Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > As cidades na Idade Média

As cidades na Idade Média

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Visitas: 405
Comentários: 1
As cidades na Idade Média

A partir do ano 1000 verificamos um grande desenvolvimento das cidades. A expansão demográfica, assim como, a expansão agrícola permitiram a existência das cidades. O êxodo rural marca este período.

Os filhos segundos dos camponeses vão para as cidades procurar um novo modo de vida em atividades de tipo artesanal. A chegada da população, em geral, vai permitir o crescimento das cidades e o aparecimento de mais cidades.

Encontramos vários tipos de cidades na Idade Média: a civitas, uma cidade política, onde se instala o conde ou o bispo e, mais tarde, vai dar lugar a uma sede de um senhorio. Nestas cidades há comércio regional, inter-regional, nacional e internacional. Os monumentos antigos predominam e voltam a ser reutilizados para novas funções; a castrum, povoações criadas para abastecer as cidades. Aqui residiam soldados, que, com o passar do tempo, vão também passar a residir também comerciantes, artesãos e clérigos; e os portos, povoações construídas por motivos económicos. No inverno, é aqui que os mercadores se instalam.

Embora uma grande parte da população trabalhe na agricultura, cada vez mais homens e mulheres se inserem nas áreas artesanais e comerciais, fonte de grande riqueza, que gera emprego e prosperidade.

O desenvolvimento das cidades não se faz sem sobressaltos. Os mercadores vão reivindicar garantias e liberdades aos senhores, pois pagam taxas altíssimas. Surgem, assim, as Comunas. Os habitantes de uma cidade unem-se perante o senhor para obter os seus direitos, diminuindo a arbitrariedade do senhor. Estes direitos deviam ser escritos numa carta, a carta de franquia. Estas são conseguidas de forma pacífica ou violenta, dependendo da disponibilidade do senhor. Os habitantes mais ricos vão juntar-se num juramento, a juranda, para conseguirem os tais direitos dos senhores. Os senhores eclesiásticos são os que mais resistem.
As cartas de franquia dão liberdade aos mercadores para se autogovernar. São estes que vão formar as elites de poder, opressoras. O casamento é feito dentro da elite, uma maneira inteligente de não permitir a ascensão dos que estão dela, como os assalariados.

Como é de se prever, esta situação traz situações de tensão no século XIV, quando chegam as fomes e as epidemias.


Daniela Vicente

Título: As cidades na Idade Média

Autor: Daniela Vicente (todos os textos)

Visitas: 405

803 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoO Interrogador

    12-06-2017 às 22:23:25

    Qual o nome da cidade da foto

    ¬ Responder

Comentários - As cidades na Idade Média

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como Solicitar O Seguro Desemprego - Passo A Passo!

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Utilidades Domésticas
Como Solicitar O Seguro Desemprego - Passo A Passo!\"Rua
O seguro desemprego é instituído pela Lei Nº 7.998, de 11 de janeiro de 1990 e que tem por finalidade prover a assistência financeira temporária ao trabalhador desempregado sem justa causa. Foi sancionado pelo presidente da República do Brasil e também é regido pela Consolidação das Leis Trabalhistas – CLT.

Este benefício é concedido a todo e qualquer trabalhador que foi dispensado apenas em regime de sem justa causa ou quando houver acordo judicial e o juiz autorizar o pagamento devido ao ex-trabalhador da empresa.

Sua duração é de 3(três) a 5(meses) de forma contínua e dependerá do tempo em que ficou empregado. O valor mensal é calculado conforme o que o trabalhador ganhava durante o período em que estava empregado.

Essa assistência financeira e temporária tem algumas regras, por isso, é muito importante conhecê-la antes mesmo de solicitá-la nos órgãos responsáveis.

Para ter direito ao benefício:


- Precisa ter a carteira devidamente assinada da empresa;
- Ter trabalhado durante 6 meses na empresa (no mínimo);
- Não ter recebido esse benefício no período de 16(dezesseis) meses ininterruptos;
- Ter sido dispensado sem justa causa.

Quem tem direito ao benefício:


- Os trabalhadores demitidos sem justa causa;
- O pescador artesanal; e
- O empregado doméstico, desde que o empregador esteja recolhendo o Fundo de Garantia de Tempo de Serviço (FGTS).

Como solicitar – Passo a passo:


1) Dirija-se à qualquer Caixa Econômica Federal ou ao M.T.E (Ministério do Trabalho e Emprego) da sua cidade munidos dos seguintes documentos:
- Rescisão contratual, carteira de trabalho devidamente dado baixa com a data de saída e assinada e carimbada pela empresa, as duas vias do seguro desemprego preenchido e fornecido pela empresa, cartão do PIS/PASEP ou o cartão cidadão, extrato do recebimento do pagamento do FGTS, comprovante de residência e os últimos 3 (três) contra-cheques;
2) Entregue todos esses documentos ao atendente. Eles vão fornecer o protocolo de entrada do seguro desemprego, vão lhe dizer quantas parcelas você tem direito e a data que você receberá a primeira (30 dias).

Bem, apenas isso e agora é só esperar para o recebimento do pagamento das parcelas. Para consultar, acesse este link: http://granulito.mte.gov.br/sdweb/consulta.jsf
Digite com seu número de PIS/PASEP e logo abaixo com o código no visor e clique em consultar. Vai abrir outra tela com as informações das parcelas.

Pesquisar mais textos:

Briana Alves

Título:Como Solicitar O Seguro Desemprego - Passo A Passo!

Autor:Briana Alves(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios