Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Automóveis > Tenha uma condução ecológica e eficiente

Tenha uma condução ecológica e eficiente

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Automóveis
Comentários: 2
Tenha uma condução ecológica e eficiente

Uma condução ecológica torna-se mais eficiente, tal como uma condução eficiente traduzirá, necessariamente, uma condução mais ecológica. Na prática, para além de se tirar maior partido das capacidades dos carros, e da redução do consumo de combustível, da emissão de gases poluentes e de gases com efeito de estufa (que contribuem para o aquecimento global) e do ruído, reduz-se também a sinistralidade, já que a segurança é outra das consequências de uma condução mais racional.

Antes de tudo, da opção de compra do veículo dependerão fatores como o nível de consumos, o tipo de combustível, a aerodinâmica, a potência, a segurança, o grau de emissões para a atmosfera e tudo o que se relacione com a eficiência e a manutenção do automóvel.

Há uma série de dicas muito concretas que favorecem esta “eco-condução”: guiar a uma velocidade o mais constante possível, evitando acelerar ou travar de forma brusca permite uma poupança na ordem dos 15 por cento de combustível (e, consequentemente, de emissão de CO2) e torna a viagem mais confortável; Cumprir os limites de velocidade também poupa e promove a segurança rodoviária; Verificar mensalmente a pressão dos pneus acautela o desgaste, adiando a sua substituição, e promove a aderência ao asfalto; Adaptar a velocidade ao tráfego e privar-se de mudar de via de trânsito concorre, identicamente, para economizar; Manter o carro afinado e averiguar o nível do óleo regularmente pode originar uma poupança na ordem dos três por cento; Não transportar bagagens no tejadilho da viatura e retirar todo o peso desnecessário do porta-bagagem representa uma economia de cerca de cinco por cento; Utilizar uma mudança alta resulta num menor gasto de combustível (dez por cento), dado que o veículo circulará com uma rotação mais baixa; Fechar as janelas, sobretudo a velocidades mais elevadas, minora o atrito, fazendo com que seja preciso menos energia para a deslocação; Planear a viagem, tentando antecipar o fluxo de trânsito, é, de igual modo, muito útil: naturalmente que ninguém vai escolher o percurso mais longo ou concorrido…

Em acréscimo, recomenda-se que se utilizem os acessórios elétricos apenas quando estritamente necessário, pois consomem energia. O ar condicionado, por exemplo, é passível de incrementar o gasto de combustível em 25 por cento! Paralelamente, é de ponderar a precisão do recurso ao automóvel para distâncias curtas (indo a pé, poupa-se combustível e trabalha-se para o bem-estar físico), mormente se o motor estiver frio (o consumo de combustível seria excessivo).

A condução deve iniciar-se assim que se liga o motor e este desligado logo que a viatura fique parada por mais de um minuto. Nas descidas pronunciadas, o ideal é conservar o carro engrenado numa mudança compatível (no sentido de travar com o motor), granjeando maior segurança e consumo nulo.

Finalmente, é de considerar a partilha do automóvel com pessoas que, para trabalho ou lazer, se dirijam para o mesmo destino, o que ajudará a atenuar os congestionamentos de tráfego e o dispêndio de combustível. Servir-se dos transportes públicos economiza ainda mais tempo, dinheiro e stress, e concorre para tornar mais respirável a atmosfera nas cidades.


Maria Bijóias

Título: Tenha uma condução ecológica e eficiente

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 0

639 

Imagem por: Grant Mitchell

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • SophiaSophia

    17-06-2014 às 03:54:35

    Parabéns pelas ótimas dicas! Dessa forma, a pessoa não apenas economiza seu dinheiro, mas também contribui para a sustentabilidade e proteção dela mesma e dos outros.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • Sofia NunesSofia Nunes

    17-09-2012 às 16:17:23

    Apreciei as suas dicas, sobretudo porque o tema que aborda é tão crucial nos dias que correm, devendo ser um assunto sobre o qual os automobilistas e cidadãos se deveriam informar muito melhor. Os perigos da condução são muitos, e encontramo-nos em perigo apenas pelo simples ato de entrarmos no carro, porque estamos expostos à condução dos outros. Para além disso, é necessário, como refere, ter em conta o problema ecológico que os automóveis representam.

    ¬ Responder

Comentários - Tenha uma condução ecológica e eficiente

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Imagem por: Grant Mitchell

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios