Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Palácio Nacional da Pena

Palácio Nacional da Pena

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Visitas: 6
Comentários: 3
Palácio Nacional da Pena

Quem não ouviu falar, quem não murmurou já, quem não apreciou já o lindíssimo Palácio Nacional da Pena? É de louvar que este seja muito conhecido, nacionalmente e internacionalmente, estando já eleito em uma das 7 maravilhas de Portugal, merecidamente claro, pela sua beleza interior e exterior, pela sua estrutura deliciosa, o seu “desenho” maravilhoso.

Visivelmente muito visitado, poderá ser ele visitado no concelho de Sintra, distrito de lisboa, é la que se encontra a sua localização. Ele é caracterizado por ser o primeiro palácio do estilo “romantismo” a ser construído na Europa no século XIX.




Ele foi habitado por vários Reis, dos quais deles Dom Pedro V e Dona Estefânia no reinado de 1853 a 1861, em seguida, Dom Luís I e Dona Maria Pina no reinado de 1861 a 1889. Seguiu-se Dom Carlos I e Dona Amélia no reinado de 1889 a 1908 e por último o Palácio da Pena oi habitado pelo Rei Dom Manuel II de Portugal no seu reinado de 1908 a 1910.

O Parque da Pena foi concretizado em conjunto com o Palácio da Pena, fazendo “ um só “, constituído por mais de 200 hectares, apresentado um manto coberto de arvoredos, poderá ser visto pelos seus visitantes apreciadores desta magnífica obra de arte. Neste Parque, poderá caminhar, passear, existindo percursos apropriados para tal, graças á construções de pontes, grutas, jardins e respetivos bancos, pérgulas e fontes.

Voltando ao tema, Palácio da Pena, interiormente, pode encontrar-se a Sala dos Veados, utilizada para exposições, a Sala de Saxe onde predomina a porcelana de Saxe, o Salão Nobre existindo móveis, estuques e lustres do século XIV ao século XIX, o Atelier do Rei Dom Carlos, o terraço da Rainha sendo o melhor sítio onde se pode apreciar a arquitetura do Palácio. Existe também o Claustro Manuelino revestido de azulejos hispano-árabes, a Capela, sendo ela uma parte original do antigo mosteiro dos frades Jerônimos, os aposentos, uma Sala Indiana com obras de arte valiosíssimas como por exemplo o lustre em cristal da Boémia e existindo também uma Sala Árabe que expõe pinturas do famoso pintor Paolo Pizzi e outras pinturas em pratos do rei-artista, em outras salas.

André Belacorça

Título: Palácio Nacional da Pena

Autor: André Belacorça (todos os textos)

Visitas: 6

643 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 3 )    recentes

  • Briana AlvesBriana

    18-08-2014 às 04:03:09

    Que lindo esse Palácio Nacional da Pena! Quero muito visitá-lo!

    ¬ Responder
  • Carla HortaCarla Horta

    17-09-2012 às 23:53:40

    este é um dos locais mais maravilhosos que já visitei. Não é por acaso que é um dos monumentos mais visitados em Portugal e que é falado em e por todo o mundo. Quem nunca o visitou, não perca a oportunidade e visite. é memorável. O texto tem uma descrição fantástica, mas vai ficar ainda mais impressionado com o que vai ver...

    ¬ Responder
  • Sofia NunesSofia Nunes

    17-09-2012 às 12:43:14

    Conheço a maioria dos palácios e castelos de Portugal, sendo no entanto o da Pena aquele que mais me fascina. Talvez esta preferência, que pareço partilhar com muitos dos apreciadores da nossa História, se deva à forma como os interiores do palácio se apresentam ao público extremamente conservados no seu recheio, sendo-nos oferecida à vista uma panóplia de objectos e artigos de decoração que parecem dispostos da forma que estariam se o palácio fosse habitado.

    ¬ Responder

Comentários - Palácio Nacional da Pena

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Contador de moedas

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Material Escritório
Contador de moedas\"Rua
O mundo dos negócios exige um grande dispêndio de energia e muitas horas de trabalho. No entanto hoje já é possível fazer recurso da alta tecnologia para poupar tempo e dinheiro. O recurso às funções do computador para o comércio facilita e atrai muitos clientes para empresas e comerciantes. No que diz respeito a contas é possível fazer uma contagem rápida e eficaz do dinheiro, sem passar horas a contar e com o risco de engano. É por isso que cada vez mais pessoas ligadas a negócios e serviços optam por adquirir um contador de moedas. Deste modo sabem que poupam tempo e não falham na sua contagem.

Dos inúmeros equipamentos que a alta tecnologia põe ao dispor, este é sem dúvida um equipamento que beneficia em muito o trabalho de muita gente. Por ser pequeno é muito cómodo e exige pouco espaço, ou melhor pode ser colocado em qualquer lugar.

Torna-se evidente que as novas tecnologias vieram para simplificar a vida e trazem muitas vantagens, rentabilizam e poupam tempo. No caso do contador de moedas, sem enganos, falhas e complicações. É o ideal para ter num escritório de uma empresa, em escolas, cafés, pastelarias, salões de jogos, bancos, cinema, serviços financeiros e de tesouraria e outros ligados a serviços públicos e privados.

Em resumo, se está ligado a qualquer trabalho de comércio ou serviços pode poupar muto tempo e problemas apenas colocando um equipamento destes no seu espaço de trabalho. As suas vantagens são inúmeras, em especial: permite realizar uma contagem rápida das moedas dividindo-as e fazendo a sua soma, conta o total das moedas, o valor total em cada tipo de moedas e a quantidade de todas as moedas.

Contem e separa no mínimo duzentas e vinte moedas por minuto, sem erro, conta e separa tudo no mesmo equipamento, permite alimentar o aparelho com quantidades entre as trezentas e quinhentas moedas de cada vez e continuar a adicionar mais moedas enquanto está a contar. Além disso o aparelho pode ser programado para separar um número de moedas predeterminado.

O seu design é bastante inovador e resistente. Os materiais de elevada qualidade, de fácil ligação e paragem automática.

Possui uma elevada funcionalidade, baixo consumo (70W), pouco peso, aproximadamente quatro kg, velocidade ultra rápida, pequena dimensão e estão todos certificados pela EU. Deste modo também possuem garantia, são fáceis de usar e de arrumar.

As suas funções práticas permitem que o contador de moedas possa estar em qualquer lugar.

Pesquisar mais textos:

Teresa Maria Batista Gil

Título:Contador de moedas

Autor:Teresa Maria Gil(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios