Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Serviços Construção > Restaure e rentabilize a casa da avó!

Restaure e rentabilize a casa da avó!

Visitas: 4
Comentários: 3
Restaure e rentabilize a casa da avó!

Em criança, costumava correr nas searas alentejanas. Sentia-se livre ao percorrer aqueles campos repletos de papoilas e a cada descida do monte, rebolava e dava gargalhadas estridentes que não esquece até hoje. Que sensação tão enriquecedora e tão única.

Ou quando corria pela neve do Piodão, com todo o cuidado para não cair nas pedras que cobriam o chão já gasto pelo tempo. O queijo da serra fresquinho a derreter na broa de milho quente acabada de sair do forno de lenha. Consegue sentir-lhe o cheiro e o gosto e a sensação é de novo extasiante e indescritível.
Todas estas sensações eram vividas quando era criança na casa da sua avó lá da terra. Faziam-se horas de viagem, mas valia a pena. Os gostos, os cheiros, as sensações únicas de quem descobre um tão íntimo Portugal.

A avó faleceu já muito velhinha naquela terra tão bonita, e a casa acabou por ali ficar. Velhota e cheia de rugas como a cara da avó, está agora triste e com falta do calor que a lareira trazia á hora das refeições.

Reconstruir a casa é um projeto, mas exige investimento, e para muitos, uma casa de férias, não passa de uma miragem, mesmo que tenham o terreno e algumas paredes com metade do telhado.

Saiba que existe uma forma bastante em voga de reconstruir os seus antepassados e rentabilizar o seu investimento.

Cada vez mais se procuram casas no interior do país para alugar durante as férias. Casas típicas, repletas de história e de calor humano. Estas casas são por norma herdadas, que vive nas grandes cidades e que decidiu alugá-la aos amigos. Depois, colocou um anuncio na internet e passou a alugar para fins de semana e pequenas férias.

Se tem uma casa deste género, vamos ajudá-lo a investir e rentabilizar o seu património.

Em primeiro lugar e se a casita se encontra em mau estado, peça um orçamento para obras. Não se esqueça que é necessária muito precaução, pois se controlar uma obra que está mesmo ao nosso lado já é complicado, tarefa mais complicada é controlar a obra da casa da terra.

Faça as contas à recuperação do seu investimento ao número de anos que acha necessário. Por exemplo, se alugar a casa 4 meses por ano, acha que consegue recuperar 1/5 do que investiu? Então o seu investimento tem um retorno em 5 anos.
Marque fins de semana e férias para si. Nessas alturas está proibida de alugar a casa seja a quem for. Goze o seu investimento.

Fale com uma vizinha que era amiga da sua avó. Fale-lhe no seu projeto e pergunte-lhe se a troco de uma retribuição financeira, está disponível para abrir portas e janelas quando ninguém lá está, mudar lençóis e afins.

Por fim, coloque um anúncio na internet e exponha a sua ideia. Peça reservas sobre a casa e verifique o mais possível a legitimidade dos seus inquilinos provisórios. Alugar uma casa destas por um fim de semana ou por umas pequenas férias, é o ideal para muitas pessoas. Permita que a casinha da sua avó renasça de alegria e salve o seu património!


Carla Horta

Título: Restaure e rentabilize a casa da avó!

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 4

638 

Imagem por: dungodung

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 3 )    recentes

  • Luene ZarcoLuene

    22-09-2014 às 14:12:25

    Muito bom! Penso que vale bastante a pena rentabilizar restaurando a casa da avó. Assim, é possível gerar uma renda bem significativa.

    ¬ Responder
  • SophiaSophia

    01-06-2014 às 03:54:03

    Ideia genial para rentabilizar a casa da avó. Muitas pessoas procuram justamente esse aconchego e esse contato com a natureza.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • Isabel LourençoIsabel Lourenço

    07-01-2010 às 21:05:10

    Olá! Fiz exactamente aquilo que sugere.
    Obras.
    Agora preciso rentabilizar a "Casa D'Avó", que fica em Proença-a-Nova. É pequenina, mas tudo o que é pequenino tem graça.
    Podem ir visitar. É numa aldeia, onde os dias são maiores.
    E é baratinho.

    ¬ Responder

Comentários - Restaure e rentabilize a casa da avó!

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Um caminho para curar o transtorno alimentar

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Saúde
Um caminho para curar o transtorno alimentar\"Rua
De acordo com um relatório divulgado em novembro de 2014 pelo Comitê Permanente sobre o Status da Mulher, entre 600 mil a um milhão de canadenses cumprem os critérios diagnósticos para um transtorno alimentar em um dado momento. Problemas de saúde mental com ramificações físicas graves, anorexia e bulimia são difíceis de tratar.

Os programas públicos de internação frequentemente não admitem pacientes até que estejam em condição de risco de vida, e muitos respondem mal à abordagem em grupo. As clínicas privadas costumam ter listas de espera épicas e custos altos: um quarto custa de US$ 305 a US$ 360 por dia.


Corinne lutou juntamente com seus pais contra a bulimia e anorexia por mais de cinco anos. Duffy e Terry, pais de Corinne, encontraram uma clínica na Virgínia. Hoje, aos 24 anos, ela é saudável e está cursando mestrado em Colorado. Ela e seus pais acreditam que a abordagem holística, o foco individualizado e a estrutura imersiva de seu tratamento foram fundamentais para sua recuperação.

Eles sabem que tinham acesso a recursos exclusivos. "Tivemos sorte", diz Duffy. "Podíamos pagar por tudo." Mas muitos não podem.
A luta desta família levou-os a refletir sobre o problema nos Estados Unidos. Em 2013, eles fundaram a Water Stone Clinic, um centro privado de transtornos alimentares em Toronto. Eles fazem yoga, terapia de arte e participam na preparação de refeições, construindo habilidades na vida real com uma equipe de apoio empática. Os programas funcionam nos dias da semana das 8h às 14h, e até agora, não tem lista de espera. Porém essa abordagem é onerosa: aproximadamente US$ 650 por dia.

A família criou a Fundação Water Stone - uma instituição de caridade que fornece ajuda a pacientes que não podem pagar o tratamento. Os candidatos são avaliados por dois comitês que tomam uma decisão baseada na necessidade clínica e financeira. David Choo Chong foi o primeiro a se beneficiar da fundação. Ele havia tentado muitos programas, mas nenhum foi bem sucedido. A fundação pagou metade do tratamento. Dois anos depois, Choo Chong, feliz e estável diz "Water Stone me ajudou a encontrar quem eu sou".

Pesquisar mais textos:

Roberta Darc

Título:Um caminho para curar o transtorno alimentar

Autor:Roberta Darc(todos os textos)

Imagem por: dungodung

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios