Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > Textos de Hoje

Textos de Hoje

Categoria: Literatura
Visitas: 2
Comentários: 4
Textos de Hoje

Tantos Sentimentos

Tantos sentimentos que
me angustia,
me faz amar cada vez a
vida do jeito que ela é,
do jeito que ela foi feita
exclusivamente à mim
e à você que sempre
estraga,
que sempre escolhe o
caminho que não à mais
a volta ou a resignação
[...]
Tantos sentimentos que
fazem dos nossos corações
um bolsam
de paixão
e ilusão que ilude nossa almas
que tão empobrecida e
carente sobrevive
[...]
Tantos sentimentos que
reside em nós purifica nossas
alma e que precariamente,
abominam e
aterrorizam a nossa alma.

86) Uma Rosa

Uma rosa que à
em seu coração
que permite-me
enxergar a pureza
da sua alma e
o seu caráter que
cada vez mais me prende
a imensidão de um
horizonte que as duas
metades dos nossos
corações que me
completam e
permite-me ver
a beleza que sei
que existe
[...]
Uma rosa que em
seu coração reside
e eu vou tirando com
delicadeza para que toda
a sua beleza seja contemplada
por toda sua alma.

87) Um Coração

Um coração que com suas
diferenças envenenam a
paixão que em meu coração
reside,
um coração em que a
primavera nunca chega
ao fim,
o fim da primavera
faz em mim,
acabar as cores das
flores que enfeitam e
embelezam o meu coração
[...]
E a ilusão que em um sono
profundo está,
infelizmente,
acordará,
ressuscitará massacrando em
mim a vontade de viver a
liberdade de amar.

88) A Liberdade de Amar

A liberdade de amar
concede a nós o
prazer de cuidar,
de zelar,
de proteger e
até sacrificar a
nossa própria vida
pela loucura que é amar
sem ser amado e
contemplado
[...]
Pela loucura que é amar,
cuidar,
proteger e
zelar sem ter o que
supre a sua necessidade
amar um outro alguém,
uma outra metade de um
coração perdido e
massacrado pela ilusão
que sem fim me assombra.

89) Estava Aqui

Estava aqui em meio
da escuridão que fui
abandonado por ti,
lembrando dos nossos
momentos de felicidade
que é simplesmente,
a consagração da alegria
de nossos corações
[...]
Estava aqui sozinho
lembrando dos momentos
peculiares que me fazem
rir sem parar,
me fazer amar você que é
minha sombra,
meu reflexo que reflete
nesta água da lagoa
azul,
estava aqui lembrando
como que nosso amor
se esgotou com o
desgaste que foi desmantelando
e manchando o tapete vermelho
que em meu coração estava na
porta de entrada do nosso
palácio de diamantes
[...]
A cada mancha de sangue
que em meu coração
despejava por causa de seu
tão desagradável e
desarmonioso em nosso
tapete que com carinho
estendi
[...]
Foi causando em mim
o desgosto de amar,
um machucado em que
mim,
bem lá no fundo não cicatriza
por estar cravado
em minha memória,
esse desgosto de amar
não tem cura nem com
a desfalecia de minha alma.

90) Nos Teus Olhos

Nos teus olhos
te procuro,
contemplo a beleza
interna e
externa de sua alma
que desconhecia
a tua supremacia
que agoniava-me
só em pensar que ainda
estou sem a delicada
metade do teu coração
que completa o meu
[...]
Nos teus olhos só
observo a riqueza da
tua alma que enriquece
a minha alma,
que enfeita o meu coração
enfeitando com seus
diversos chocalhos de
ouro.

91) Rebanho

Rebanho da alma,
do meu coração,
que enriquece o
meu caráter,
que enriquece-me
de sentimentos
e emoções.


Kaique Barros

Título: Textos de Hoje

Autor: Kaique Barros (todos os textos)

Visitas: 2

606 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 4 )    recentes

  • Kaique BarrosKaique Barros

    06-03-2016 às 21:27:38

    Eu que agradeço o comentário de todos.
    Muito obrigado!

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãofigo

    25-04-2014 às 10:27:01

    muito bons textos, o que gostei mais foi ...Nos teus olhos

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãojuca

    22-04-2014 às 22:12:41

    eu adorei, gostei muito, obrigado

    ¬ Responder
  • SophiaSophia

    20-04-2014 às 16:54:49

    Fantástico, a Rua Direita agradece pela sua inspiração tão boa!

    ¬ Responder

Comentários - Textos de Hoje

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios