirigido essas INFORMAÇÕES.

    NOTA 02: essas INFORMAÇÕES são IMPORTANTES para os seus Filhos & Netos porque no FUTURO cada um vai necessitar construir sua Casa Popular ou mesmo uma Casa mais “XIQUE” – com o exposto poderá prepará-los melhor para que enfrentem as Questões do Meio Ambiente & Biodiversidade.


    Um Abraço Fraterno aos Interessados pelo AGUAPÉ,

    MISSAO TANIZAKI
    Fiscal Federal Agropecuário
    Bacharel em Química
    [email protected] (Com Problemas)
    [email protected] (NOVO)
    Equipe BR do AGUAPÉ
    TUDO POR UM BRASIL & MUNDO MELHOR

    ¬ Responder

Comentários - Novas tendências na construção civil

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os descendentes de Eça

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Literatura
Os descendentes de Eça\"Rua
Recentemente, por via da comunicação social, soubemos da entrega do prémio Leya, a um trineto de Eça de Queirós. Julgo que bastou essa noticia, para que todos ficássemos curiosos sobre os seus descendentes…esse mistério, como o Mistério da Estrada de Sintra, começou a adensar-se entre quem se interessa por estas coisas da literatura e da genealogia…então aqui deixo algumas notas que poderão ser importantes para quiçá, um dia, um qualquer jornalista, ou editor, se lembre, de conseguir reunir todos os seus descendentes vivos e se tire uma fotografia de família.

José Maria Eça de Queirós, escritor pródigo da nossa nação, contraiu matrimónio em 1886, com Emília de Castro Pamplona Resende, condessa de Resende, deixando à data de sua morte, em Paris, quatro filhos como seus descendentes e herdeiros diretos; foram eles António Eça de Queirós, Maria Eça de Queirós, Alberto Eça de Queirós e José Maria Eça de Queirós; portanto três meninos e uma menina.
Através do site Geneall.net, foi possível perceber as linhas genealógicas que se seguiram aos seus filhos. No entanto, nem todos os nomes dos seus bisnetos e trinetos estão aí presentes, com certeza por motivos de ordem pessoal, de resguardo da privacidade, motivos que não podemos questionar. Porém, é possível, pelo menos determinar a existência desses membros da família queirosiana.

De antemão sabemos que não houve descendência por parte de dois dos seus filhos, António Eça de Queirós e de Alberto Eça de Queirós.
Maria Eça de Queirós teve dois filhos, uma menina e um menino, porém a menina morreu muito nova, ficando apenas o menino, de seu nome Manuel Pedro Benedito de Castro, que mais tarde casou com Maria da Graça Salema de Castro, a mulher que se tornou a primeira diretora da Fundação Eça de Queirós, na casa de Tormes, pertença da família da esposa de Eça de Queirós. Como Manuel Pedro Benedito de Castro não teve filhos, sabemos que por este ramo, terminou a descendência do escritor.

Convém, entretanto, acrescentar aqui uma curiosidade. Depois do regresso a Portugal da viúva de Eça, ela e os filhos, foram residir para a casa da Granja, pertencente à família de Sophia de Mello Breyner. Inicialmente como esta casa costumava ser arrendada pela família de Sophia, Emília de Castro, arrendou-a, vindo a compra-la uns anos depois. Portanto, é aqui nesta casa que ela cria os seus filhos, e é onde, José Maria Eça de Queirós, um dos seus filhos, permanece após a sua morte, tendo criado aqui os seus filhos e netos, e tendo aqui também falecido.

Podemos então seguramente afirmar que a sua grande linha de descendência parte do seu filho, com o mesmo nome, José Maria Eça de Queirós, que teve também ele, atente-se à curiosidade, quatro filhos, neste caso, ao inverso, um menino, e três meninas, respetivamente de seus nomes, Manuel Eça de Queirós, Maria das Dores Eça de Queirós, Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós e Emília Maria de Castro Eça de Queirós. Esta ultima, Emília, teve ao que consta nove filhos, sendo que um deles, Afonso Maria Eça de Queirós Cabral, é quem atualmente preside à Fundação acima citada, depois da morte da primeira presidente, referida atrás, Maria da Graça Salema de Castro.

Manuel Eça de Queirós por sua vez teve seis filhos, Maria das Dores Eça de Queirós teve três filhos, e Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós, dois filhos. Somados, contabilizamos vinte, os bisnetos do famoso escritor. Seria interessante avançar um pouco mais nos ramos genealógicos e aflorar quem são ou pelo menos, quantos são os trinetos e tetranetos de Eça, por conseguinte fica aqui o desafio, pois é certo que porventura alguns destes descendentes não se conhecem, e nunca terão trocado qualquer impressão sobre o seu ascendente, para uns, bisavô, para outros trisavô, e ainda para outros, tetravô.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Os descendentes de Eça

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Imagem por: Matahina

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios