Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Imóveis Arrendamento > A Arte de Negociar

A Arte de Negociar

Comentários: 1
A Arte de Negociar

Quantos de nós tem uma veia de negociante? Regatear o valor das coisas, mesmo que estas estejam em promoção. Pedir descontos, uma atençãozinha, um preçozinho especial. Na realidade, todos temos este hábito. Mesmo que não o façamos descaradamente, aquele torcer de nariz indica ao vendedor que o negócio ou a compra ficam feitas se o preço for um bocadinho negociado.

Ora se temos este hábito para qualquer produto, saiba que o mesmo pode acontecer sem que se trate de uma camisola, uma peça de arte ou até um carro.

Se procura casa para arrendar e finalmente a encontrou, saiba como negociar o valor da renda.

Existem vários aspetos por onde começar. Se na procura que fez visitou outras casas para arrendar na mesma zona, é agora, no momento de negociar um excelente argumento. Pense nas características das outras casas e no valor que estavam a pedir pela sua mensalidade. Argumente falando na área e do custo do aluguer da zona.

Se verifica que o preço se encontra em harmonia com a zona, é aconselhável que não argumente por aí. Será de mau tom e mostrará não ser um bom negociante mas um verdadeiro mesquinho financeiro.

O estado geral da casa também pode servir para negociar. Se a casa necessita de uma pintura por exemplo, ou o autoclismo está avariado, tente negociar um valor mensal mais baixo, comprometendo-se que vai pintar por exemplo a sala e o quarto. Independentemente do tempo que está a pensar arrendar o imóvel, o proprietário vai imediatamente perceber que o seu futuro inquilino gosta de uma casa arranjada e limpa. Para um senhorio, assegurar que o arrendatário vai tratar do seu imóvel, é meio caminho andado para o descanso.

O facto de o prédio não estar em bom estado, ou até mesmo a inexistência do elevador são fatores de peso, pois não estará nas mãos do proprietário alterar essa situação, pelo menos com alguma facilidade e num curto espaço de tempo.

Argumentar que carregar compras para um 3º andar sem elevador não lhe dá muito jeito, pode ser um ponto a seu favor para negociar o valor da renda da casa.

A vizinhança, a caldeira que faz barulho quando trabalha, o difícil estacionamento, ou o distanciamento dos transportes públicos são argumentos justificados e legítimos.

No entanto, é aconselhável que não argumente disparatadamente. Argumentos absurdos e injustificados não vão mostrar o melhor de si, e nunca se esqueça que o senhorio pode simplesmente no fim da conversa que não lhe quer arrendar a casa.


Carla Horta

Título: A Arte de Negociar

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 0

791 

Imagem por: Search Engine People Blog

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    05-05-2014 às 22:33:27

    É preciso aprender como negociar. Ás vezes, somos tão envolvidos e a pessoa acaba nos vencendo. Ainda mais quando o assunto é aluguel, tens que pesquisar muito e negociar o melhor para ambas as partes.

    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - A Arte de Negociar

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

A arte de trabalhar a madeira

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Serviços Construção
A arte de trabalhar a madeira\"Rua
A carpintaria constitui, digamos assim, a arte de trabalhar a madeira. É claro que, de acordo com o produto final, se percebe bem que uns carpinteiros são mais artistas do que outros…

Às vezes nem se trata tanto dos pormenores, mas mesmo de desvirtuar o que era a ideia inicial e constava da encomenda. Mal comparado, quase se assemelha à situação daquela aspirante a costureira que pretendia fazer uma camisola para o marido e, no fim, saíram umas calças!

Na construção civil, a madeira é utilizada para diversos fins, temporários ou definitivos. Na forma vitalícia (esperam os clientes!) incluem-se estruturas de cobertura, esquadrias (portas e janelas), forros, pisos e edifícios pré-fabricados.

Quase todos os tipos de madeira podem ser empregues na fabricação de móveis, mas alguns são preferidos pela sua beleza, durabilidade e utilidade. É conveniente conhecer as características básicas de todas as madeiras, como a solidez, a textura e a côr.

Ser capaz de identificar o género de madeira usado na mobília lá de casa pode ajudar a determinar o seu real valor. Imagine-se a possibilidade de uma cómoda velha, que estava prestes a engrossar o entulho para a recolha de lixo, ter sido feita com o que hoje se considera uma madeira rara.

É praticamente equivalente a um bilhete premiado do Euromilhões, dado que se possui uma autêntica relíquia! Nestes casos, a carpintaria entra na área do restauro e da recuperação. Afinal, nem tudo o que é velho se deita fora…

Por outro lado, as madeiras com textura mais fraca são frequentemente manchadas para ganhar personalidade. Aqui há que remover completamente o acabamento para se confirmar a verdadeira natureza da madeira.

É assim também com muita gente: tirando a capa, mostram-se autenticamente. Mas destes, nem um artificie com “bicho-carpinteiro” consegue fazer nada…!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:A arte de trabalhar a madeira

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Luene ZarcoLuene

    23-09-2014 às 13:23:35

    Uma excelente técnica que penso ser muito bonito e sofisticado. A arte de trabalhar madeira está sempre em desenvolvimento e crescimento.

    ¬ Responder
  • Rua DireitaRua Direita

    01-06-2014 às 05:18:46

    É ótimo o trabalho com a madeira. Pode-se perceber grandes obras que se faz com ela. Realmente, é uma verdadeira arte!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios