Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Tempos Livres

Tempos Livres

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Visitas: 14
Comentários: 3
Tempos Livres

O conceito de Tempo Livre é frequentemente sinónimo de lazer e ócio, pelo que a definição a aplicar como factor de convergência entre os diversos termos é a ausência de qualquer actividade concreta. Deste modo o conceito de Tempo Livre poderá ser considerado como o tempo em que estamos livres para fazer o que nos apetecer, ou seja, estamos livres de qualquer actividade obrigatória, tal como estudar, trabalhar, etc….

O tempo livre é uma situação em que não há obrigação de realizar uma determinada tarefa.

Isto significa reconhecer o direito de "não fazer nada" este estado é o resultado de uma escolha feita livremente, e não a falta de incentivos ou recursos.

É difícil explicar a noção de tempo livre em si mesma sem a articular com outras noções temporais, como sejam o tempo de trabalho, o tempo de ócio ou tempo de lazer.
Existem diversas formas de classificação dos Tempos Livres, uma vez que ao caracterizarmos as actividades que se praticam na parte do dia em que não estamos ocupados com actividades obrigatórias, encontramos actividades de cariz cultural, social, desportivo, educativo, terapêutico, turístico etc.

É com normalidade que, na actualidade, o indivíduo encontre o seu dia preenchido com as mais diversas formas de actividades de ocupação de Tempos Livres. Assim, como actividades de cariz cultural poderemos considerar o cinema, teatro, concertos musicais, exposições de arte, etc., como actividades de cariz social, os encontros nos cafés, nos ginásios, nos chats da internet, nas saídas nocturnas, etc., de cariz desportivo, em actividades como o ginásio, o futebol, o jogging, as actividades físicas de ar livre, etc., de cariz educativo, em conferências, fóruns de opinião, escolas de música, arte, etc., de cariz terapêutico tais como os spas, as termas, etc., de cariz turístico, tais como as viagens para países estrangeiros, viagens de aventura, etc..

Ao longo da história, os conceitos de lazer, ócio e tempo livre foram sendo modificados acompanhando as mudanças de valores e comportamentos, relacionados sempre comos aspectos sociais, políticos, económicos e culturais vigentes em cada época.

Importa, por isso, ter presente que, na evolução histórica do movimento dos tempos livres, estes tempos nunca foram sinónimo de tempos libertos. Não basta pensar que, pelo facto de normalmente o tempo de trabalho ser calculado numa base de 7 horas diárias, automaticamente possuímos 17 horas para gerir de acordo com a nossa vontade. Estamos condicionados por um conjunto de factores, nomeadamente:

● A deslocação do local de residência para o local de trabalho, e vice-versa que, normalmente, nos grandes centros urbanos, é marcada por uma perda de tempo e nalguns casos, chega a consumir muitas horas diárias perdidas em filas de trânsito e em transportes colectivos, provocando, para além do desperdício de tempo, uma saturação que interfere com o viver em família.

● A constatação de que o tempo livre não é, automaticamente, um tempo liberto, pois no exercício do nosso dever de cidadania é-nos retirado tempo para obrigações: ir às finanças, banco, correios. Tempo para necessidades fisiológicas, comer, dormir, higiene pessoal.

Portanto, o conceito de tempo livre refere-se a uma parcela significativa do tempo que as pessoas possuem. É o espaço temporário em que não temos necessidades ou obrigações.

É, logo, o tempo que permanece após o tempo de trabalho e do trabalho que não foi projectado para atender às necessidades.


Laura Andrade

Título: Tempos Livres

Autor: Laura Andrade (todos os textos)

Visitas: 14

767 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 3 )    recentes

  • Luene ZarcoLuene

    18-08-2014 às 04:10:35

    Os tempos livres servem para aproveitarmos ao máximo em divertimentos, alegrias. Principalmente, atividades de movimentos, passeios, pic nic com amigos, família...hum, há muitas formas de usar esse tempo para entreter. Tem que usufruir da vida.

    ¬ Responder
  • Carla HortaCarla Horta

    18-09-2012 às 00:02:34

    Sofia, achei a sua observação perfeita. Chamam-se tempos livres para serem vividos em liberdade e não amordaçados no sofá. Há tantas actividades em conjunto com amigos e/ou família que podem ser feitos e mesmo com pouca imaginação e sem se investir qualquer dinheiro. Saia do seu sofá e passe a considerar outros locais os seus eleitos de maior conforto. Divirta-se.

    ¬ Responder
  • Sofia NunesSofia Nunes

    16-09-2012 às 21:34:10

    Não considero que os tempos livres devam ser momentos de ócio. Ouvi há uns dias um humorista referir-se à questão e só posso concordar com ele, quando afirmava que, se trabalhamos para termos a possibilidade de fazermos, nos tempos livres, aquilo de que gostamos, porque havemos de passar os fins-de-semana no sofá? É um ponto de vista com lógica. Devemos, isso sim, aproveitar estes lapsos de tempo para nos dedicarmos àquilo que nos estimula.

    ¬ Responder

Comentários - Tempos Livres

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como fazer disfarces de Carnaval

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Vestuário
Como fazer disfarces de Carnaval\"Rua
O ano começa e depressa chega uma data muito ansiada principalmente pelos mais jovens: o desejado Carnaval!

Esta é uma data que os pequenos adoram e deliram com as fantasias. O problema maior é a despesa que os disfarces representam e no ano seguinte já não usarão o mesmo disfarce ou, no caso dos mais pequenos, já não lhes serve.
O melhor nesta data é mesmo reciclar e aprender a fazer disfarces caseiros utilizando truques mais económicos e materiais reciclados para preparar as fantasias dos pequenitos!

Uma sugestão para os meninos é o traje de pirata que pode facilmente ser criado a partir de peças que tenha em casa. Procure uma camisa de tamanho grande e, de preferência, de cor branca com folhos. Se não tiver uma camisa com estas características facilmente encontrará um modelo destes no guarda-vestidos de alguma familiar, talvez da avó.

Precisará de um colete preto. Na falta do colete pode utilizar um casaco preto que esteja curto, rasgue as mangas pelas costuras dos ombros. As calças devem ser velhas e pretas para poderem ser cortadas na zona das pernas para envelhecer a peça. Coloque um lenço preto ou vermelho na cabeça do menino e, de seguida, com um elástico preto e um pouco de velcro tape um dos olhos.

Para as meninas não faltam ideias originais para fazer disfarces bonitos e especiais para este dia. Uma ideia original é a fantasia de Flinstone. É muito fácil e prática de fazer e fica um disfarce muito bonito. Comece por arranjar um pedaço de tecido branco. Coloque o tecido em volta do corpo como uma toalha de banho e depois amarre num dos braços fazendo uma alça. Depois corte as pontas em ziguezague mantendo um lado mais comprido que o outro. Amarre o cabelo da menina todo no cimo da cabeça, como se estivesse a fazer um rabo-de-cavalo mas alteie-o mais. Com o auxílio de um pente frise o cabelo, pegando nas pontas e passando o pente em sentido contrário até que fique todo despenteado. Numa loja de disfarces compre um osso de plástico e prenda na fita da criança.

Pegue nos materiais, puxe pela imaginação e ponha mãos ao trabalho!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Como fazer disfarces de Carnaval

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    09-06-2014 às 04:01:21

    Não em carnaval, mas em bailes de fantasia, sempre usei o TNT. Eles são ótimos para trabalhar o corte, para costurar e deixa bem bonito!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios