Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Palácio Nacional da Pena

Palácio Nacional da Pena

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Visitas: 6
Comentários: 3
Palácio Nacional da Pena

Quem não ouviu falar, quem não murmurou já, quem não apreciou já o lindíssimo Palácio Nacional da Pena? É de louvar que este seja muito conhecido, nacionalmente e internacionalmente, estando já eleito em uma das 7 maravilhas de Portugal, merecidamente claro, pela sua beleza interior e exterior, pela sua estrutura deliciosa, o seu “desenho” maravilhoso.

Visivelmente muito visitado, poderá ser ele visitado no concelho de Sintra, distrito de lisboa, é la que se encontra a sua localização. Ele é caracterizado por ser o primeiro palácio do estilo “romantismo” a ser construído na Europa no século XIX.




Ele foi habitado por vários Reis, dos quais deles Dom Pedro V e Dona Estefânia no reinado de 1853 a 1861, em seguida, Dom Luís I e Dona Maria Pina no reinado de 1861 a 1889. Seguiu-se Dom Carlos I e Dona Amélia no reinado de 1889 a 1908 e por último o Palácio da Pena oi habitado pelo Rei Dom Manuel II de Portugal no seu reinado de 1908 a 1910.

O Parque da Pena foi concretizado em conjunto com o Palácio da Pena, fazendo “ um só “, constituído por mais de 200 hectares, apresentado um manto coberto de arvoredos, poderá ser visto pelos seus visitantes apreciadores desta magnífica obra de arte. Neste Parque, poderá caminhar, passear, existindo percursos apropriados para tal, graças á construções de pontes, grutas, jardins e respetivos bancos, pérgulas e fontes.

Voltando ao tema, Palácio da Pena, interiormente, pode encontrar-se a Sala dos Veados, utilizada para exposições, a Sala de Saxe onde predomina a porcelana de Saxe, o Salão Nobre existindo móveis, estuques e lustres do século XIV ao século XIX, o Atelier do Rei Dom Carlos, o terraço da Rainha sendo o melhor sítio onde se pode apreciar a arquitetura do Palácio. Existe também o Claustro Manuelino revestido de azulejos hispano-árabes, a Capela, sendo ela uma parte original do antigo mosteiro dos frades Jerônimos, os aposentos, uma Sala Indiana com obras de arte valiosíssimas como por exemplo o lustre em cristal da Boémia e existindo também uma Sala Árabe que expõe pinturas do famoso pintor Paolo Pizzi e outras pinturas em pratos do rei-artista, em outras salas.

André Belacorça

Título: Palácio Nacional da Pena

Autor: André Belacorça (todos os textos)

Visitas: 6

643 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 3 )    recentes

  • Briana AlvesBriana

    18-08-2014 às 04:03:09

    Que lindo esse Palácio Nacional da Pena! Quero muito visitá-lo!

    ¬ Responder
  • Carla HortaCarla Horta

    17-09-2012 às 23:53:40

    este é um dos locais mais maravilhosos que já visitei. Não é por acaso que é um dos monumentos mais visitados em Portugal e que é falado em e por todo o mundo. Quem nunca o visitou, não perca a oportunidade e visite. é memorável. O texto tem uma descrição fantástica, mas vai ficar ainda mais impressionado com o que vai ver...

    ¬ Responder
  • Sofia NunesSofia Nunes

    17-09-2012 às 12:43:14

    Conheço a maioria dos palácios e castelos de Portugal, sendo no entanto o da Pena aquele que mais me fascina. Talvez esta preferência, que pareço partilhar com muitos dos apreciadores da nossa História, se deva à forma como os interiores do palácio se apresentam ao público extremamente conservados no seu recheio, sendo-nos oferecida à vista uma panóplia de objectos e artigos de decoração que parecem dispostos da forma que estariam se o palácio fosse habitado.

    ¬ Responder

Comentários - Palácio Nacional da Pena

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como fazer disfarces de Carnaval

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Vestuário
Como fazer disfarces de Carnaval\"Rua
O ano começa e depressa chega uma data muito ansiada principalmente pelos mais jovens: o desejado Carnaval!

Esta é uma data que os pequenos adoram e deliram com as fantasias. O problema maior é a despesa que os disfarces representam e no ano seguinte já não usarão o mesmo disfarce ou, no caso dos mais pequenos, já não lhes serve.
O melhor nesta data é mesmo reciclar e aprender a fazer disfarces caseiros utilizando truques mais económicos e materiais reciclados para preparar as fantasias dos pequenitos!

Uma sugestão para os meninos é o traje de pirata que pode facilmente ser criado a partir de peças que tenha em casa. Procure uma camisa de tamanho grande e, de preferência, de cor branca com folhos. Se não tiver uma camisa com estas características facilmente encontrará um modelo destes no guarda-vestidos de alguma familiar, talvez da avó.

Precisará de um colete preto. Na falta do colete pode utilizar um casaco preto que esteja curto, rasgue as mangas pelas costuras dos ombros. As calças devem ser velhas e pretas para poderem ser cortadas na zona das pernas para envelhecer a peça. Coloque um lenço preto ou vermelho na cabeça do menino e, de seguida, com um elástico preto e um pouco de velcro tape um dos olhos.

Para as meninas não faltam ideias originais para fazer disfarces bonitos e especiais para este dia. Uma ideia original é a fantasia de Flinstone. É muito fácil e prática de fazer e fica um disfarce muito bonito. Comece por arranjar um pedaço de tecido branco. Coloque o tecido em volta do corpo como uma toalha de banho e depois amarre num dos braços fazendo uma alça. Depois corte as pontas em ziguezague mantendo um lado mais comprido que o outro. Amarre o cabelo da menina todo no cimo da cabeça, como se estivesse a fazer um rabo-de-cavalo mas alteie-o mais. Com o auxílio de um pente frise o cabelo, pegando nas pontas e passando o pente em sentido contrário até que fique todo despenteado. Numa loja de disfarces compre um osso de plástico e prenda na fita da criança.

Pegue nos materiais, puxe pela imaginação e ponha mãos ao trabalho!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Como fazer disfarces de Carnaval

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    09-06-2014 às 04:01:21

    Não em carnaval, mas em bailes de fantasia, sempre usei o TNT. Eles são ótimos para trabalhar o corte, para costurar e deixa bem bonito!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios