Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Como Sair do Endividamento? Part.2

Como Sair do Endividamento? Part.2

Categoria: Outros
Comentários: 4
Como Sair do Endividamento? Part.2

A palavra não é desconhecida para algumas famílias e é até tema de conversa constante. Desgasta relações e causa um mau estar constante em todos os que ao final de cada mês, vêm o dinheiro dos salários a ser desviado para pagar contas e ficar reduzido a nada. Acontece ainda muitas vezes o dinheiro chegar a faltar mesmo ainda antes de o receber.

O endividamento do orçamento familiar é um pesadelo para muitas casas Portuguesas e tem de ser combatido com todas as forças, disciplina e força de vontade. Acredite que vai conseguir e não desmotive. Siga as nossas dicas e vai ver que o orçamento consegue entrar nos eixos.

Faça um orçamento real. Dentro deste orçamento, tem obrigatoriamente de fazer uma separação importante. De um lado as despesas fixas e mais importantes. A água, luz, gás, casa, alimentação são gastos a que não pode fugir. Do outro lado verifique as despesas com jantares e almoços fora, desporto, cinema, teatro, telemóvel.

Agora que tem as suas despesas, verifique onde pode cortar. Fazer desporto pode não implicar gastos. Se começar a praticar atletismo perto de espaços verdes no quarteirão da sua casa, deixa de gastar dinheiro no ginásio. Quanto aos almoços fora, veja a possibilidade de passar a levar almoço para o escritório. Vai ver que a moda pega. Quanto ao telemóvel, verifique o seu tarifário e deixe de telefonar 5 vezes à sua cara-metade durante o dia. Opte por ligar só 2.

Agora reveja as despesas que pode baixar. Peça à família para que não deixem as luzes acesas sem necessidade e quanto aos banhos de imersão vão ter de ser reduzidos durante um tempo. Optem, enquanto família a tomar duches. E não se esqueça que as meias descargas do autoclismo existem por algum motivo.

Fale com o seu banco e tente negociar o prazo do empréstimo. Esta opção pode reduzir drasticamente a mensalidade da casa.

Vá de transportes para o trabalho e poupe dinheiro da gasolina.

Acontece porém que mesmo fazendo estas contenções não consiga acabar com o endividamento grave em que se encontra. As medidas mais drásticas é ter de vender a casa e comprar uma mais barata, ou até mesmo vender um dos carros. Os filhos estão em escolas privadas? Lamentavelmente vai ter de pedir transferência para uma escola pública.

Se mesmo assim não conseguir transformar o seu orçamento endividado num orçamento perfeito (com direito a PPR e pé de meia), dirija-se a instituições que ajudam a negociar as suas dívidas. A Deco pode por exemplo ajudá-lo.


Carla Horta

Título: Como Sair do Endividamento? Part.2

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 0

809 

Imagem por: alancleaver_2000

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 4 )    recentes

  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoAnabela

    24-07-2012 às 10:53:51

    Consegui negociar com o meu banco e a renda baixou imenso, mas só durante 2 anos. Durante este tempo vou ter de pagar algumas dividas para quando o período de carência da casa passar eu não volte ao mesmo. Um dos truques que utilizo é fazer ementas para 15 dias. As compras grandes são feitas 2 vezes por mês e sempre com base nas ementas que fiz. Os frescos são a única coisa que fica por ir comprando. Gerir a casa por orçamentos quinzenais e mensais foi uma forma de fazer ginástica com o dinheiro.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoPedro

    24-07-2012 às 10:53:13

    Eu arranjei um part-time para pagar os cartões de crédito e os empréstimos de consumo. Vou ter de trabalhar mais um ano inteiro para liquidar tudo na totalidade, mas vou conseguir. A minha mulher acaba por ter de ficar em casa com os miúdos, mas quando arranja uns trabalhinhos de contabilidade fora (como fazer IRS para as pessoas conhecidas) também faz. O esforço tem sido muito, mas acredito que vamos conseguir.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoFlavia

    23-07-2012 às 12:45:27

    Conheço essa situação dos cartões de crédito. Foram a minha quase ruina e para me levantar foi muito complicado. Ainda não estou numa situação desafogada, mas neste momento o que eu e o meu marido recebemos já dá para pagar as despesas e comprar o comer do mês sem problemas. Férias não temos fora de casa há mais de 2 anos, e jantar fora é daquilo que mais tenho saudades. Fizemos grandes sacrifícios, mas hoje já durmo mais tranquila.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoAnonima

    23-07-2012 às 12:45:05

    Estou numa situação muito complicada financeiramente. Já não sei onde poupar mais. Até nas compras da despensa eu tenho poupado. Opto por receitas que sirvam para mais do que uma refeição para poupar no gás. É desesperante esta situação. O meu maior problema são os cartões de crédito com juros altíssimos e prestações que fazem doer.

    ¬ Responder

Comentários - Como Sair do Endividamento? Part.2

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Pulp Fiction: 20 anos depois

Ler próximo texto...

Tema: Arte
Pulp Fiction: 20 anos depois\"Rua
Faz hoje 20 anos que estreou um dos mais importantes ícones cinematográficos americanos.

Pulp Fiction é um marco do cinema, que atirou para a ribalta Quentin Tarantino e as suas ideias controversas (ainda poucos tinham visto o brilhante “Cães Danados”).

Repleto de referências ao cinema dos anos 70 e com uma escolha de casting excepcional, Pulp Fiction conquistou o público com um discurso incisivo (os monólogos bíblicos de Samuel L. Jackson são um exemplo disso), uma violência propositadamente mordaz e uma não linearidade na sucessão dos acontecimentos, tudo isto, associado a um ritmo alucinante.

As três narrativas principais entrelaçadas de dois assassinos, um pugilista e um casal, valeram-lhe a nomeação para sete Óscares da Academia, acabando por vencer na categoria de Melhor Argumento Original, ganhando também o Globo de Ouro para Melhor Argumento e a Palma D'Ouro do Festival de Cannes para Melhor Filme.

O elenco era composto por nomes como John Travolta, Samuel L. Jackson, Bruce Willis, Uma Thurman e (porque há um português em cada canto do mundo) Maria de Medeiros.

Para muitos a sua banda sonora continua a constar na lista das melhores de sempre, e na memória cinéfila, ficam eternamente, os passos de dança de Uma Thurman e Travolta.

As personagens pareciam ser feitas à medida de cada actor.
Para John Travolta, até então conhecido pelos musicais “Grease” e “Febre de Sábado à Noite”, dar vida a Vincent Vega foi como um renascer na sua carreira.

Uma Thurman começou por recusar o papel de Mia Wallace, mas Tarantino soube ser persuasivo e leu-lhe o guião ao telefone até ela o aceitar.

Começava ali uma parceria profissional (como é habitual de Tarantino) que voltaria ao topo do sucesso com “Kill Bill”, quase 10 anos depois.

Com um humor negro afiadíssimo, Tarantino provou em 1994 que veio para revolucionar o cinema independente americano e nasceu aí uma inspirada carreira de sucesso, que ainda hoje é politicamente incorrecta, contradizendo-se da restante indústria.

Pulp Fiction é uma obra genial. Uma obra crua e simultaneamente refrescante, que sobreviveu ao tempo e se tornou um clássico.
Pulp Fiction foi uma lição de cinema!

Curiosidade Cinéfila:
pulp fiction ou revista pulp são nomes dados a revistas feitas com papel de baixa qualidade a partir do início de 1900. Essas revistas geralmente eram dedicadas às histórias de fantasia e ficção científica e o termo “pulp fiction” foi usado para descrever histórias de qualidade menor ou absurdas.

Pesquisar mais textos:

Carla Correia

Título:Pulp Fiction: 20 anos depois

Autor:Carla Correia(todos os textos)

Imagem por: alancleaver_2000

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios