Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > Amor Maluco

Amor Maluco

Categoria: Literatura
Amor Maluco

Aqui está mais um poema. Escrevi novamente algumas coisas a respeito dele, mas logo abaixo estará prontinho para você ler e comentar. Fique à vontade!

"Este poema é um dos poemas que mais gosto. Não apenas pelas palavras em si, mas pela pessoa que me inspirou. Também pelo momento que estava vivendo e o que essa pessoa representa para mim. Mesmo sabendo que nunca poderei encontrá-lo e nem sequer viver um grande romance com ele.

Na verdade, ele nem sabe que eu o escrevi pensando nele. Apesar de que o leu para dar a sua opinião a respeito, mas achei importante não dizê-lo que era um poema sobre "ele" e para “ele”.

Ele também escreve e escreve apaixonadamente, maravilhosamente e de forma encantadora. Acredito que foi isso que mais me chamou atenção do que qualquer outra qualidade que ele tenha. Amo quando leio seus escritos!

Mesmo sem conhecê-lo pessoalmente(conheço-o apenas pelo que escreve, pelas suas palavras), eu o admiro por trazer sensibilidade em muitas situações da vida e como a forma das suas palavras mexem ao meu coração. O que ele escreve vai à alma, sempre me leva a imaginar o momento e vai ao encontro do que estou vivenciando. Parece que ele me conhece tão bem, mesmo sem nunca ter me visto. Na verdade, não estou sozinha, ele também toca diversos corações nos mais diferentes lugares.

Foi assim que esse poema surgiu. Numa madrugada, estando a pensar apenas nele. No meu quarto, ouvia apenas o som, as batidas de meu coração e aos poucos, ela foi surgindo e se transformou nisso que você acabará de ler."

Espero que apreciem e que gostem também. Obrigada a todos!

Amor Maluco

Eu o amo antes de conhecê-lo,
Seguindo os meus vários caminhos;
Uns mais suaves, outros mais ásperos
Na ânsia de que estás a caminho
Mesmo não o tendo ao meu lado,
Sigo amando, o amando;
Sei que quando chegares,
Me encontrarás te esperando
Não sei a sua forma:
Se és magro, se és alto
Qual a cor dos seus olhos,
Mas, sei que formado virás lá do alto
Penso que estás a demorar,
Mas, Deus diz que há dia e hora marcada,
Para que eu não mais o encontre
Mas, que seja encontrada
E, então, eu não mais seguirei o amando
Naqueles dias após dias
Mas, que ambos sigam amando
A cada dia


Rua Direita

Título: Amor Maluco

Autor: Rua Direita (todos os textos)

Visitas: 0

601 

Comentários - Amor Maluco

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios