Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Auto-estima afeta emprego

Auto-estima afeta emprego

Categoria: Outros
Auto-estima afeta emprego

Quando se trata de baixa auto-estima, por vezes é só preciso 'fingir' um pouco para conseguir ultrapassar essa fase negativa.

Se é um dos muitos que luta contra a baixa auto-estima, a sua carreira profissional estará realmente a sofrer com o resultado dessa batalha. Os especialistas dizem que as pessoas com baixa auto-estima se deixam levar por comportamentos inconscientes que comprometem o seu sucesso, tornando-as menos propensas a solicitar ou obter promoções, aumentos e até mesmo outros empregos.

As pessoas com baixa auto-estima tentam, frequentemente, permanecer sob um radar porque não querem ser notadas. No entanto, numa sociedade economicamente dependente, esta atitude não é a melhor.

Pior ainda do que isto, a baixa auto-estima pode mascarar as caraterísticas positivas de um indivíduo. Depois, são feitas suposições sobre as pessoas que apresentam comportamentos de baixa auto-estima e, erradamente, pode ser-lhes atribuida inteligência inferior.




Certas características são facilmente identificáveis em indivíduos com baixa auto-estima no trabalho. Geralmente, são pessoas com baixo nível de confiança que são avessas ao risco. Elas são as que falam menos nas reuniões ou escusam-se a assumir tarefas desafiadoras, o que pode levar os seus superiores a acreditar que elas são ineficazes. Nenhuma destas situações é boa quando se está a lutar para manter um ambiente de trabalho competitivo.

A baixa auto-estima também pode manifestar-se através da linguagem corporal e da sua apresentação. Todos aqueles indivíduos que fazem as suas declarações como se fossem questões denunciam uma atitude menos confiante. Falar muito baixo, o que denota medo, e não fazer gestos suficientes para enfatizar pontos e transmitir energia ao discurso também podem traí-lo em ambientes de trabalho importantes, especialmente quando se trata de conseguir o emprego desejado.

Esses comportamentos subconscientes podem evoluir para um estado perigoso de medo e rejeição.
Na realidade, este sentimento é uma faca de dois gumes, uma vez que o medo de ser rejeitado leva a comportamentos que asseguram que os medos se tornem reais.

De fato, um dos comportamentos mais perigosos que as pessoas com baixa auto-estima tendem a demonstrar é o pessimismo.

Uma pessoa com baixa auto-estima pode pedir um aumento desta forma: "Eu percebo que tivemos um ano mau e não houve demissões, mas tenho vindo a fazer mais trabalho e acho que mereço um aumento."

Este tipo de abVocê sordagem apenas dá um forte argumento ao seu superior para dizer-lhe 'não'.
Em vez de destacar o negativo, é aconselhada uma abordagem positiva apoiada em factos: "Nos últimos 12 meses, tenho sido responsável por cerca de 25% dos lucros e tenho vindo a trabalhar mais horas. Por isso, penso que mereço ser compensado."

Ironicamente, os homens estão em melhor situação quando se trata de auto-estima no trabalho, não porque eles não têm dúvidas sobre si, mas porque a pouca confiança manifesta-se de forma diferente nas mulheres, pois os homens são melhores a mascará-la.

Alguns dos maiores erros que as mulheres fazem incluem pedir permissão para fazer as coisas e dar demasiadas explicações sobre as suas decisões. Uma solução rápida para este facto é tentar ser mais objectivo e tentar usar menos 25% de palavras em conversas e e-mails para não 'diluir' o seu ponto.

Por outro lado, a falta de confiança pode ser um motor supremo, levando as pessoas a tornarem-se viciadas em trabalho. As pessoas com baixa auto-estima podem fazer tanto quanto os seus colegas mais confiantes. Elas simplesmente não conseguiram apreciar todo o processo e não se divertiram muito a fazê-lo.

Infelizmente, parece tratar-se de uma batalha perdida. Na última década, o trabalho deixou de ser uma fonte de auto-estima e passou a ser um escorredor de auto-estima. A demanda por produtividade tem crescido tanto que a maioria de nós sente que não está a fazer o suficiente.

Mas existem coisas que se podem fazer para aumentar a auto-estima de qualquer maneira. O fingimento acaba por ser uma boa forma de ultrapassar uma fase menos positiva. Esse fingimento não só irá convencer os seus superiores, mas também irá ajudá-lo a revigorar o seu pensamento sobre si e sobre o que faz.

De facto, a auto-estima pode ser aprendida. Pode parecer algo psicologicamente infundado, mas um diálogo positivo e optimista consigo mesmo pode ser poderoso. Então, quando esses pensamentos negativos disserem que não está suficiente bom para se afirmar, reconheça-os e substitua-os por pensamentos positivos.


Ruben Duarte

Título: Auto-estima afeta emprego

Autor: Ruben Duarte (todos os textos)

Visitas: 0

626 

Comentários - Auto-estima afeta emprego

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O meu instrumento musical avariou!

Ler próximo texto...

Tema: Instrumentos Musicais
O meu instrumento musical avariou!\"Rua
É inevitável que, mais cedo ou mais tarde, um instrumento musical precise de reparação.

Mesmo que conheçamos bem o nosso instrumento e o consigamos arranjar, na maioria das vezes é necessário um técnico para o fazer com a melhor das qualidades.

Eventualmente, nem será necessário existir um problema com o instrumento, poderá ser apenas uma questão de manutenção. 

No caso de uma guitarra, por exemplo, qualquer instrumentista é perfeitamente capaz de substituir uma corda partida e tirar da guitarra o mesmo som que ela tinha.

No entanto, existem reparações, seja uma amolgadela no tampo ou uma tarraxa arrancada, que convêm ser feitas por técnicos especializados.

Por norma, as próprias casas que vendem instrumentos musicais efectuam essas reparações ou são capazes de aconselhar técnicos para as fazer.

Mediante o instrumento musical em questão, a reparação ou manutenção poderá ser mais cara. É sempre mais fácil arranjar um técnico que repare um piano do que um que arranje oboés.

Apesar de ser normal cuidar do nosso instrumento musical regularmente, os percalços acontecem todos os dias. Para os contornar, há sempre alguém que nos poderá aconselhar melhor do que nós próprios.

Apesar de poder sair mais caro, temos também a certeza de que o nosso instrumento foi arranjado por especialistas no assunto.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:O meu instrumento musical avariou!

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • luiz fabiano 18-02-2012 às 15:48:28

    boa tarde amigos preciso de um cabo flex da lcd da camera g70 se aulguem tiver mande um email obrigado

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios