Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Alojamento > Quando arrendar casa sai mais barato que ir para um hotel...

Quando arrendar casa sai mais barato que ir para um hotel...

Categoria: Alojamento
Visitas: 2
Comentários: 4
Quando arrendar casa sai mais barato que ir para um hotel...

Os viajantes estão cada vez mais criativos e poupados. A última inovação tem a ver com o alojamento. A tendência do turismo de cidade começa a abrir horizontes e em vez de se marcar dormida num hotel, já há quem prefira um lugar em que se sinta mais em casa, como tal, alugam apartamentos. Muitos acreditam que esta é a melhor maneira de se sentir a atmosfera do local.

Face a esta procura, proliferaram sites de aluguer de estadia de curta duração, havendo mesmo proprietários que investiram numa boa remodelação para conseguir cativar mais clientes. Existem factores essenciais que o possível hóspede procura, tais como a qualidade e a localização. Casas nos centros históricos, remodeladas, equipadas com electrodomésticos, berços e aparelhagem sonora, bem decoradas, são o que pode determinar ou não um arrendamento. Empresas de gestão destes apartamentos têm sido criadas. No fundo estas casas acabam por funcionar como aparthotéis, sendo o check in feito na casa com um membro da equipa e, o hóspede tem acompanhamento 24 horas por dia, através de uma linha telefónica especial. Tanto a limpeza como a manutenção estão incluídas no preço final, que ronda em média os 65 euros (casa para duas pessoas) por noite, variando estes valores de acordo com as épocas do ano e também com a duração da estada. O grande objectivo deste tipo de turismo é que as pessoas se possam sentir em casa, ao mesmo tempo que podem ter a experiência da vivência nos bairros típicos.

Este tipo de mercado é procurado maioritariamente por europeus, mas já desperta interesse junto de quem faz viagens de negócios. Muitos consideram que esta é mesmo uma forma de se sentirem em casa, tendo a vantagem de poderem também convidar pessoas para um melhor convívio. No fundo é quase como se nem saíssem de casa, podendo manter muitos dos hábitos que tinham: ir às compras, cozinhar o que mais apetece no momento, receber amigos e estes poderem comer e beber à vontade, já que existe a hipótese de dormirem lá por casa…

Se tudo o que foi descrito no texto o começa a entusiasmar e quem sabe a pensar mesmo em planear umas férias em casa, mas fora de casa, faça pesquisa na Internet que certamente irá encontrar várias opções de alojamento. Depois é só definir o local onde quer ficar, fazer contas ao dinheiro que quer gastar, ao tempo que quer ficar e reservar. Tão simples quanto isto.

Eu vou aderir e você?



Catarina Guedes Duarte

Título: Quando arrendar casa sai mais barato que ir para um hotel...

Autor: Catarina Guedes Duarte (todos os textos)

Visitas: 2

632 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 4 )    recentes

  • SophiaSophia

    21-04-2014 às 16:51:00

    A Rua Direita acredita que é uma das melhores soluções de estadia e poupa muito dinheiro. Tudo está tão caro hoje que arrendar tornou-se já bem comum!

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoSofia Nunes

    13-09-2012 às 17:12:56

    Concordo completamente consigo quando refere que alugar uma casa ou um apartamento é a forma mais eficaz de conhecermos a cultura de um país/região. Isto porque não temos à nossa disposição as mordomias de um hotel, tendo que comprar a nossa comida, procurar o nosso próprio transporte (enquanto alguns hotéis providenciam serviços de transporte aos clientes). No entanto, há algo insubstituível na estadia num hotel que nos faz sentir que estamos verdadeiramente em férias.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoRita P.

    15-03-2009 às 23:37:00

    Que ideia mais original que em tempos de crise faz todo o sentido.

    Infelizmente , eu e o meu marido estamos desempregados por isso este ao férias só mesmo as nossas idas diarias ao Café Central.

    No entanto, vou estando atenta ás oportunidades...

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoLisberto

    15-03-2009 às 13:37:00

    Galera adorei o seu texto...muito obrigado!

    ¬ Responder

Comentários - Quando arrendar casa sai mais barato que ir para um hotel...

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Ler próximo texto...

Tema: Informática
Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?\"Rua
Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Bom, Não é de hoje que tecnologia vem surpreendendo a todos nós com grandes revoluções e os custos que diminuem cada vez mais.
Hoje em dia é comum ver crianças com smarthphones com tecnologia que a 10 anos atrás nem o celular mais moderno e caro do mercado tinha.
Com isso surgiram sugiram vários profetas da tecnologia e visionários, tentando prever qual será o próximo passo.

E os filmes retratam bem esse tema e usam essa formula que atrai a curiosidade das pessoas.
Exemplos:

Minority report - A nova lei de 2002 (Imagem)

Transcendence de 2014

Em Transcendence um tema mais conspiratório, onde um ser humano transcende a uma consciência artificial e assim se torna imortal e com infinita capacidade de aprendizagem.
Vale a pena ver tanto um quanto o outro filme. Algumas tecnologias de Minority Report, como utilizar computadores com as mãos (caso do kinect do Xbox 360 e One) e carros dirigidos automaticamente, já parecem bem mais próximo do que as tecnologias vistas em Transcendence, pois o foco principal do mesmo ainda é um tema que a humanidade engatinha, que é o cérebro humano, a máquina mais complexa conhecida até o momento.

Eu particularmente, acredito que em alguns anos teremos realmente, carros pilotados automaticamente, devido ao investimento de gigantes como o Google e o Baidu nessa tecnologia.

Também acho que o inicio da colonização de Marte, vai trazer grandes conquistas para humanidade, porém grandes desafios, desafios esses que vão nos obrigar a evoluir rapidamente nossa tecnologia e nossa forma de encarar a exploração espacial, não como um gasto, mas sim como um investimento necessário a toda humanidade e a perpetuação da sua existência.

A única salvação verdadeira para humanidade e para o planeta terra, é que seja possível o ser humano habitar outros planetas, seja localizando planetas parecidos com a terra ou mudando planetas sem condições para a vida em planetas habitáveis e isso só será possível com gente morando nesses planetas, como será o caso do Marte. O ser humano com a sua engenhosidade, aprendeu a mudar o ambiente a sua volta e assim deixou de ser nômade e da mesma forma teremos que aprender a mudar os mundos, sistemas, galáxias e o universo a nossa volta.

Espero que tenham gostado do meu primeiro texto.
Obrigado à todos!
Até a Próxima!


Pesquisar mais textos:

Érico da Silva Kaercher

Título:Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Autor:Érico da Kaercher(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios