Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Imóveis Arrendamento > A minha primeira casa

A minha primeira casa

Visitas: 12
Comentários: 1
A minha primeira casa

Sempre vivemos com os nossos pais e irmãos. Sempre nos sentimos bem, acolhidos e protegidos debaixo da asa da mãe, até que um dia queremos algo mais.

Queremos deixar o ninho e construir o nosso futuro. Não por nos zangarmos com eles, apenas porque queremos o nosso espaço e tornar-nos mais independentes.

Que fazer agora?

Começa-se por comprar jornais em busca da casa dos nossos sonhos e uma pergunta paira no nosso pensamento: compro ou alugo? Se comprar uma casa é fazer um investimento, é também sinónimo de mais burocracia e papelada. Quem não tem dinheiro para comprar a casa a pronto, terá de solicitar um empréstimo ao banco, ficando sujeito a mensalidades, seguros e taxas de juro, já para não falar de todas as chatices inerentes ao processo – reunir a papelada toda exigida pela entidade bancária, perder tempo a procurar a oferta mais vantajosa, pagar escritura e encargos bancários, enfim, um sem número de procedimentos aborrecidos e indispensáveis. A menos que queiramos mesmo fazer um investimento a longo prazo, esquece-se logo isso e ponderamos antes o aluguer.

Nesta opção, as coisas são bastante mais fáceis. Não temos de perder tanto tempo com burocracias e caso não gostemos da casa depois de a alugarmos, podemos optar por rescindir o contrato e procurar outra. Para muitos, esta será a melhor opção para encontrar a primeira casa. Infelizmente, a renda a pagar nem sempre será mais baixa que a prestação a pagar ao banco, no caso de se contrair um empréstimo para aquisição do imóvel. Mas a ausência de gastos com o condomínio e manutenção do prédio, é uma vantagem a ter em conta, para além da ausência de preocupações com o mesmo, já que não são imputadas aos inquilinos, mas ao senhorio.

Também temos de ter em conta o nosso objectivo. Para um casal de namorados que não procura compromissos a curto prazo, esta será a melhor opção. Se vamos estudar ou trabalhar para outra cidade, sabendo à partida que é por poucos meses ou anos, para quê adquirir um imóvel? A menos que gostemos muito do sítio ou vejamos a compra como uma oportunidade de negócio ou investimento, o aluguer de casa volta a ser a opção mais indicada.

Mas lembre-se, se optar por alugar um espaço para si, quer seja para viver permanentemente ou apenas para trabalhar, elabore sempre um contrato entre si e o senhorio, especificando sempre o tempo durante o qual é válido.



Cláudia Bandeira

Título: A minha primeira casa

Autor: Cláudia Bandeira (todos os textos)

Visitas: 12

807 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    05-05-2014 às 22:40:18

    Quando a gente atinge uma idade mais adulta e também já se está amadurecida, a primeira coisa que passa na mente é ter seu próprio lugar, sem a presença dos pais. Aquela situação de morar só, ter a sua vida mais independente. Creio para chegar a esse estágio, a pessoa tem que estar muito preparada. Mesmo porque terá que alugar uma casa e trabalhar muito para comprar uma casa.

    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - A minha primeira casa

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como fazer disfarces de Carnaval

Ler próximo texto...

Tema: Vestuário
Como fazer disfarces de Carnaval\"Rua
O ano começa e depressa chega uma data muito ansiada principalmente pelos mais jovens: o desejado Carnaval!

Esta é uma data que os pequenos adoram e deliram com as fantasias. O problema maior é a despesa que os disfarces representam e no ano seguinte já não usarão o mesmo disfarce ou, no caso dos mais pequenos, já não lhes serve.
O melhor nesta data é mesmo reciclar e aprender a fazer disfarces caseiros utilizando truques mais económicos e materiais reciclados para preparar as fantasias dos pequenitos!

Uma sugestão para os meninos é o traje de pirata que pode facilmente ser criado a partir de peças que tenha em casa. Procure uma camisa de tamanho grande e, de preferência, de cor branca com folhos. Se não tiver uma camisa com estas características facilmente encontrará um modelo destes no guarda-vestidos de alguma familiar, talvez da avó.

Precisará de um colete preto. Na falta do colete pode utilizar um casaco preto que esteja curto, rasgue as mangas pelas costuras dos ombros. As calças devem ser velhas e pretas para poderem ser cortadas na zona das pernas para envelhecer a peça. Coloque um lenço preto ou vermelho na cabeça do menino e, de seguida, com um elástico preto e um pouco de velcro tape um dos olhos.

Para as meninas não faltam ideias originais para fazer disfarces bonitos e especiais para este dia. Uma ideia original é a fantasia de Flinstone. É muito fácil e prática de fazer e fica um disfarce muito bonito. Comece por arranjar um pedaço de tecido branco. Coloque o tecido em volta do corpo como uma toalha de banho e depois amarre num dos braços fazendo uma alça. Depois corte as pontas em ziguezague mantendo um lado mais comprido que o outro. Amarre o cabelo da menina todo no cimo da cabeça, como se estivesse a fazer um rabo-de-cavalo mas alteie-o mais. Com o auxílio de um pente frise o cabelo, pegando nas pontas e passando o pente em sentido contrário até que fique todo despenteado. Numa loja de disfarces compre um osso de plástico e prenda na fita da criança.

Pegue nos materiais, puxe pela imaginação e ponha mãos ao trabalho!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Como fazer disfarces de Carnaval

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    09-06-2014 às 04:01:21

    Não em carnaval, mas em bailes de fantasia, sempre usei o TNT. Eles são ótimos para trabalhar o corte, para costurar e deixa bem bonito!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios