Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Como Sair do Endividamento? Part.2

Como Sair do Endividamento? Part.2

Categoria: Outros
Comentários: 4
Como Sair do Endividamento? Part.2

A palavra não é desconhecida para algumas famílias e é até tema de conversa constante. Desgasta relações e causa um mau estar constante em todos os que ao final de cada mês, vêm o dinheiro dos salários a ser desviado para pagar contas e ficar reduzido a nada. Acontece ainda muitas vezes o dinheiro chegar a faltar mesmo ainda antes de o receber.

O endividamento do orçamento familiar é um pesadelo para muitas casas Portuguesas e tem de ser combatido com todas as forças, disciplina e força de vontade. Acredite que vai conseguir e não desmotive. Siga as nossas dicas e vai ver que o orçamento consegue entrar nos eixos.

Faça um orçamento real. Dentro deste orçamento, tem obrigatoriamente de fazer uma separação importante. De um lado as despesas fixas e mais importantes. A água, luz, gás, casa, alimentação são gastos a que não pode fugir. Do outro lado verifique as despesas com jantares e almoços fora, desporto, cinema, teatro, telemóvel.

Agora que tem as suas despesas, verifique onde pode cortar. Fazer desporto pode não implicar gastos. Se começar a praticar atletismo perto de espaços verdes no quarteirão da sua casa, deixa de gastar dinheiro no ginásio. Quanto aos almoços fora, veja a possibilidade de passar a levar almoço para o escritório. Vai ver que a moda pega. Quanto ao telemóvel, verifique o seu tarifário e deixe de telefonar 5 vezes à sua cara-metade durante o dia. Opte por ligar só 2.

Agora reveja as despesas que pode baixar. Peça à família para que não deixem as luzes acesas sem necessidade e quanto aos banhos de imersão vão ter de ser reduzidos durante um tempo. Optem, enquanto família a tomar duches. E não se esqueça que as meias descargas do autoclismo existem por algum motivo.

Fale com o seu banco e tente negociar o prazo do empréstimo. Esta opção pode reduzir drasticamente a mensalidade da casa.

Vá de transportes para o trabalho e poupe dinheiro da gasolina.

Acontece porém que mesmo fazendo estas contenções não consiga acabar com o endividamento grave em que se encontra. As medidas mais drásticas é ter de vender a casa e comprar uma mais barata, ou até mesmo vender um dos carros. Os filhos estão em escolas privadas? Lamentavelmente vai ter de pedir transferência para uma escola pública.

Se mesmo assim não conseguir transformar o seu orçamento endividado num orçamento perfeito (com direito a PPR e pé de meia), dirija-se a instituições que ajudam a negociar as suas dívidas. A Deco pode por exemplo ajudá-lo.


Carla Horta

Título: Como Sair do Endividamento? Part.2

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 0

809 

Imagem por: alancleaver_2000

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 4 )    recentes

  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoAnabela

    24-07-2012 às 10:53:51

    Consegui negociar com o meu banco e a renda baixou imenso, mas só durante 2 anos. Durante este tempo vou ter de pagar algumas dividas para quando o período de carência da casa passar eu não volte ao mesmo. Um dos truques que utilizo é fazer ementas para 15 dias. As compras grandes são feitas 2 vezes por mês e sempre com base nas ementas que fiz. Os frescos são a única coisa que fica por ir comprando. Gerir a casa por orçamentos quinzenais e mensais foi uma forma de fazer ginástica com o dinheiro.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoPedro

    24-07-2012 às 10:53:13

    Eu arranjei um part-time para pagar os cartões de crédito e os empréstimos de consumo. Vou ter de trabalhar mais um ano inteiro para liquidar tudo na totalidade, mas vou conseguir. A minha mulher acaba por ter de ficar em casa com os miúdos, mas quando arranja uns trabalhinhos de contabilidade fora (como fazer IRS para as pessoas conhecidas) também faz. O esforço tem sido muito, mas acredito que vamos conseguir.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoFlavia

    23-07-2012 às 12:45:27

    Conheço essa situação dos cartões de crédito. Foram a minha quase ruina e para me levantar foi muito complicado. Ainda não estou numa situação desafogada, mas neste momento o que eu e o meu marido recebemos já dá para pagar as despesas e comprar o comer do mês sem problemas. Férias não temos fora de casa há mais de 2 anos, e jantar fora é daquilo que mais tenho saudades. Fizemos grandes sacrifícios, mas hoje já durmo mais tranquila.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoAnonima

    23-07-2012 às 12:45:05

    Estou numa situação muito complicada financeiramente. Já não sei onde poupar mais. Até nas compras da despensa eu tenho poupado. Opto por receitas que sirvam para mais do que uma refeição para poupar no gás. É desesperante esta situação. O meu maior problema são os cartões de crédito com juros altíssimos e prestações que fazem doer.

    ¬ Responder

Comentários - Como Sair do Endividamento? Part.2

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Dicas para decorar salas pequenas.

Ler próximo texto...

Tema: Decoração
Dicas para decorar salas pequenas.\"Rua
A realidade das grandes cidades é que a maioria das pessoas mora em espaços pequenos. É fato também que todos desejam ter um ambiente acolhedor e aconchegante para receber amigos. Em contrapartida, na medida em que os espaços encolhem, a quantidade de aparelhos eletrônicos que utilizamos aumenta cada vez mais. Há ainda quem use a sala como home-office.

Nesta busca de inspiração para organizar e incrementar sua sala, encontramos uma série de sites especializados e blogs com muitas, muitas ideias. O conceito de D.I.Y. (do it yourself) que significa "faça você mesmo” nunca esteve tão na moda. É uma alternativa para reduzir gastos com mão de obra e nada melhor do que criar um espaço com um toque todo seu. Inspirações e ideias não faltam. Hoje, de certa forma todos nos sentimos meio decoradores.

Mas planejar a decoração de uma sala pequena exige alguns cuidados para que o ambiente não fique entulhado de móveis, disfuncional ou até mesmo desagradável.

Confira algumas dicas para decorar sua sala com estilo e valorizando seu espaço:
Os espelhos, além da autocontemplação, causam efeitos interessantes. Aplicados, por exemplo, em uma parede inteira pode duplicar a amplitude do ambiente. Pode ser usado também em móveis, tetos, em diversos formatos e valorizar a luminosidade da decoração.

As cores tem poder de causar sensações. Em ambientes com pouco espaço, elas podem colaborar para que a sensação de amplitude possa tanto aumentar quanto diminuir. Para pintar as paredes de sua sala aposte em cores claras. O teto com uma cor mais clara que a das paredes, por exemplo, pode simular uma elevação do teto, já em uma cor mais escura, promoverá uma sensação de rebaixamento do teto.

A escolha e posição dos móveis são um aspecto muito importante. Opte por poucos móveis, nunca de tamanhos exagerados e posicione-os de forma que valorize o espaço. Móveis que misturam poucos materiais, baixos e com linhas retas proporcionam leveza ao ambiente.

Uma solução muito interessante para espaços pequenos é a utilização de prateleiras. Caixas para produtos horto frutícolas reformadas podem se tornar lindas prateleiras. Mas cuidado com a profundidade, para não atrapalhar na disposição de outros móveis e objetos.

Móveis multifuncionais ou móveis inteligentes são excelentes alternativas para uma sala pequena. Um bom exemplo são pufes, que podem ser usados como mesas de centro ou ficarem alojados debaixo de aparadores e quando recebemos visitas podem se transformar em assentos extras. Mesas dobráveis também são uma ótima opção.

Escolher o mesmo piso ou revestimento pode dar a impressão de área maior, de continuidade. Mudanças drásticas de um ambiente para outro pode causar a sensação de divisão e consequentemente fazer parecer menor.

Algumas outras dicas: um sofá retrátil ou reclinável garante muito mais conforto e ocupa o espaço de um sofá simples. Suporte ou painéis móveis para TV possibilitam que ela seja movida na direção desejável. Caso o ambiente tenha escadas, escolher um modelo de escadas vazadas evita divisões e pode se tornar uma peça de destaque na sala. E para as cortinas, escolha tecidos leves, lisas e sem estampas.

De qualquer forma, ouse, não tenha medo de arriscar, crie, não copie, só assim será seu!

Luciana Santos.

Outros textos do autor:
Dicas para decorar salas pequenas.

Pesquisar mais textos:

Luciana Maria dos Santos

Título:Dicas para decorar salas pequenas.

Autor:Luciana Maria Santos(todos os textos)

Imagem por: alancleaver_2000

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Carlos Rubens Neto 16-06-2016 às 16:20:24

    Excelente matéria! Parabéns Luciana ;)

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios