Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Música > O som único da Guitarrada Eléctrica

O som único da Guitarrada Eléctrica

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Música
Comentários: 1
O som único da Guitarrada Eléctrica

Foi notícia a 14 de agosto de 2009 que tinha morrido o “Pai” da guitarra elétrica. Les Paul morreu com 94 anos em Nova Iorque vítima de pneumonia. Nascido em 1915 em Wisconsin – Estados Unidos da América, este pioneiro compositor e pai das guitarras elétricas, tocou com figuras como Frank Sinatra e Louis Armstrong.

Instrumentos de corda existem há séculos, melhor, há milénios, se nos lembrarmos de imagens de filmes em que Gregos e Romanos se deliciavam ao som das harpas.

Os violões, violas, violinos, violoncelos, guitarra Portuguesa, cavaquinho, contra-baixo, são apenas alguns (poucos até) instrumentos de corda que podemos numerar. No entanto, quando a vontade nos leva a um som estridentemente único, arrepiante até, pensamos em guitarra elétrica. Se som agudo ampliado eletricamente é melodia para uns, logo é fanatismo para outros.

O som produzido pela vibração das cordas, como é natural nas guitarras, é transformado em sinais elétricos (ondas sonoras através de um alto-falante).

Utilizadas nos mais variados estilos de música, a guitarra elétrica comanda as melodias e as emoções do heavy metal, rock, pop rock, mas também do jazz, música popular entre muitas, muitas outras.

São variadas as marcas de guitarras elétricas tocadas pelos melhores guitarristas, mas imperam as Fender, Stratocaster, Jackson, SG e as inevitáveis Gibson de Les Paul.

Com 6 cordas, dedilham-se sonoridades únicas, e para um bom apreciador, nada como um gemido corrido tão único e intenso.

O som torna-se mais longo ou mais curto, mais alto ou pelo contrario mais curto, através da arte de manusear as cordas. A forma como são agarradas, percorridas no braço da guitarra, e a forma como muitas vezes e de forma frenética são exercitadas, tornam este instrumento de uma beleza extraordinária.

As modificações elétricas podem ser variadas. Para que o som possa controlado, existem pedais compactos, ou o trabalho pode ser feito através do amplificador que tenha os efeitos embutidos.

Mesmo para os que não conseguem ou não tem a intenção de aprender a ler uma pauta e transformar as notas musicais escritas em acordes audíveis, o som estridente da guitarra elétrico é único.

Para esta arte única, distinguem-se todos os anos os melhores guitarristas do mundo.

Entre eles, Jimi Hendrix, Jimmy Page (Led Zeppelin), Eric Clapton, Keith Richards (Rolling Stones), Kirk Hammet (Metallica), Joe Satriani, Slsh (Guns n’ Roses), Ritchie Sambora (Bon Jovi), Eddie Van Halen, entre milhares de outros que fazem tocar as cordas de uma guitarra de forma inigualável e única.


Carla Horta

Título: O som único da Guitarrada Eléctrica

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 0

665 

Imagem por: hugochisholm

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    13-05-2014 às 20:46:34

    Aprecio muito o som da guitarra elétrica. Adorei seu texto e acredito que eles são até mais nítidos que o violão e muito mais envolvente.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - O som único da Guitarrada Eléctrica

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Imagem por: hugochisholm

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios