Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > ...e viveram felizes para sempre!

...e viveram felizes para sempre!

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Visitas: 2
Comentários: 3
...e viveram felizes para sempre!

Ano após ano a mulher foi criada com a ideia de que só começaria a ser feliz depois que se casasse. E infelizmente essa ideia continua a ser plantada em nossas meninas através de filmes, novela, livros. No último capitulo das novelas sempre tem um (ou mais) casamento. É o tal final feliz ou “...e viveram felizes para sempre”.

A felicidade como um estado pleno não existe e se existisse se tornaria algo tão comum, tão sem graça que não a valorizaríamos.

Felicidade existe sim, mas em momentos: somos felizes e infelizes na infância, na adolescência, quando casamos, descasamos, no nascimento dos filhos, dos netos...

Mas deixar sua felicidade na responsabilidade de outra pessoa, além de não ser justo para com esta outra pessoa, é deixar de ser feliz hoje com o que tem, com o que sente, com o que você é.

Nada mais prazeroso do que estudar, se encontrar numa profissão, num esporte, descobrir o mundo, fazer o que gosta e de repente acrescentar em sua vida um cúmplice, um companheiro para somar a sua vida outras idéias, outra criação, outros valores.

A mulher idealiza o casamento: a cerimônia, o vestido de noiva, as alianças, a festa de receção, as lembrancinhas, os presentes, a viagem de lua de mel... Acredita realmente que seu noivo seja um príncipe, daqueles dos contos de fadas mas quando acorda do sonho, descobre-se casada com um sapo e com uma casa para cuidar (lavar, passar, cozinhar).

Ninguém prepara os noivos para o casamento das famílias: vai ter que conviver, pacificamente se possível, com os pais, irmãos, sobrinhos, toda a família um do outro...

É possível ser feliz após o casamento?

Sim, é possível, desde que desmistifique algumas figuras idealizadas: com exceção de poucos da realeza européia, os homens não são príncipes, assim como as mulheres não são princesas.

Um dos  maiores erros da mulher é achar que pode mudar o homem (não pode, eles não mudam e têm orgulho disso) e os homem acharem que a sua mulher nunca vai mudar (elas mudam e nem sempre para melhor). Sabedores destas peculiaridades psicológicas, vá em frente. Case! Tenha momentos felizes e outros nem tanto, pois isso faz parte do pacote chamado vida!


E acima de tudo não sonhe com família de propaganda de margarina, pois elas não existem. E ainda bem por isso, pois ter uma vida previsível, certinha seria bastante tedioso, algo que também não segura casamento.

Casamento é antes de tudo uma parceria, viver com alguém para dividir a vida e seu cotidiano.


Rosana Pegoraro

Título: ...e viveram felizes para sempre!

Autor: Rosana Pegoraro (todos os textos)

Visitas: 2

778 

Imagem por: Sabrina Campagna

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 3 )    recentes

  • Luene ZarcoLuene

    17-08-2014 às 23:15:49

    A felicidade tem muito a ver com satisfação interior. Temos momentos bons e ruins na vida, mas quem entende sobre si mesma sabe que independente de tudo, está satisfeita, ou seja feliz, porque é justamente uma decisão da pessoa e não um estado, um sentimento. Um dia a gente sente algo, no outro, não sente mais, então, não dá pra viver assim. Temos que viver o melhor de nós: amando, alegrando, trabalhando, estudando, viajando e tendo também um companheiro que complemente isso!

    ¬ Responder
  • Wallace RandalWallace Randal

    16-09-2012 às 20:12:24

    Adorei seu texto, você tem toda a razão. A felicidade é algo que pode ser conquistado de várias formas, e o casamento pode ser incluído. Mas não significa que ele pode mantê-lo. Relacionamentos são difíceis e é uma construção para todas as pessoas. E com certeza devemos montar uma família apenas quando nos sentirmos seguros com quem estamos, para que não haja arrependimentos futuros. O divórcio não é ruim, ruim são suas consequências.

    ¬ Responder
  • Glaucia AlvesGLAUCIA ALVES

    13-01-2010 às 19:20:52

    É bom saber que hoje em dia, apesar das pressões sociais e familiares, muitas mulheres já descobriram que não é preciso estar casada para se sentir realizada.
    Muitos casamentos e relacionamentos acabam não dando certo, porque nos sentimos tão desesperadas e pressionadas para encontrar alguém que fingimos não enxergar certos defeitos ou exageramos certas qualidades.
    Há muita coisa que se fazer, ver, ler e viver e se por enquanto não há ninguém bacana por aí ou se estamos focadas em outras coisas, devemos viver conforme nossas próprias verdades e deixar de lado esses modelos pré-estabelecidos de vida que acabam nos aprisionando. O importante é viver de acordo com nossas próprias verdades!

    ¬ Responder

Comentários - ...e viveram felizes para sempre!

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como fazer disfarces de Carnaval

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Vestuário
Como fazer disfarces de Carnaval\"Rua
O ano começa e depressa chega uma data muito ansiada principalmente pelos mais jovens: o desejado Carnaval!

Esta é uma data que os pequenos adoram e deliram com as fantasias. O problema maior é a despesa que os disfarces representam e no ano seguinte já não usarão o mesmo disfarce ou, no caso dos mais pequenos, já não lhes serve.
O melhor nesta data é mesmo reciclar e aprender a fazer disfarces caseiros utilizando truques mais económicos e materiais reciclados para preparar as fantasias dos pequenitos!

Uma sugestão para os meninos é o traje de pirata que pode facilmente ser criado a partir de peças que tenha em casa. Procure uma camisa de tamanho grande e, de preferência, de cor branca com folhos. Se não tiver uma camisa com estas características facilmente encontrará um modelo destes no guarda-vestidos de alguma familiar, talvez da avó.

Precisará de um colete preto. Na falta do colete pode utilizar um casaco preto que esteja curto, rasgue as mangas pelas costuras dos ombros. As calças devem ser velhas e pretas para poderem ser cortadas na zona das pernas para envelhecer a peça. Coloque um lenço preto ou vermelho na cabeça do menino e, de seguida, com um elástico preto e um pouco de velcro tape um dos olhos.

Para as meninas não faltam ideias originais para fazer disfarces bonitos e especiais para este dia. Uma ideia original é a fantasia de Flinstone. É muito fácil e prática de fazer e fica um disfarce muito bonito. Comece por arranjar um pedaço de tecido branco. Coloque o tecido em volta do corpo como uma toalha de banho e depois amarre num dos braços fazendo uma alça. Depois corte as pontas em ziguezague mantendo um lado mais comprido que o outro. Amarre o cabelo da menina todo no cimo da cabeça, como se estivesse a fazer um rabo-de-cavalo mas alteie-o mais. Com o auxílio de um pente frise o cabelo, pegando nas pontas e passando o pente em sentido contrário até que fique todo despenteado. Numa loja de disfarces compre um osso de plástico e prenda na fita da criança.

Pegue nos materiais, puxe pela imaginação e ponha mãos ao trabalho!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Como fazer disfarces de Carnaval

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Imagem por: Sabrina Campagna

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    09-06-2014 às 04:01:21

    Não em carnaval, mas em bailes de fantasia, sempre usei o TNT. Eles são ótimos para trabalhar o corte, para costurar e deixa bem bonito!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios