Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Empresariais > Criatividade a todo o vapor!

Criatividade a todo o vapor!

Categoria: Empresariais
Comentários: 1
Criatividade a todo o vapor!

Em tempos de crise mundial, quase todas as empresas se ressentem, directa ou indirectamente. Enquanto conjuntos organizados de pessoas e meios que implicam despesa, passam pela agonia de ver comprometida, adiada ou mesmo anulada a missão que consta dos estatutos da sua formação. Se estiverem vocacionadas para o lucro, a baixa das vendas reflecte-se na falta de encomendas e, por conseguinte, num acentuado decréscimo dos proveitos baseados na redução da produção, que acarreta, não raras vezes, despedimentos em massa. Se, por outro lado, se tratar de empresas com fins não lucrativos, como é o caso de rádios e televisões associadas a instituições sociais ou religiosas, o patrocínio das marcas diminui, porque os patrocinadores não dispõem de verbas para a publicidade, e, nesta perspectiva, tais organizações deixam de possuir meios para reinvestir nas próprias causas e para serem auto-suficientes.

Não obstante, há gestores com capacidade de manter o sangue frio necessário para dar a volta às questões mais prementes de maneira revolucionária, sendo que alguns aproveitam até a desgraça alheia e a desmotivação do mercado para implantar ideias originais e avançar com novos produtos, ou, pelo menos, variações de outros que já comercializem, visando atingir nichos de valor acrescentado e segmentos ainda inexplorados.
Adaptar, inovar, flexibilizar, perscrutar, são as palavras de ordem.

Costuma dizer-se que «em tempo de guerra não se limpam armas»;
todavia, há quem faça uso do cenário bélico para despoletar nos seus colaboradores o espírito guerreiro. Foi o que fez Alberto da Ponte, presidente da cerveja Sagres, mundialmente conhecida e apreciada. Em determinada altura, convocou os trabalhadores e, para vincar a mensagem de que o mercado se encontrava em guerra aberta, entregou a cada um deles uma farda de camuflado!

Para além de ter cumprido o seu propósito com graça, angariou entre o pessoal da fábrica simpatia e o sentimento de pertença, impulsionadores da vontade de fazer mais e melhor por um projecto que todos consideram como seu. Os objectivos, que podem não contemplar o mero lucro monetário, mas apontar, por exemplo, para a imagem, a notoriedade ou a obtenção de uma estipulada quota de mercado, passam a ser partilhados por todos os elementos dessa máquina produtiva. Ainda que as estratégias precisem de ser revistas e/ou alteradas, os percursos serão trilhados em uniformidade e, como afirma o povo «a união é que faz a força». Nesta perspectiva, o máximo que pode acontecer é ter de protelar um pouco a compra de carteiras impermeáveis… para guardar os lucros líquidos!

Maria Bijóias

Título: Criatividade a todo o vapor!

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 0

642 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Luene ZarcoLuene

    11-07-2014 às 18:14:37

    Precisamos muito de criatividade, muito mesmo. Num mundo como vivemos, é o que sobressai de um profissional a outro.

    ¬ Responder

Comentários - Criatividade a todo o vapor!

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os primeiros brinquedos

Ler próximo texto...

Tema: Brinquedos
Os primeiros brinquedos\"Rua
O brinquedo é mais do que um objecto para a criança se divertir e distrair, é também uma forma de conhecer o mundo que tem ao seu redor e para dar asas à sua imaginação. Desta forma, os brinquedos sempre estiveram presentes na sociedade.

Os primeiros brinquedos datam de 6500 anos atrás, no Japão, em que as crianças brincavam com bolas de fibra de bambu. Entretanto há 3000 anos surgiram os piões feitos de argila e decorados, na Babilónia.

No século XIII apareceram os soldadinhos de chumbo, porém só eram acessíveis às famílias nobres. Cinco séculos mais tarde, apareceram as caixas de música, criadas por relojoeiros suíços.

As bonecas são muito antigas, surgiram enquanto figuras adoradas como deusas, há 40 mil anos, mas a primeira fábrica abriu apenas em 1413 na Alemanha. Barbie, a boneca mais famosa do mundo, foi criada em 1959, mas ainda hoje é das mais apetecíveis pelas crianças.

O grande boom dos brinquedos aconteceu quando se descobriu o plástico para o fabrico. Mesmo assim, muitas famílias não podiam comprar brinquedos aos filhos, como tal, estes utilizavam diversos tipos de materiais e construíam os seus próprios brinquedos.

Actualmente, as crianças têm acesso a uma enorme variedade de brinquedos, desde bonecas, a carros telecomandados, a videojogos… Educativos ou apenas lúdicos, há de tudo e para todos os gostos e preços.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Os primeiros brinquedos

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • umdolitoys 23-01-2013 às 05:46:38

    Adorei a reportagem! e tenho algo para vocês verem!!

    Espero que gostem!!!

    ¬ Responder
  • sofia 22-07-2012 às 21:56:29

    Achei muito interecante e muito legal saber que ano foi fabricadoas bonecas

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios