Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Eduque o seu filho a não beber

Eduque o seu filho a não beber

Categoria: Saúde
Comentários: 1
Eduque o seu filho a não beber

Muitos pais costumam em uma brincadeira divertida estar com seu filho e ele querer provar o que o pai esta tomando, às vezes por pensar que é bom, e o pai fica tirando o copo, mas muitas vezes ele logo se aborrece é dar para ele provar, ai sim, quando a criança sente que o gosto é ruim sai fazendo aquela careta, o pai se diverte e começa a insistir, mais um? E aos poucos não consegue para, e rir com os amigos, quem já viu esta brincadeira? Mas pouca gente lembra que existe lei para isso, e sendo lei deve ser aplicada até dentro de casa.

Existem muitos pais que toleram uma bebedinha do filhinho com seus coleguinhas no quintal curtindo um som ou batendo um violão. Outros dizem prefiro que meu filho tome um porre todo fim de semana, mas não quero ver ele com um cigarro de maconha. Um dado alarmante é que, os jovens estão começando a beber cada vez mais cedo, por volta de 12 anos, o que em década passada isso acontecia aos 14. A bebida entre os jovens tem várias causas, desde o mau exemplo de casa, ou pela curiosidade, ou a tendência de repetir o modelo dos adultos ou amigos, entre outras. Por isso é tão importante impedir o consumo do álcool entre os mais novos. Alertando para as conseqüências do consumo.

A regulamentação não existe à toa. Saiba que o organismo do adolescente não responde da mesma maneira que do adulto. O excesso de álcool pode levar a danos no cérebro que acabam comprometendo a memória, e o aprendizado. Nesta fase o cérebro passa por uma reorganização, e como o álcool age em praticamente todos os neurotransmissores cerebrais, ele atrapalha este processo todo esse processo. Os jovens ficam mais suscetíveis a problemas de discernimento, por isso não consegue diferenciar situações de risco, tem problemas no trabalho, nos estudos.

Saiba que os danos podem se tornar irreversíveis, atingido a memória, e a capacidade de aprendizagem, e a motivação, além de serem propensos a serem adultos alcoólatras. Senhores pais se vocês ainda acham que isso é pouco, se lembre que o álcool em qualquer idade pode ter outras conseqüências diretas como: ficar mais exposto a acidentes de transito e praticas inseguras, como sexo sem proteção. Portanto saibam que no Brasil os acidentes de trânsitos com mortes fatais estão ligados ao consumo de álcool entre jovens de 18 a 25 anos.

Saiba como manter seu filho bem longe do alcoolismo, pois em primeiro, o bom exemplo, afinal nunca foi feio não beber, ou saber o seu limite, como já falei em outros textos não existe uma medida certa para bebe, e sim o seu bom senso. Nunca permita que menores bebam em festa de casamento de parentes ou em aniversários, explique que só adultos e que deve tomar e com muito controle. Ensine-o a criticar propagandas que passam uma falsa história de que o álcool melhora a saúde. Imponha limites e controle à bebida, como saber com quem vai sair e quem são seus amigos, e que local freqüentam.

O diálogo com o filho é importante, mostre para ele sempre os prós e contra da bebida o que ela faz. Exerça a sua autoridade de pais, isso é muito importante. Caso você note que seu filho anda consumindo álcool demais, procure com urgência ajuda médica. Pois existem vários tratamentos inclusive com medicamentos. Procure saber mais sobre eles. Porém se tudo que você fizer, ainda assim seu filho continuar a exceder na bebida, faça um tratamento, isso dependerá da extensão do problema.

Algumas pessoas são capazes de tirar a bebida de sua vida ou beber em nível moderado com a ajuda de um psicólogo ou conselhos de amigos e familiares. Mas se o caso estiver muito avançado e dependente total do álcool, então procure ajuda de um especialista, pois a maioria das vezes, os viciados e dependentes precisam de tratamento médico que os ajude a parar de beber. Que pode ser em hospitais ou em clínicas especializadas, como as que se tratam viciados em drogas. Pois além de realizarem uma desintoxicação do paciente, nessas clinicas o cuidado é constante para evitar que a pessoa tente se machucar ou se matar, pois as crises de abstinências são terríveis, e até que elas passem e seja superada precisam de cuidados.

Depois que as crises de abstinência passar o próximo passo são fazer com que o paciente se mantenha sóbrio. E muitas pessoas precisam de ajuda continua, e essa ajuda pode vir de grupos de apoio, como o (Alcoólatras Anônimos), ou de sessões com psicoterapeutas. Os remédios que ajudam a pessoa a se manter sóbria durante o período de recuperação agem reduzindo os efeitos prazerosos do álcool, provocando náuseas ao beber e tratando as crises convulsivas.

O uso em excesso do álcool pode fazer com que seu corpo sofra de deficiência de uma série de vitaminas e minerais, especialmente a vitamina B. Se for este o caso, você precisará recompor a perda destas substâncias por meio de suplementos. Tratamento permanente Depois do período de desintoxicação, você deve discutir com seu médico tratamentos para se manter sóbrios e evitar recaídas. Alguns deles são: Educação sobre o álcool e outras substâncias viciantes, seus efeitos sobre o corpo, sobre sua vida e sobre a vida de seus familiares
Orientação psicológica em grupo em individual.



Waldiney Melo

Título: Eduque o seu filho a não beber

Autor: Waldiney (todos os textos)

Visitas: 0

672 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Sofia NunesSofia Nunes

    15-09-2012 às 21:20:51

    Os pais devem incentivar os filhos a não beber, mas isso não deve ser feito por meio da proibição. Sou da opinião que a proibição de um comportamento incentiva precisamente o efeito contrário, porque desperta rebelião e curiosidade. A proibição é também uma estocada na liberdade de escolha. As crianças devem, como refere, ser educadas a não beber, isto é, ensinadas pelos pais acerca dos malefícios do álcool, tanto ao nível da saúde como social.

    ¬ Responder

Comentários - Eduque o seu filho a não beber

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios