Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Alojamento > Quando as estrelas descem à Terra...

Quando as estrelas descem à Terra...

Categoria: Alojamento
Quando as estrelas descem à Terra...

Os fins-de-semana, as férias e outras circunstâncias especiais ou extraordinárias, pelo menos para a maioria das bolsas, são as alturas, por excelência, em que se recorre a alojamento fora da própria casa ou de domicílios mais familiares. Normalmente, nestas ocasiões de excepção procura aliar-se o repouso ao conforto e ao sossego, para além de desfrutar do serviço, sendo que nem a cama é preciso fazer. As mulheres podem assim mudar de rotina, os filhos não têm de ouvir a mãe a mandá-los constantemente arrumar o quarto, e a desordem do marido é perdoada ou, no mínimo, relativizada.

Regra geral, estes espaços oferecem o pequeno-almoço, a que a pessoa ou os membros da família podem aceder mais tarde do que o costume, sem pressas nem stress, e sem as habituais expressões de contrariedade estampadas nos rostos. Para além disso, não há que pôr e levantar a mesa, e lavar a loiça está fora de questão (a não ser que não se tenha dinheiro para pagar a conta…).

São diversos os tipos de alojamento por que se pode optar, dependendo dos objectivos, disponibilidade do local e posses monetárias.
Nomeadamente os hotéis, regem-se pelas estrelas, salvo seja, para a designação do seu grau de magnificência e comodidade. Claro que, às vezes, mais parece que quem as lá põe, ou não sabe contar bem, ou comete enganos de legendagem… Contudo, errar é humano, certo? E a não ser que se trate de algum hotel para cães, como no filme, os frequentadores também o são, pelo que a compreensão é um requisito básico para quem pretenda instalar-se num estabelecimento “estrelado”.
Todavia, também há indivíduos que pensam que, pelo facto de pagarem mais, nada, mas mesmo nada, pode falhar. Isto é capaz de ser exigência em demasia. A tolerância é uma grande virtude e a imperfeição integra a essência de qualquer um.

Nestes casos, será melhor fazer como o milionário que, chegando ao hotel, pediu o quarto mais barato. A recepcionista estranhou, pois o filho do magnata pedia sempre a suite presidencial. Então, com paciência e boa vontade, o capitalista explicou que o seu descendente tinha um pai rico e ele não. Eis a diferença… Os conceitos de riqueza e de manutenção desta é, efectivamente, passível de diferentes interpretações… Usualmente, da parte de quem a constrói, colhem mais radicalidade e intransigência, e não será por mero acaso.

Seja como for, é necessário ver o outro lado da moeda. Nele, um número crescente de recém-desempregados e marginalizados fazem de viadutos, pontes e alpendres o seu alojamento de luxo.
Digamos que estão hospedados no hotel “Mil Estrelas”. Aqui não haverá, certamente, do que reclamar…




Maria Bijóias

Título: Quando as estrelas descem à Terra...

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 0

601 

Comentários - Quando as estrelas descem à Terra...

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Um sinal de compromisso

Ler próximo texto...

Tema: Jóias Relógios
Um sinal de compromisso\"Rua
Exibir uma aliança de compromisso é, frequentemente, motivo de orgulho e, quando se olha para ela, vai-se rodando-a no dedo e fica-se com aquela expressão ridícula na cara.

Uma questão se coloca: qual a razão de estas alianças de compromisso serem tão fininhas: será porque os seus principais clientes, os jovens, são sujeitos de poucas posses (tendendo as mesadas a emagrecer ainda mais com a crise generalizada) ou porque esse compromisso, não obstante a paixão arrebatadora, é frágil e inseguro?

Sim, porque aqui há que fazer cálculos matemáticos: x compromissos vezes y alianças…com um orçamento limitado sobre um fundo sentimental infinito…

Depois, importa perpassar os tipos destas alianças. Há as provisórias, que duram em média quinze dias; há as voadoras, que atravessam os ares à velocidade da luz quando a coisa dá para o torto; há as que insistem em cair do dedo, sobretudo em momentos em que ter um compromisso se revela extremamente inoportuno; e depois há as residentes, que uma vez entradas não tornam a sair.

Os pombos-correios usam anilhas onde figuram códigos que os identificam. Talvez não fosse completamente descabido fazer umas inscrições deste género em algumas alianças de compromisso por aí…

Só para ajudar os mais esquecidos a recordarem a que “pombal” pertencem.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Um sinal de compromisso

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Luene ZarcoLuene

    22-09-2014 às 05:46:10

    Um sinal de amor e lealdade perpétua! Adoro ver os vários modelos de aliança! Vale a pena escolher uma bem bonita!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios