Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Tenho vergonha de estar desempregado

Tenho vergonha de estar desempregado

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Visitas: 22
Tenho vergonha de estar desempregado

Quem está desempregado ou já passou por esse momento de se ver em busca de vagas de emprego, sabe que não se trata de sorte e sim de saber como conseguir apresentar um currículo que desperte interesse, ser selecionado após a entrevista, ser indicado por um amigo, saber onde e como estar atualizado sobre as ofertas de vagas e o principal; estar qualificado e atualizado para ter um diferencial e atender ao perfil exigido pela empresa.

Perder o emprego é algo aterrorizante para a grande maioria, mas antes de se desesperar ou sentar para descansar enquanto recebe o auxílio desemprego, ou mesmo ficar gastando o dinheiro que recebeu da rescisão, certamente não é a melhor decisão, ao contrário, é hora de arregaçar as mangas, mas sem se desesperar. O desespero não resolve nada e o que é pior, além de não oferecer solução ainda pode desenvolver problemas relacionados à saúde. Então, manter a serenidade e analisar os fatos para fazer as melhores escolhas e se manter motivado é o ideal.

Antes de tudo, é importante considerar que estar desempregado (a), não é motivo para sentir vergonha. Muitas pessoas acabam se fechando em casa, abrindo mão da vida social para não ter que falar sobre trabalho. Ora, nessas situações, se pode dizer a verdade, afinal, quem sabe consegue uma indicação.

Como já sabemos, para encontrar um novo emprego, vai além do fator sorte, tem também que se empenhar e para isso, fazer uma autoavaliação sobre si, sem severidade é o primeiro passo, os empresários estão muito atentos quanto ao perfil do candidato à vaga no sentido da qualidade emocional, que quer dizer, se o futuro empregado tem equilíbrio para lidar com situações adversas, além é claro das aptidões necessárias para a função. Por isso, pense com clareza nos pontos fortes e fracos da personalidade e anote. Talvez o que pensa ser uma questão de personalidade, possa ser apenas um ponto de vista que antes, por estar envolvido (a) diretamente, não percebeu que o problema não existe e que tudo não passou de um mal-entendido, caso tenha vivenciado uma situação de pequenos conflitos e divergência de opinião com algum colega de trabalho. É muito importante não tomar tudo como pessoal e ao mesmo tempo, não ficar se criticando se tiver tido atitudes que tenham influenciado na demissão. Agora é hora de levantar a cabeça e se concentrar e investir em si mesmo (a) para encontrar um novo emprego, entendendo que tudo o que aconteceu serviu de experiência.

Boa sorte!


Sílvia Baptista

Título: Tenho vergonha de estar desempregado

Autor: Sílvia Baptista (todos os textos)

Visitas: 22

675 

Comentários - Tenho vergonha de estar desempregado

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os primeiros brinquedos

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Brinquedos
Os primeiros brinquedos\"Rua
O brinquedo é mais do que um objecto para a criança se divertir e distrair, é também uma forma de conhecer o mundo que tem ao seu redor e para dar asas à sua imaginação. Desta forma, os brinquedos sempre estiveram presentes na sociedade.

Os primeiros brinquedos datam de 6500 anos atrás, no Japão, em que as crianças brincavam com bolas de fibra de bambu. Entretanto há 3000 anos surgiram os piões feitos de argila e decorados, na Babilónia.

No século XIII apareceram os soldadinhos de chumbo, porém só eram acessíveis às famílias nobres. Cinco séculos mais tarde, apareceram as caixas de música, criadas por relojoeiros suíços.

As bonecas são muito antigas, surgiram enquanto figuras adoradas como deusas, há 40 mil anos, mas a primeira fábrica abriu apenas em 1413 na Alemanha. Barbie, a boneca mais famosa do mundo, foi criada em 1959, mas ainda hoje é das mais apetecíveis pelas crianças.

O grande boom dos brinquedos aconteceu quando se descobriu o plástico para o fabrico. Mesmo assim, muitas famílias não podiam comprar brinquedos aos filhos, como tal, estes utilizavam diversos tipos de materiais e construíam os seus próprios brinquedos.

Actualmente, as crianças têm acesso a uma enorme variedade de brinquedos, desde bonecas, a carros telecomandados, a videojogos… Educativos ou apenas lúdicos, há de tudo e para todos os gostos e preços.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Os primeiros brinquedos

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • umdolitoys 23-01-2013 às 05:46:38

    Adorei a reportagem! e tenho algo para vocês verem!!

    Espero que gostem!!!

    ¬ Responder
  • sofia 22-07-2012 às 21:56:29

    Achei muito interecante e muito legal saber que ano foi fabricadoas bonecas

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios