Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > A sexualidade na adolescência

A sexualidade na adolescência

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Visitas: 10
Comentários: 4
A sexualidade na adolescência

Muito se tem falado, nos últimos tempos, da Educação Sexual que deve ser ministrada na escola como disciplina obrigatória, e a polémica a este respeito vem atulhando inúmeros noticiários e servido de arma de arremesso político. Porém, parece que ninguém ainda percebeu muito bem do que é que, afinal, se trata ou deve tratar.

De facto, a sexualidade tem de ser entendida como algo que vai imensamente além dos comportamentos sexuais. Se é para explanar os aparelhos reprodutores e os aspetos fisiológicos, não é preciso criar mais uma matéria para estudar: a Biologia já dá resposta a essas questões. Falta, contudo, explorar outras, complementares e, porventura, mais relevantes. Na realidade, ser-se sexuado(a) significa possuir uma integração indissociável de fatores biológicos, psicológicos e culturais. Portanto, sendo a sexualidade multidimensional, a sua abordagem tem, necessariamente, de ser transversal.

Aquilo que presentemente é proposto para ensinar às crianças não apresenta consensualidade entre os pedopsiquiatras e pedagogos. Para além da flexibilidade e das possíveis variações no currículo–base que defendem, tendo em conta a sensibilidade dos pais e o contexto da comunidade em que estão inseridas as famílias, mostram-se ainda a favor de alguma heterogeneidade e, acima de tudo, de um extremo cuidado para não ferir suscetibilidades, como pode acontecer com determinadas imagens nos correntes manuais. Paralelamente, no seio médico há quem advogue a criação de novos guias em que temas como o álcool, as drogas, a violência e a alimentação sejam incluídos.

As relações intrafamiliares, à semelhança das atitudes e comportamentos perante a sexualidade, mudaram bastante nas últimas décadas, e é importante perceber os reflexos dessas mudanças na vida das crianças e adolescentes. Cada vez mais, a educação sexual não se refere, na essência, à transmissão de conhecimentos, mas deve basear-se em atitudes (de preferência, coerentes), industriadas pelos pais e professores e pela escola, em uníssono.

Não vale a pena andar a tentar “passar a batata quente”, alegando que a educação sexual é algo alheio à escola, ou procurar especialistas (que atuariam no sistema educativo, mas de fora). Sendo que as dimensões afetiva e sexual fazem parte da formação integral da pessoa, a Educação Sexual deve ser integrada no currículo, mas de forma prudente e sensata, relacionando o corpo do rapaz e da rapariga com os sentimentos e as emoções, a autoimagem e a imagem do outro, e o sentido de responsabilidade. E, já agora, dando conta de realidades (quiçá com menores probabilidades de reivindicação nas manifestações de estudantes em prol da implementação da tão reclamada matéria), como a mutilação genital feminina, a sexualidade associada à deficiência e o drama dos abusos sexuais.


Maria Bijóias

Título: A sexualidade na adolescência

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 10

810 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 4 )    recentes

  • Rafaela CoronelRafaela

    28-07-2014 às 07:03:20

    Seria muito bom se os pais entendessem que a mente de uma adolescente é super vulnerável e que precisa muito de educação sexual. Se isso não vem dos pais, eles acabam aprendendo o que não devem lá fora. Que isso mude!

    ¬ Responder
  • Carla HortaCarla Horta

    16-09-2012 às 22:48:07

    A sexualidade na adolescência existe e temos de viver com uma emancipação dos nossos jovens. Há que, enquanto pais e educadores, informá-los, pois ainda existem muitos tabus, muitas duvidas e muitos, muitos mitos por tratar. É problemático a falta de informação e pior que tudo, a má informação.

    ¬ Responder
  • mauricio camutalimauricio camutali

    06-04-2011 às 14:08:55

    é bom adaptar-mos mais em leitura educativo muito mais bom para os adolescente... beijosss....

    ¬ Responder
  • António Manuel dos Santos Costa, Lda.daniela ferreira

    27-04-2010 às 15:47:19

    eu axo k as motas sao um espectáculo
    na minha opinião todos deviam ter uma mota mas uma mota dakelas boas até as pessoas mais pobres deviam ter uma

    ¬ Responder

Comentários - A sexualidade na adolescência

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Estratégia do arco-íris

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Serviços
Estratégia do arco-íris\"Rua
Pessoas comuns estão a descobrir novas estratégias que supostamente fazem dinheiro rápido. Mas, a verdade da questão é que, isso é quase impossível. Ao longo de sua jornada de negociação, vai experimentar algumas vitórias e derrotas. Então, vejamos uma das estratégias que irá produzir mais vitórias do que derrotas: a estratégia do arco-íris. Esta é uma estratégia muito poderosa que qualquer um pode utilizar, especialmente novatos lá fora. Se é novo no comércio de opções binárias e gostaria de ganhar dinheiro online, esta é a estratégia ideal para si.

A estratégia do arco-íris envolve um período de 6, 14 e 26 períodos, períodos de média móvel exponencial. Estes permitem filtrar os movimentos menores no mercado e dar-lhe uma visão clara da tendência.

O mercado está numa tendência alta quando o período de 6 EMA está no topo dos 14 períodos EMA e dos 26 períodos EMA. A tendência baixa ocorre quando as EMA cruzam-se. Agora, os 26 períodos EMA devem estar no topo da EMA de 14 períodos. Em tendências altas, os comerciantes devem concentrar-se principalmente em opções de compra.

Uma opção de compra pode ser acionada quando o preço para baixo remonta à EMA 14 e começa a mover-se para cima. Uma opção de venda pode ser acionada quando o preço refaz para cima, e os períodos EMA 14 começam a mover-se para baixo.

As vantagens desta estratégia é que muitos dos sinais são precisos e não requerem muita análise para fazer um bom negócio. Com a gestão de risco adequada, pode fazer desta a sua principal estratégia. Mas, antes de tomar essa decisão, saiba que existem algumas desvantagens. O preço às vezes pode ir além dos 14 períodos de EMA. Alguns comerciantes podem não saber como reagir a isso.

Além disso, mesmo se os mercados são tendências, ainda existe a possibilidade de dar sinais falsos, mas com a gestão de riscos aplicadas, esses sinais falsos não causam muito dano. Combinar esta estratégia com coisas como Fibonacci, linhas de tendência ou médias móveis podem ajudar a reduzir as chances de perdas.

Em geral, a estratégia do arco-íris é um grande indicador. Ele faz maravilhas nos mercados de tendências e é muito fácil de usar para os comerciantes de todos os níveis. No fim de contas, é apenas uma questão de fazer uma boa gestão de risco. É uma ótima estratégia para iniciantes começarem a usar e obterem vitórias, experiência e bastante dinheiro.

Pesquisar mais textos:

Jerónimo Diogo Magalhães

Título:Estratégia do arco-íris

Autor:Jerónimo Diogo Magalhães(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios