Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Empresariais > O Segredo dos cartões nos hipermercados e marketing

O Segredo dos cartões nos hipermercados e marketing

Categoria: Empresariais
Comentários: 2
O Segredo dos cartões nos hipermercados e marketing

Nos dias de hoje e com a crise que se atravessa, cada vez mais os hipermercados lançam promoções, onde os descontos são acumulados em cartões da mesma companhia, para mais tarde poder descontar nas compras que realiza.

Durante o ano, são enviadas cartas com descontos em determinados produtos para casa do consumidor. Por exemplo: Hoje vai ao supermercado compra bebidas alcoólicas, camarão e limão, e passa o cartão da companhia do hipermercado antes de pagar. Após um ou dois meses é enviado para casa deste mesmo consumidor, descontos em determinadas datas de bebidas alcoólicas, camarão e frescos na frutaria, ou seja, existe uma carteira de clientes com respetivo consumo de cada consumidor onde é avaliada ao pormenor a realização destes descontos, entre outros, que leva o consumidor sem dar conta, á compra destes produtos mesmo sem necessitar.

Normalmente, quando nos dirigimos a estes espaços comerciais é porque precisamos de comprar produtos que nos fazem falta, onde não nos passa pela ideia, o que está por trás destas companhias e seus segredos de marketing para cativar o cliente.

Em épocas sazonais utilizam o primeiro corredor da entrada para promoções ou utensílios da respetiva época, no caso do verão, colocam os brinquedos de praia para crianças, cadeiras de praia, piscinas de casa etc. ou no caso do natal, toalhas de natal, velinhas alusivas a esta época etc. o que leva ao consumidor a lembrar-se que até pode dar jeito tal utensilio ou que não tem, e que até poderá vir a ser útil.

Outra forma de cativar o consumidor é nas caixas de pagamento, no momento em que o cliente está a espera da sua vez de pagar, vai ocupando o tempo olhando para revistas que tem notícias interessantes e empolgantes, pastilhas elásticas, sacos de reboçados e balões de bonecos animados, que as crianças não resistem a pedir ao pais porque dá na televisão.

Todas estas formas indiretamente, são técnicas de marketing que levam o consumidor a adquirir produtos às vezes promocionais que nem consta na lista de compras, acabando por gastar o dobro do que ía comprar.


Sandra Mendes

Título: O Segredo dos cartões nos hipermercados e marketing

Autor: Sandra Mendes (todos os textos)

Visitas: 0

628 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • Luís Silva

    09-10-2012 às 21:02:17

    Concordo plenamente com os textos.
    Falta apenas introduzir que existem outras 1000 estrategias, claro que não se consegue referir todas. Mas uma que eu acho importante que as pessoas saibam é que os produtos mais caros e mais vantajosos para os que estão no "lado de lá" são os produtos que estão ao nível dos nossos olhos. É uma estrategia saber a altura média dos portugueses e colocar os produtos mais caros ao nível dos olhos porque sabem que o consumidor portugues não se dá ao trabalho de olhar de cima abaixo, por consequencia pegam logo no que lhes salta aos olhos. Para os que estão a ler estes textos e não sabiam nada disto, fica uma dica: Não olhem só para o que vos salta aos olhos, acima desse produto existe outro produto com as mesmas características, com a diferença de ser de outra marca e de ser mais barato.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoCarlos Santo

    31-07-2012 às 12:52:41

    Tudo o que disse e bem verdade, mas a uma questão que tem que questionar, será que as promoções não são vantajosas? Vendo bem as coisas é tudo uma questão de markting, mas lá no fundo é muito mais que isso, mas já la vamos...
    A questão é que se uma pessoa planear com antecedencia a sua lista de compras e para um tempo já algo alargado, por exemplo fazer as compras para um mês, pode aproveitar depois os descontos para o que precisa e saber se vale ou não a pena comprar determinado produto, já que tendo a sua lista feita e ter um plano do que costuma comprar quando e a quantidade e muito mais fácil gerir todos esses descontos e promoções sendo por isso proveitosas para algumas pessoas que não se deixam levar por promoções.
    Agora quanto à questão dos cartões serem muito mais que apenas markting é bem verdade, já se questionou o porque de usar um cartão e o desconto não ser logo na factura?
    Bem é simples, como cada vez mais por todo o mundo, os dados valem dinheiro, e se souber consultar esses dados de modo a extrair informação então ainda mais dinheiro podem valer.
    A questão é simples, todo o que compramos sem desconto, com desconto, qual o dia da semana, dinheiro gasto, quando se gasta o dinheiro do cartão, todos os dados que sejam possíveis obter aquando a compra são gravados num gigantesca base de dados, onde à postriori os dados são analisados (Data Mining) de maneira a obter informações importantes sobre os seus clientes tais como produtos mais desejados, datas de menos afluência as compras, e com isso conseguem enviar promoções diferentes para cada cliente de modo a aumentar os lucros pois conseguem colocar mais pessoas a comprar os produtos que querem, ou seja, o cartão não é apenas ocupar a carteira, é dar informação muito valiosa sobre os hábitos de compra que possui...

    ¬ Responder

Comentários - O Segredo dos cartões nos hipermercados e marketing

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os descendentes de Eça

Ler próximo texto...

Tema: Literatura
Os descendentes de Eça\"Rua
Recentemente, por via da comunicação social, soubemos da entrega do prémio Leya, a um trineto de Eça de Queirós. Julgo que bastou essa noticia, para que todos ficássemos curiosos sobre os seus descendentes…esse mistério, como o Mistério da Estrada de Sintra, começou a adensar-se entre quem se interessa por estas coisas da literatura e da genealogia…então aqui deixo algumas notas que poderão ser importantes para quiçá, um dia, um qualquer jornalista, ou editor, se lembre, de conseguir reunir todos os seus descendentes vivos e se tire uma fotografia de família.

José Maria Eça de Queirós, escritor pródigo da nossa nação, contraiu matrimónio em 1886, com Emília de Castro Pamplona Resende, condessa de Resende, deixando à data de sua morte, em Paris, quatro filhos como seus descendentes e herdeiros diretos; foram eles António Eça de Queirós, Maria Eça de Queirós, Alberto Eça de Queirós e José Maria Eça de Queirós; portanto três meninos e uma menina.
Através do site Geneall.net, foi possível perceber as linhas genealógicas que se seguiram aos seus filhos. No entanto, nem todos os nomes dos seus bisnetos e trinetos estão aí presentes, com certeza por motivos de ordem pessoal, de resguardo da privacidade, motivos que não podemos questionar. Porém, é possível, pelo menos determinar a existência desses membros da família queirosiana.

De antemão sabemos que não houve descendência por parte de dois dos seus filhos, António Eça de Queirós e de Alberto Eça de Queirós.
Maria Eça de Queirós teve dois filhos, uma menina e um menino, porém a menina morreu muito nova, ficando apenas o menino, de seu nome Manuel Pedro Benedito de Castro, que mais tarde casou com Maria da Graça Salema de Castro, a mulher que se tornou a primeira diretora da Fundação Eça de Queirós, na casa de Tormes, pertença da família da esposa de Eça de Queirós. Como Manuel Pedro Benedito de Castro não teve filhos, sabemos que por este ramo, terminou a descendência do escritor.

Convém, entretanto, acrescentar aqui uma curiosidade. Depois do regresso a Portugal da viúva de Eça, ela e os filhos, foram residir para a casa da Granja, pertencente à família de Sophia de Mello Breyner. Inicialmente como esta casa costumava ser arrendada pela família de Sophia, Emília de Castro, arrendou-a, vindo a compra-la uns anos depois. Portanto, é aqui nesta casa que ela cria os seus filhos, e é onde, José Maria Eça de Queirós, um dos seus filhos, permanece após a sua morte, tendo criado aqui os seus filhos e netos, e tendo aqui também falecido.

Podemos então seguramente afirmar que a sua grande linha de descendência parte do seu filho, com o mesmo nome, José Maria Eça de Queirós, que teve também ele, atente-se à curiosidade, quatro filhos, neste caso, ao inverso, um menino, e três meninas, respetivamente de seus nomes, Manuel Eça de Queirós, Maria das Dores Eça de Queirós, Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós e Emília Maria de Castro Eça de Queirós. Esta ultima, Emília, teve ao que consta nove filhos, sendo que um deles, Afonso Maria Eça de Queirós Cabral, é quem atualmente preside à Fundação acima citada, depois da morte da primeira presidente, referida atrás, Maria da Graça Salema de Castro.

Manuel Eça de Queirós por sua vez teve seis filhos, Maria das Dores Eça de Queirós teve três filhos, e Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós, dois filhos. Somados, contabilizamos vinte, os bisnetos do famoso escritor. Seria interessante avançar um pouco mais nos ramos genealógicos e aflorar quem são ou pelo menos, quantos são os trinetos e tetranetos de Eça, por conseguinte fica aqui o desafio, pois é certo que porventura alguns destes descendentes não se conhecem, e nunca terão trocado qualquer impressão sobre o seu ascendente, para uns, bisavô, para outros trisavô, e ainda para outros, tetravô.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Os descendentes de Eça

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios