Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Alojamento > Alojamento Para Estudantes Do Ensino Superior – Quais As Hipóteses?

Alojamento Para Estudantes Do Ensino Superior – Quais As Hipóteses?

Categoria: Alojamento
Alojamento Para Estudantes Do Ensino Superior – Quais As Hipóteses?

Nesta altura do ano, muitos estudantes procuram alojamento, para que possam frequêntar o Ensino Superior. No entanto nem sempre é fácil, pois requer um local de confiança, com boa acessibilidade, a preços que possibilitem o pagamento.

Por este motivo, e para ajudar os estudantes e os respectivos pais a escolherem uma hipótese de alojamento, elaborei uma lista de possibilidades.

Em primeiro lugar, como é habitual, vem o alojamento em quarto. Este tipo de alojamento, em geral, implica um quarto com serventia de casa de banho (e por vezes de cozinha). Geralmente, neste tipo de alojamento paga-se uma renda base pelo quarto, à qual se adiciona um valor fixo para despesas e um calendário de divisão de tarefas de limpeza.

Esta divisão de tarefas nem sempre agrada aos estudantes, que têm já bastante trabalho com os seus estudos. Por este motivo, muitos senhorios estão a contratar empregadas para limpar a casa, adicionando ao orçamento de despesas pago pelo estudante.
Embora possa parecer o ideal, este tipo de alojamento pode ficar muito caro.

Outra hipótese a considerar são as residências universitárias. Estas podem ser independentes ou fazer parte dos serviços de acção social da universidade frequentada. Neste segundo caso, as vagas estão, geralmente, sujeitas a bolsa de estudo, pois os bolseiros têm prioridade. Nestas residências, existem certas condições específicas, como o acesso a salas de estudo, cozinha, lavandaria, entre outras.
No caso das residências privadas, encontramos vários exemplos: residências para alunos Erasmos, residências pretencentes a congregações religiosas, residências particulares ou familiares dedicadas a albergar estudantes…

As residências, tendencialmente, dão direito aos alunos a, pelo menos, duas refeições diárias, sem custos adicionais.
No entanto, há formas mais económicas ou mesmo a custo zero, como vamos ver.

Caso viva numa região onde existam universidades, eis uma boa hipótese: swap. O swap consiste em encontrar um estudante residente na zona da universidade pretendida que venha estudar para a sua área de residência e trocar de casa com ele. Esta hipótese é benéfica para o estudante, que continua a viver com uma família, e para os pais ou tutores, que têm alguém para os ajudar a superar a falta do filho que se encontra longe.

Para terminar, uma possibilidade que foi, inclusivamente, focada pela Fundação Para O Desenvolvimento Social Do Porto no Programa Aconchego, é oferecer-se para viver em casa de idosos, trocando o alojamento por companhia.

Aqui ficaram algumas sujestões. Sem mais para dizer, desejo bom ano lectivo a todos!


Patrícia Carvalho

Título: Alojamento Para Estudantes Do Ensino Superior – Quais As Hipóteses?

Autor: Patrícia Carvalho (todos os textos)

Visitas: 0

626 

Comentários - Alojamento Para Estudantes Do Ensino Superior – Quais As Hipóteses?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios