Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Desporto > O meu ginásio é a minha piscina

O meu ginásio é a minha piscina

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Desporto
Visitas: 6
Comentários: 2
O meu ginásio é a minha piscina

Nós sabemos muito bem que nadar é um excelente exercício para manter a forma física, mas podemos aproveitar melhor a piscina para estarmos em forma. Que tal aproveitar para trabalhar os abdominais? Segure-se na piscina ou com uma bóia, flexione as pernas encostando os seus joelhos ao peito, estimulando os músculos abdominais ao mesmo tempo que ergue os joelhos.

Também pode fazer este exercício de pés pousados, só com a cabeça fora da água, puxe os joelhos até ao peito. Ouro exercício bom é colocar as mãos na anca e movimentar-se para a frente e para trás e alternando em movimento circular da esquerda para a direita e vice-versa.

Os exercícios para a anca são muito eficientes na piscina – coloque-se na parte mais funda da piscina e levante uma perna de cada vez para a frente, para o lado e para trás. A maior parte dos exercícios pode ser feita na base da repetição entre 10 a 20 vezes, sendo que mal acabe um, comece com outro.

O exercício físico na piscina é facilmente adaptável ao seu ritmo e condição física, mas é claro que se seguir um programa consistente de exercício, os resultados serão melhores, como em qualquer outra actividade e manutenção física. A duração das sessões pode começar com 5 minutos e gradualmente alongar-se para os 30 minutos, podendo incluir aqui sessões de natação durante a rotina. Praticada 2 vezes por semana, é ideal para aqueles que não têm outra actividade de manutenção física.

O bom desta actividade é que é suave para as articulações, o que torna possível praticar todos os dias, mas deve progredir ao seu ritmo. Outro aspecto bastante apelativo é o de poder ser praticado por todos em qualquer idade e imagine a diversão das crianças a comandar uma sessão de exercícios.

O exercício físico na piscina consegue refrescar as suas energias, vitalizando a sua condição física e oferece-lhe uma actividade divertida de se manter em forma.


Rua Direita

Título: O meu ginásio é a minha piscina

Autor: Rua Direita (todos os textos)

Visitas: 6

779 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • Briana AlvesBriana

    30-06-2014 às 21:17:56

    Não tem melhor exercício que a prática na piscina. Você pode nadar, fazer hidroginástica, massagens, dentre outros. Além do mais, o ato de nadar trabalha todo o corpo, deixando-o mais modelado e bonito. Vale a pena também porque a água relaxa muito a nossa mente e corpo.

    ¬ Responder
  • BrunoBruno

    20-01-2010 às 12:50:01

    Muito boas as dicas!! alguem mais saberia de outros exercicios para praticar na piscina?? qualquer coisa envie no meu email! [email protected]

    ¬ Responder

Comentários - O meu ginásio é a minha piscina

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios