Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > As amantes dos Reis D. Fernando, D. João I e D. Duarte.

As amantes dos Reis D. Fernando, D. João I e D. Duarte.

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Visitas: 2
Comentários: 1
As amantes dos Reis D. Fernando, D. João I e D. Duarte.

D. Fernando, filho de D. Pedro I, teve uma amante e tornou-a rainha. Estamos a falar de D. Leonor Teles, filha de Martim Afonso Telo e de D. Aldonça de Vasconcelos. Veio para Portugal após a morte do seu pai com os seus irmãos, João Afonso Teles, Gonçalo Teles e Maria Teles. Quando conheceu D. Fernando era casada com D. João Lourenço da Cunha. Conheceram-se quando esta veio à corte ver a sua irmã D. Maria Teles, dama de D. Beatriz. D. João da Cunha fugiu para Castela, e D. Leonor casou com D. Fernando. O que revoltou o Reino não foi o monarca tê-la como amante, como aconteceu no início, mas fazê-la Rainha de Portugal. Também D. Leonor Teles teve o seu amante, D. João Fernandes Andeiro, mais conhecido como Conde Andeiro.

Teve outros casos antes de D. Leonor Teles, pois sabe-se que teve uma filha em 1364. Mais intrigante foi a suposta relação de D. Fernando com a sua meia-irmã, D. Beatriz, filha de D. Pedro I e sua amante, D. Inês de Castro. D. Fernando desejou desposar esta meia-irmã, mas uma dispensa papal era impossível num caso de consanguinidade tão forte.

D. João I, sucessor de D. Fernando, teve uma relação com Inês Pires, filha de Maria Anes e Pero Esteves, apelidado o Barbadão. Conta a lenda que Pero Esteves, desgostoso da relação da sua filha com o monarca, nunca mais cortou a barba. Diz-se que se conheceram numa cerimónia religiosa e acabou quando D. João I casou com D. Filipa de Lencastre. Desta relação resultaram dois rebentos: D. Afonso e D. Beatriz. Estes estavam sempre na corte. D. João I tem outra lenda associada a ele: a lenda da Sala das Pegas. Segundo esta, quando o monarca foi apanhado pela rainha a beijar uma dama, ele respondeu que o fizera por bem.

D. Duarte foi um monarca que despertou nos historiadores algumas dúvidas. Pensa-se que poderá tido um filho bastardo, mas é uma afirmação muito duvidosa. O bastardo que se pensa chamava-se D. João Manuel, filho de D. Joana Manuel. O certo é que muito provavelmente, D. Duarte não herdou a fogosidade do pai.

Daniela Vicente

Título: As amantes dos Reis D. Fernando, D. João I e D. Duarte.

Autor: Daniela Vicente (todos os textos)

Visitas: 2

682 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • claudia isabel teixeira freitas

    15-05-2015 às 11:54:34

    ja dei isso em historia

    ¬ Responder

Comentários - As amantes dos Reis D. Fernando, D. João I e D. Duarte.

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como Solicitar O Seguro Desemprego - Passo A Passo!

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Utilidades Domésticas
Como Solicitar O Seguro Desemprego - Passo A Passo!\"Rua
O seguro desemprego é instituído pela Lei Nº 7.998, de 11 de janeiro de 1990 e que tem por finalidade prover a assistência financeira temporária ao trabalhador desempregado sem justa causa. Foi sancionado pelo presidente da República do Brasil e também é regido pela Consolidação das Leis Trabalhistas – CLT.

Este benefício é concedido a todo e qualquer trabalhador que foi dispensado apenas em regime de sem justa causa ou quando houver acordo judicial e o juiz autorizar o pagamento devido ao ex-trabalhador da empresa.

Sua duração é de 3(três) a 5(meses) de forma contínua e dependerá do tempo em que ficou empregado. O valor mensal é calculado conforme o que o trabalhador ganhava durante o período em que estava empregado.

Essa assistência financeira e temporária tem algumas regras, por isso, é muito importante conhecê-la antes mesmo de solicitá-la nos órgãos responsáveis.

Para ter direito ao benefício:


- Precisa ter a carteira devidamente assinada da empresa;
- Ter trabalhado durante 6 meses na empresa (no mínimo);
- Não ter recebido esse benefício no período de 16(dezesseis) meses ininterruptos;
- Ter sido dispensado sem justa causa.

Quem tem direito ao benefício:


- Os trabalhadores demitidos sem justa causa;
- O pescador artesanal; e
- O empregado doméstico, desde que o empregador esteja recolhendo o Fundo de Garantia de Tempo de Serviço (FGTS).

Como solicitar – Passo a passo:


1) Dirija-se à qualquer Caixa Econômica Federal ou ao M.T.E (Ministério do Trabalho e Emprego) da sua cidade munidos dos seguintes documentos:
- Rescisão contratual, carteira de trabalho devidamente dado baixa com a data de saída e assinada e carimbada pela empresa, as duas vias do seguro desemprego preenchido e fornecido pela empresa, cartão do PIS/PASEP ou o cartão cidadão, extrato do recebimento do pagamento do FGTS, comprovante de residência e os últimos 3 (três) contra-cheques;
2) Entregue todos esses documentos ao atendente. Eles vão fornecer o protocolo de entrada do seguro desemprego, vão lhe dizer quantas parcelas você tem direito e a data que você receberá a primeira (30 dias).

Bem, apenas isso e agora é só esperar para o recebimento do pagamento das parcelas. Para consultar, acesse este link: http://granulito.mte.gov.br/sdweb/consulta.jsf
Digite com seu número de PIS/PASEP e logo abaixo com o código no visor e clique em consultar. Vai abrir outra tela com as informações das parcelas.

Pesquisar mais textos:

Briana Alves

Título:Como Solicitar O Seguro Desemprego - Passo A Passo!

Autor:Briana Alves(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios