Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Serviços Construção > Não fique em estado de choque

Não fique em estado de choque

Comentários: 2
Não fique em estado de choque

Os serviços de construção englobam especialidades várias no âmbito de uma área, por si, atraente e recompensadora (a todos os níveis…). Uma das funções mais criativas associadas à edificação prende-se, desde logo, com a execução do projecto. Trata-se do guia contendo as orientações básicas, e é a partir dele que tudo o resto se desenrolará.

A imaginação pode chegar ao extremo de, no esboço arquitectónico, constarem a varanda redonda, quartos redondos, a sala redonda, casas de banho redondas, a cozinha redonda, enfim, tudo redondo. Neste caso, “desenrolar” seria realmente o termo apropriado para definir o andamento dos trabalhos. As matrizes cilíndricas de tal habitação constituiriam uma inovação, para não dizer uma ousadia, que materializariam a fuga possível aos intentos de uma sogra que pretendesse deter um CANTINHO na casa dos noivos após o casamento destes. Podia, deste modo, fazer-se ver à dita senhora que se encontrava redondamente enganada quanto à concretização das suas pretensões. Afinal, para bom entendedor, a ausência de um canto basta…

Não obstante a capacidade inventiva e as imensas possibilidades que o sector da construção apresenta, nem todos os desejos mais arrojados são passíveis de corporização, quer por uma questão de segurança, quer por incompatibilidades, por exemplo, decorrentes de estudos efectuados pelos peritos em engenharia. Ainda assim, vêem-se por aí estruturas que mais parecem hinos à boçalidade, com o visível comprometimento exacerbado de verbas susceptíveis de estar a produzir alguma coisa de verdadeiramente útil. Até Bob, o Construtor, revelaria maior bom senso… Por outro lado, emanam-se dos púlpitos da política, do Governo, de administrações públicas e privadas, de direcções desportivas e outras que tal, tantas e tão grandes barbaridades que haveria matéria para se propor a um entendido altamente especializado que assinasse a autoria de um edifício dedicado a tamanhos despautérios!

Inovar, reduzir custos e tempo, desenvolver novas estratégias, investigar aperfeiçoamentos exequíveis, arriscar mudanças, melhorar a competitividade, observando atentamente a actuação dos concorrentes numa perspectiva de perscrutar meios de diferenciação, surpreender pelo profissionalismo exímio, constituem, entre outras iniciativas, formas de fazer face a um mercado que é tudo menos cristão, uma vez que não perdoa. Dificuldades à parte, só o esforço, a paixão pelo que se faz, a determinação férrea e o brio no que se realiza é que conseguem conquistar mais espaço e construir um futuro mais amplo.

Saber o que se faz e fazê-lo bem ajuda a evitar problemas a curto, médio e longo prazo. Um electricista não pode, simplesmente, chegar aos cuidados intensivos de um hospital e dizer aos doentes ligados a vários tipos de aparelhos vitais: «Muito bem, respirem fundo um bocadinho, que eu vou mudar os fusíveis»!... Para além disso, contribui para a prevenção de doenças profissionais. O que aconteceria a um electricista ao cair da escada? Ficaria, com certeza, em estado de choque…



Maria Bijóias

Título: Não fique em estado de choque

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 0

605 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • Briana AlvesBriana

    23-09-2014 às 13:11:47

    Muito bom destacar essa questão da segurança, proteção em meio ao que queremos construir. É cada vez mais presente os acidentes que ocorrem por falta de uma boa segurança. Há medidas seguras que precisam ser encaradas com responsabilidade.

    ¬ Responder
  • SophiaSophia

    01-06-2014 às 05:15:09

    Segurança na construção é essencial. Mesmo que a pessoa tenha ma certa experiência, todo o cuidado é importante. Muito bom esse parecer sobre "não fique em estado de choque"
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - Não fique em estado de choque

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os primeiros brinquedos

Ler próximo texto...

Tema: Brinquedos
Os primeiros brinquedos\"Rua
O brinquedo é mais do que um objecto para a criança se divertir e distrair, é também uma forma de conhecer o mundo que tem ao seu redor e para dar asas à sua imaginação. Desta forma, os brinquedos sempre estiveram presentes na sociedade.

Os primeiros brinquedos datam de 6500 anos atrás, no Japão, em que as crianças brincavam com bolas de fibra de bambu. Entretanto há 3000 anos surgiram os piões feitos de argila e decorados, na Babilónia.

No século XIII apareceram os soldadinhos de chumbo, porém só eram acessíveis às famílias nobres. Cinco séculos mais tarde, apareceram as caixas de música, criadas por relojoeiros suíços.

As bonecas são muito antigas, surgiram enquanto figuras adoradas como deusas, há 40 mil anos, mas a primeira fábrica abriu apenas em 1413 na Alemanha. Barbie, a boneca mais famosa do mundo, foi criada em 1959, mas ainda hoje é das mais apetecíveis pelas crianças.

O grande boom dos brinquedos aconteceu quando se descobriu o plástico para o fabrico. Mesmo assim, muitas famílias não podiam comprar brinquedos aos filhos, como tal, estes utilizavam diversos tipos de materiais e construíam os seus próprios brinquedos.

Actualmente, as crianças têm acesso a uma enorme variedade de brinquedos, desde bonecas, a carros telecomandados, a videojogos… Educativos ou apenas lúdicos, há de tudo e para todos os gostos e preços.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Os primeiros brinquedos

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • umdolitoys 23-01-2013 às 05:46:38

    Adorei a reportagem! e tenho algo para vocês verem!!

    Espero que gostem!!!

    ¬ Responder
  • sofia 22-07-2012 às 21:56:29

    Achei muito interecante e muito legal saber que ano foi fabricadoas bonecas

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios