Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Por que as pessoas se identificam com os reality shows?

Por que as pessoas se identificam com os reality shows?

Categoria: Outros
Visitas: 4
Por que as pessoas se identificam com os reality shows?

O sucesso dos programas estilo reality shows, em que pessoas são confinadas em ambientes e forçadas a conviverem com, até antes dos programas, pessoas desconhecidas e realizar tarefas, muitas de superação física e emocional, está na curiosidade e o voyerismo do público e na expectativa de uma fama e de um sucesso repentinos. Esses programas, além de dar prêmios de alto valor, dão visibilidade e alguns integrantes desses programas se beneficiam da imagem que passam para conseguir entrar no mundo das celebridades, fazer carreiras na televisão. Estes exemplos são poucos. Na realidade este tipo de programa dá uma visibilidade instantânea, alguns aliam sorte e talento e conseguem depois de susas participações ganharem chances de trabalho em outros programas.

Os tipos de reality shows são variados. A televisão já experienciou programas que prometem despontar celebridades internacionais do mundo da moda, grandes profissionais nom mundo dos negócios, programas que prometem lançar inéditos talentos musicais, programas em que as próprias celebridades já consagradas convivem confinadas, entre outras propostas. Todas com uma finalidade: ganhar um prêmio milionário, entre outros benefícios que a mídia pode oferecer. Este tipo de programa chama a atenção do telespectador que, hipnotizado pelo dia-a-dia dos confinados, torce pelos participantes, se identifica com estilos de vida e vive junto as emoções como se participasse do elenco.

O problema desses programas é quando eles passam a interferir na rotina das pessoas comuns, no momento em que comportamentos são seguidos e admirados. É importante observar que quem vive essa experiência, passa por situações extremas. Não há como escapar. No entanto, o que parece ali não é necessariamente o que se é no íntimo. Sabe-se que as situações de pressão, geram estresse e as conseqüências podem ser brigas e discussões desnecessárias ou por motivos fúteis. Ainda se pode também concluir que na vida real é possível voltar atrás, arrepender-se e continuar mantendo uma relação. Dentro deste tipo de programa em que a privacidade é inexistente, se alguém briga ferozmente e quer voltar atrás e arrepender-se muitas vezes é encarado como falso e interesseiro. A pessoa fica muito mais exposta, não tem uma rede de apoio de amigos e familiares, fica desconectada com o mundo e precisa ainda agir friamente e controlar as emoções, afinal todas as suas esperanças de melhora na vida são depositadas em um programa desses.

A mídia trata dos participantes desses tipos de programas como “jogadores” ou peças do jogo da vida...  fato é que estes programas atraem as pessoas. A possibilidade de vivenciar e assitir o outro em situações extremas, poder vigiar sem ser condenado, julgar abertamente sem ser julgado fascina as pessoas. Nesses programas é possível se divertir com o que há de engraçado no outro, se comover com a tristeza do outro, se irritar com a falta de respeito e educação em algumas situações ou simplesmente se divertir. Para muitos, programas como esses são puro entretenimento.

Outra perspectiva em relação a programas que dizem ser da vida real é que eles proporcionam aos expectadores a oportunidade de ver sonhos serem realizados. Para muitos é a oportunidade da vida (como se na vida não existissem outras oportunidades que não fossem de super-exposição). Para alguns ver e conhecer experiências reais de vida, principalmente se a origem das pessoas for humilde e sofrida, encanta mesmo sendo por meio de programas milionários, dirigidos e bem editados.

Na verdade esses programas apontam a oportunidade de vivermos momentos de identificação, embora bem distantes, que nos mostram o lado humano do ser. Em cada participante vemos as nossas qualidades e os nossos defeitos. Eles agem como se fossem espelhos de nós mesmos de uma forma amplificada por isso atraem tanto as pessoas. Através dessas caricaturas, elegemos nossos favoritos, aqueles pelos quais mais nos identificamos e nos divertimos com eles.


Rosana Fernandes

Título: Por que as pessoas se identificam com os reality shows?

Autor: Rosana Fernandes (todos os textos)

Visitas: 4

798 

Imagem por: Will Foster Photography

Comentários - Por que as pessoas se identificam com os reality shows?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Dicas para decorar salas pequenas.

Ler próximo texto...

Tema: Decoração
Dicas para decorar salas pequenas.\"Rua
A realidade das grandes cidades é que a maioria das pessoas mora em espaços pequenos. É fato também que todos desejam ter um ambiente acolhedor e aconchegante para receber amigos. Em contrapartida, na medida em que os espaços encolhem, a quantidade de aparelhos eletrônicos que utilizamos aumenta cada vez mais. Há ainda quem use a sala como home-office.

Nesta busca de inspiração para organizar e incrementar sua sala, encontramos uma série de sites especializados e blogs com muitas, muitas ideias. O conceito de D.I.Y. (do it yourself) que significa "faça você mesmo” nunca esteve tão na moda. É uma alternativa para reduzir gastos com mão de obra e nada melhor do que criar um espaço com um toque todo seu. Inspirações e ideias não faltam. Hoje, de certa forma todos nos sentimos meio decoradores.

Mas planejar a decoração de uma sala pequena exige alguns cuidados para que o ambiente não fique entulhado de móveis, disfuncional ou até mesmo desagradável.

Confira algumas dicas para decorar sua sala com estilo e valorizando seu espaço:
Os espelhos, além da autocontemplação, causam efeitos interessantes. Aplicados, por exemplo, em uma parede inteira pode duplicar a amplitude do ambiente. Pode ser usado também em móveis, tetos, em diversos formatos e valorizar a luminosidade da decoração.

As cores tem poder de causar sensações. Em ambientes com pouco espaço, elas podem colaborar para que a sensação de amplitude possa tanto aumentar quanto diminuir. Para pintar as paredes de sua sala aposte em cores claras. O teto com uma cor mais clara que a das paredes, por exemplo, pode simular uma elevação do teto, já em uma cor mais escura, promoverá uma sensação de rebaixamento do teto.

A escolha e posição dos móveis são um aspecto muito importante. Opte por poucos móveis, nunca de tamanhos exagerados e posicione-os de forma que valorize o espaço. Móveis que misturam poucos materiais, baixos e com linhas retas proporcionam leveza ao ambiente.

Uma solução muito interessante para espaços pequenos é a utilização de prateleiras. Caixas para produtos horto frutícolas reformadas podem se tornar lindas prateleiras. Mas cuidado com a profundidade, para não atrapalhar na disposição de outros móveis e objetos.

Móveis multifuncionais ou móveis inteligentes são excelentes alternativas para uma sala pequena. Um bom exemplo são pufes, que podem ser usados como mesas de centro ou ficarem alojados debaixo de aparadores e quando recebemos visitas podem se transformar em assentos extras. Mesas dobráveis também são uma ótima opção.

Escolher o mesmo piso ou revestimento pode dar a impressão de área maior, de continuidade. Mudanças drásticas de um ambiente para outro pode causar a sensação de divisão e consequentemente fazer parecer menor.

Algumas outras dicas: um sofá retrátil ou reclinável garante muito mais conforto e ocupa o espaço de um sofá simples. Suporte ou painéis móveis para TV possibilitam que ela seja movida na direção desejável. Caso o ambiente tenha escadas, escolher um modelo de escadas vazadas evita divisões e pode se tornar uma peça de destaque na sala. E para as cortinas, escolha tecidos leves, lisas e sem estampas.

De qualquer forma, ouse, não tenha medo de arriscar, crie, não copie, só assim será seu!

Luciana Santos.

Outros textos do autor:
Dicas para decorar salas pequenas.

Pesquisar mais textos:

Luciana Maria dos Santos

Título:Dicas para decorar salas pequenas.

Autor:Luciana Maria Santos(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Carlos Rubens Neto 16-06-2016 às 16:20:24

    Excelente matéria! Parabéns Luciana ;)

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios