Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Imóveis Arrendamento > Seja mais flexivel no aluguer de uma casa

Seja mais flexivel no aluguer de uma casa

Visitas: 16
Comentários: 1
Seja mais flexivel no aluguer de uma casa

Quando se pretende alugar casa, regra geral, têm-se algumas condições prévias em mente, que englobam o preço, a localização, a vizinhança, a dimensão da curiosidade do senhorio (que pode vir a descambar num indesejável e irritante intrometimento permanente na vida dos inquilinos), na seriedade das cláusulas do contrato (numa perspectiva de evitar futuros aborrecimentos em termos de eventuais estragos ou obras), e toda uma panóplia de dimensões práticas e mais ou menos imediatas. Ao contrário da compra, o arrendamento não obriga a um vínculo marcado e duradouro.
Portanto, e dado que pode ser uma situação temporária, verifica-se uma maior flexibilidade na aceitação de parâmetros que não estejam tanto a gosto, por contraposição aos benefícios reconhecidos.

Ainda assim, não convém nada ter uma vizinha de cima que passeie freneticamente os seus saltos altos às seis da manhã, nem outra por baixo que se lembre de arejar as ideias uma hora antes, procedendo ao quase arrancamento da janela… Por outro lado, tratando-se de um prédio, as circunstâncias envolventes também são relevantes. Imagine-se o que é ficar preso entre o décimo e o décimo primeiro andares, encerrado na escuridão de uma paragem forçada, num elevador que não eleva para lado nenhum! Não raras vezes, o desfecho desta amostra de filme de terror é a sombria e gélida cave, onde o aparelho procura segurança. Que cena mais condizente… E não é que os condomínios sejam propriamente baratos…

Dos serviços de manutenção, para além dos ascensores, fazem parte a limpeza das escadas, corredores, entrada e espaços comuns, a mudança de lâmpadas e os pequenos arranjos. Contudo, nem sempre a resposta a estas necessidades é pronta e adequada. Muitas vezes, são os próprios moradores que têm de pôr mãos à obra. Não obstante, acaba por se desenvolver entre eles um verdadeiro espírito de família (ou de aversão, consoante as empatias e o desenrolar das actividades de restauro…).

Independentemente, qualquer casa deixa em nós uma marca, porque constitui, mesmo que por pouco tempo, o nosso espaço, onde se vivem alegrias e tristezas, solidão e o convívio de familiares e amigos, Verões e Invernos, noites e dias, enfim, tudo o que compõe a vida. Deste modo, por muitos defeitos que se encontrem, aquelas paredes compartilharam um trecho da nossa história, pelo que não nos são indiferentes. Acontece amiúde que, uma vez deixadas para trás, instala-se no nosso íntimo uma repentina saudade, até do que criticávamos, e apodera-se de nós uma certa nostalgia. É o que se pode apelidar de “sentimentos à flor da parede”…

Maria Bijóias

Título: Seja mais flexivel no aluguer de uma casa

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 16

625 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    05-05-2014 às 22:46:49

    Tem que haver flexibilidade em ambas as partes. Não é apenas lançar o aluguel e pronto, é preciso avaliar o imóvel, a localização, a luz, água, quem é o seu público, enfim, é preciso oferecer algo bom e que esteja de acordo com a propriedade.

    Cumprimentos,
    SSophia

    ¬ Responder

Comentários - Seja mais flexivel no aluguer de uma casa

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Ler próximo texto...

Tema: Informática
Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?\"Rua
Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Bom, Não é de hoje que tecnologia vem surpreendendo a todos nós com grandes revoluções e os custos que diminuem cada vez mais.
Hoje em dia é comum ver crianças com smarthphones com tecnologia que a 10 anos atrás nem o celular mais moderno e caro do mercado tinha.
Com isso surgiram sugiram vários profetas da tecnologia e visionários, tentando prever qual será o próximo passo.

E os filmes retratam bem esse tema e usam essa formula que atrai a curiosidade das pessoas.
Exemplos:

Minority report - A nova lei de 2002 (Imagem)

Transcendence de 2014

Em Transcendence um tema mais conspiratório, onde um ser humano transcende a uma consciência artificial e assim se torna imortal e com infinita capacidade de aprendizagem.
Vale a pena ver tanto um quanto o outro filme. Algumas tecnologias de Minority Report, como utilizar computadores com as mãos (caso do kinect do Xbox 360 e One) e carros dirigidos automaticamente, já parecem bem mais próximo do que as tecnologias vistas em Transcendence, pois o foco principal do mesmo ainda é um tema que a humanidade engatinha, que é o cérebro humano, a máquina mais complexa conhecida até o momento.

Eu particularmente, acredito que em alguns anos teremos realmente, carros pilotados automaticamente, devido ao investimento de gigantes como o Google e o Baidu nessa tecnologia.

Também acho que o inicio da colonização de Marte, vai trazer grandes conquistas para humanidade, porém grandes desafios, desafios esses que vão nos obrigar a evoluir rapidamente nossa tecnologia e nossa forma de encarar a exploração espacial, não como um gasto, mas sim como um investimento necessário a toda humanidade e a perpetuação da sua existência.

A única salvação verdadeira para humanidade e para o planeta terra, é que seja possível o ser humano habitar outros planetas, seja localizando planetas parecidos com a terra ou mudando planetas sem condições para a vida em planetas habitáveis e isso só será possível com gente morando nesses planetas, como será o caso do Marte. O ser humano com a sua engenhosidade, aprendeu a mudar o ambiente a sua volta e assim deixou de ser nômade e da mesma forma teremos que aprender a mudar os mundos, sistemas, galáxias e o universo a nossa volta.

Espero que tenham gostado do meu primeiro texto.
Obrigado à todos!
Até a Próxima!


Pesquisar mais textos:

Érico da Silva Kaercher

Título:Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Autor:Érico da Kaercher(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios