Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Dinheiro soluciona problemas?

Dinheiro soluciona problemas?

Categoria: Outros
Visitas: 4
Comentários: 1
Dinheiro soluciona problemas?

Nesse mundo contemporâneo consumista e capitalista em que vivemos temos a forte tendência a pensar que somos o que temos, que valemos pelo que ostentamos ou, ainda, que dinheiro resolve tudo. Para muitos, a falta de dinheiro é sinônimo de infelicidade. Os males da sociedade estão em se pensar e tentar ser o que não se é. As pessoas valem pelo que elas têm a oferecer para as outras e não pelo que elas acumulam para elas próprias. A ideia de que dinheiro e bens solucionam problemas é equivocada. Dinheiro e bens são necessários, é hipocrisia negar isso, mas não devem constituir-se na mola propulsora das atitudes que temos.  O que adquirimos ao longo do tempo e com nosso esforço e trabalho é digno de ser nosso, devendo ser uma consequência do que somos e de como agimos desde que saibamos valorizar nossas conquistar sem esquecer dos outros ao nosso redor.

Há valores que precisam ser revistos e re-elaborados. A aquisição de bens e produtos que não serve para proporcionar uma melhor qualidade de vida, mas sim para ostentar um status ou uma ideia de superioridade sobre as demais pessoas, precisa ser modificada. Hoje em dia o pensamento de muitos é que é mais válido e importante se ter dinheiro, e possibilidade de desfrutar exorbitantemente do valor acumulado, do que investir na aquisição de conhecimento e na formação pessoal e profissional. O que acontece hoje é que muitos têm uma visão de curto prazo. Não conseguem prever o dia de amanhã, preocupando-se em gastar no dia de hoje, sem elaborar e planejar um futuro para si e para os outros ao seu entorno.

Quem só pensa em acumular dinheiro pensando que ele pode resolver tudo, acaba perdendo os melhores momentos da vida e talvez, quando resolver desfrutar desses momentos, possa ser tarde demais ou mais difícil. Já aqueles que valorizam os gastos elevados e ostentam aquisições desnecessárias, podem se deparar futuramente com situações de desespero, ocasionadas pela falta do tão valorizado dinheiro. Obviamente precisamos dos valores financeiros para sobreviver e também temos direito a proporcionarmo-nos aquisições materiais necessárias e outras não tão essenciais assim. O que não devemos fazer é pensar e agir como se fosse o dinheiro o sujeito responsável pela construção do nosso eu. Pelo contrário, é o valor financeiro que deve ser subjugado a nós.

Quando usamos parte do nosso dinheiro com o objetivo de crescermos como pessoas, adquirindo conhecimento e experiência, conquistando espaço por meio de investimentos e empreendimentos pessoais, estamos fazendo bom uso do valor comercial. Nesse caso o dinheiro será o responsável por garantir uma vida mais calma e segura. É provável que se passe por dificuldades e que barreiras se apresentem, mas se terá suporte para superar os obstáculos com sabedoria.

Portanto, para solucionar de fato os problemas, não podemos depositar no dinheiro nossas expectativas de resolução. Devem ser pensadas alternativas viáveis para a resolução de problemas na falta das notas. Dinheiro ajuda a viver melhor, mas está longe de resolver todas as questões humanas.


Rosana Fernandes

Título: Dinheiro soluciona problemas?

Autor: Rosana Fernandes (todos os textos)

Visitas: 4

726 

Imagem por: NeoGaboX

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Luiz Guilherme Prats

    24-11-2013 às 11:30:56

    Pessoas que dão importância excessiva ao dinheiro, são vis e de caráter duvidoso. Tudo para elas é quantificável e medido por sonante moeda.
    Eles tendem a ver os demais da mesma forma como veem a si mesmos; com os mesmos valores distorcidos.
    Como não fazem bom juízo de si e dos outros, vivem em permanente insatisfação e mal-disfarçada guerra contra os demais. Nesta categoria achamos muitos cafajestes e babacas.

    ¬ Responder

Comentários - Dinheiro soluciona problemas?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Fine and Mellow

Ler próximo texto...

Tema: Música
Fine and Mellow\"Rua
"O amor é como uma torneira
Que você abre e fecha
Às vezes quando você pensa que ela está aberta, querido
Ela se fechou e se foi"
(Fine and Melow by Billie Holiday)

Ao assistir a Bio de Billie Holiday, ocorreu-me a questão Bluesingers x feminismo, pois quem ouve Blues, especialmente as mais antigas, as damas dos anos 10, 20, 30, 40, 50, há de pensar que eram mulheres submissas ao machismo e maldade de seus homens. Mas, as cantoras de Blues, eram mulheres extremamente independentes; embora cantassem seus problemas, elas não eram submissas a ponto de serem ultrajadas, espancadas... Eram submissas, sim, ao amor, ao bom trato... Essas mulheres, durante muito tempo, tiveram de se virar sozinhas e sempre que era necessário, ficavam sós ou mudavam de parceiros ou assumiam sua bissexualidade ou homossexualidade efetiva. Estas senhoras, muitas trabalharam como prostitutas, eram viciadas em drogas ou viviam boa parte entregues ao álcool, merecem todo nosso respeito. Além de serem precursoras do feminismo, pois romperam barreiras em tempos bem difíceis, amargavam sua solidão motivadas pelo preconceito em relação a cor de sua pele, como aconteceu a Lady Day quê, quando tocava com Artie Shaw, teve que esperar muitas vezes dentro do ônibus, enquanto uma cantora branca cantava os arranjos que haviam sido feitos especialmente para ela, Bilie Holiday. Foram humilhadas, mas, nunca servis; lutaram com garra e competência, eram mulheres de fibra e cheias de muito amor. Ouvir Billie cantar Strange Fruit, uma das primeiras canções de protestos, sem medo, apenas com dor na alma, é demais para quem tem sentimentos. O brilho nos olhos de Billie, fosse quando cantava sobre dor de amor ou sobre dor da dor, é insubstituível. Viva elas, nossas Divas do Blues, viva Billie Holiday, aquela que quando canta parte o coração da gente; linda, magnifica, incomparável, Lady Day.

O amor vai fazer você beber e cair
Vai fazer você ficar a noite toda se repetindo

O amor vai fazer você fazer coisas
Que você sabe que são erradas

Mas, se você me tratar bem, querido
Eu estarei em casa todos os dias

Mas, se você continuar a ser tão mau pra mim, querido
Eu sei que você vai acabar comigo

Pesquisar mais textos:

Sayonara Melo

Título:Fine and Mellow

Autor:Sayonara Melo(todos os textos)

Imagem por: NeoGaboX

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios