Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Como sentimos a dor?

Como sentimos a dor?

Categoria: Outros
Como sentimos a dor?

A dor é uma experiência sensorial e emocional bastante desagradável, que está normalmente associada a lesões nos tecidos. É portanto, um sistema complexo e concebido para limitar os danos infligidos ao nosso corpo.

Os tecidos do corpo são sensíveis a certos tipos de lesões, por exemplo, os cortes , queimaduras ou feridas, enquanto os tecidos renais e pulmunares são insensíveis à maior parte dos estímulos, salvo alguns casos raros e excepcionais.

No que diz respeito aos estímulos causadores da dor, dividem-se em três categorias, chamados mecânicos, químicos e térmicos.Cada um é detetado por recetores de dor, as fibras nervosas , com terminações sensíveis.

Estsa fibras transmitem impulsos elétricos dos tecidos para a medula espinal através dos tratos nervosos, que consistem em fibras A delta, associados à dor aguda e localizada de um estímulo nocivo e em fibras mais pequenas, que respondem a estímulos mecânicos e térmicos, associados à dor.

Quando os impulsos de dor entram na medula espinal, unem-se nos neurónios da parte da massa cinzenta, da coluna vertebral, onde estão os enviados para o tronco cerebral e tálamo, para processamento da dor consciente através do trato espinotalâmico. Deste modo, desperta-se os aspetos emocionais da dor, sentindo-se em intensidade.

A ativação de um estímulo transmitido pelas fibras nervosas, aos neurónios, é enviada através do hipotálamo, tálamo e cortex, para o tronco cerebral,no caso de fatores sensoriais.

Contráriamente, a inibiçao da dor, é gerida por determinados estímulos táteis sensoriais pela pele, que depois transmitem o impulso nervoso aos neurónios espinais de largo espeto. E, desta forma, a informação provoca um curto circuito, que se difunde para o cétrebro, inibindo a dor.

Em suma, a dor é uma força em ação, transmitida por uma queimadura, ferida ou doença, pelas fibras nervosas, aos neurónios.

Quase toda a gente sente dores físicas em virtude das doenças, acidentes, quedas etc.
É evidente que ninguém está livre delas, mas convêm evitá-las o mais possível.Ela é pois uma reação a um estímulo, que se transmite até ao cérebro.

A dor pode ser também um descuido da saúde do físico e da mente, deste modo convêm cuidar dele o melhor possível, afim de as reduzir.


Pedro gil Ferreira

Título: Como sentimos a dor?

Autor: Pedro gil Ferreira (todos os textos)

Visitas: 0

627 

Comentários - Como sentimos a dor?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios