Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Beleza > Como andar de salto

Como andar de salto

Categoria: Beleza
Comentários: 2
Como andar de salto

Aqui ficam algumas dicas para andar de salto alto e assumir uma maior elegância no seu dia-a-dia:

1 - Inicie com saltos baixos, entre os 5 e os 7 cm. Normalmente, um salto de 10 cm é o máximo para muitas mulheres, mas isto varia de caso a caso. Além disso, quanto maior for o tamanho dos seus pés, provavelmente maior será a altura do salto alto que será capaz de usar.

2 - É mais fácil andar com saltos de base mais larga, ou seja, mais grossos. Já os saltos agulha, muito altos, são os mais difíceis para andar e já exigem um certo equilíbrio.

3 - É mais fácil andar com sandálias de salto alto com tiras em volta do tornozelo, pois evitam que os pés deslizem. Por isso, é mais difícil manter os mules nos pés, principalmente para quem não tem costume de calçar sapatos de salto alto.

4 - Certifique-se de que os sapatos ou sandálias ajustam-se aos seus pés. Nem demasiado folgados, nem apertados

5 - Olhe por onde anda. Ao andar com sapatos de salto alto você deve inteirar-se do tipo de superfície sobre a qual pisa. Atenção aos terrenos acidentados, tapetes, relvados, pisos escorregadios ou molhados. É que os saltos podem afundar-se...

6 - Ao subir ou descer escadas apoie-se nos corrimões e tenha certeza de colocar toda a sola da sandália ou sapato no degrau, mesmo que para isto tenha que dobrar ligeiramente os pés para um dos lados.

7 - Nunca coloque o peso do seu corpo sobre saltos inclinados para trás ou corre o risco de os partir

8- Imagine sempre que está a andar nas pontas dos pés pois pode ajudar a ter mais segurança

9 - Não use sapatos ou sandálias de salto alto todos os dias. Dê aos seus pés um período de descanso e recuperação. Se insistir em usá-los diariamente, ao menos tenha a certeza de variar as alturas dos saltos

10 - Balance os braços enquanto anda, pois isso acrescentará um equilíbrio extra além de uma aparência graciosa ao seu andar

11 - Para conduzir troque de sandália e evite os saltos agulha que lhe retiram sensibilidade. nada como ter uns ténis ou umas sabrinas tão em voga desde o último verão

12 - Para dançar opte por sandálias com uma tira para fixar melhor aos pés ou aos tornozelos, senão arrisca-se a vê-la voar no meio da pista

13 - Use sapatos novos primeiro em casa a desgastar as solas, tornando-as menos deslizantes em pisos muito escorregadios


Kezia Bittencourt

Título: Como andar de salto

Autor: Kezia Bittencourt (todos os textos)

Visitas: 0

591 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • Rafaela CoronelRafaela

    28-06-2014 às 19:40:21

    Andar de salto é uma maneira muito elegante e bonita. Gosto muito de ver e aprender como melhorar minha postura usando um sapato de salto alto.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãofernanda

    05-06-2014 às 17:27:51

    adorei texto Como andar de salto

    ¬ Responder

Comentários - Como andar de salto

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Habitação – Evolução qualidade/Preço

Ler próximo texto...

Tema: Alojamento
Habitação – Evolução qualidade/Preço\"Rua
Hoje vivemos dias muito complicados do ponto de vista económico, uma vez que a nossa sociedade moderna consumista tem acarretado para as famílias a triste ideia de que temos que possuir tudo o que existe para ser possuído.

Relativamente ao assunto especifico da habitação, com o passar dos tempos, as pessoas têm adquirido as suas casas em função do que há no mercado, e este mercado tem evoluído de uma forma perigosa em termos de custos; o que quero dizer com isto, é que há vinte anos atrás, encontrávamos apartamentos no mercado, e tenho por base um apartamento T3 que tinha 3 quartos conforme a tipologia descrita, naquele tempo uma cada de banho, uma sala de estar/jantar conjunta e talvez uma varanda, hoje o mesmo apartamento terá os três quartos, a sala, duas casas de banho das quais uma poderá estar num dos quartos a que passou a chamar-se suite, este apartamento hoje, tem forçosamente que ter pré instalação para aquecimento central, lareira com recuperador de calor, e muito provavelmente aspiração central, ou pelo menos a pré instalação… Assim, quem compra um apartamento hoje, apesar das dimensões de cada divisão estarem diminuídas, o preço foi muito incrementado pelos extras, e depois há ainda que adquirir uma caldeira para fazer funcionar a tal pré-instalação de aquecimento central, os radiadores porque sem eles o dito não funciona, naturalmente o trabalho do técnico… há ainda que adquirir em muitos casos o aspirador propriamente dito para fazer funcionar a aspiração central, e algumas coisas mais, acessórios dos quais, antes não tínhamos necessidade.

Não quero dizer com isto, que estes equipamentos não são úteis, são, mas e aquelas pessoas que compraram os seus apartamentos há uns tempos, cujos espaços não dispunham destas “modernices” como viveram? Como vivem hoje? Provavelmente aqueles que tiveram disponibilidade económica para isso, colocaram nas suas habitações, aquilo que julgaram necessário, não colocaram aquilo que não lhes é útil de todo, por outro lado aqueles que não tiveram disponibilidade económica vivem sem os equipamentos em questão, ou colocam um equipamento à dimensão das suas possibilidades. O real problema é que os referidos equipamentos valorizaram muito mais as habitações em termos de preço de compra do que o valor real dos mesmos, e as pessoas, estão apagar vinte ou trinta anos, para não dizer mais, um bom valor acima do que pagariam sem estas coisas, além disso comprariam aquilo que quisessem e pudessem.

Para além do exposto, a qualidade de construção e acabamentos não melhorou, antes pelo contrário. Hoje o valor das casas está a decair rapidamente, e as pessoas em geral vivem em casas cujos valores atuais de mercado são muito inferiores ao que estarão a pagar durante muito tempo…

Naturalmente o mercado poderá mudar, mas não é esse o caminho que parece seguir.

Pesquisar mais textos:

Ana Sebastião

Título:Habitação – Evolução qualidade/Preço

Autor:Ana Sebastião(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    21-04-2014 às 17:09:01

    A compra seja de apartamento ou casa estão mais caras e nem sempre oferecem serviços como mostram na divulgação. Não é bom financiar, pois custará o dobro. Realmente, o melhor a fazer é buscar preços que têm condições de pagar ou aderir a um consórcio.

    ¬ Responder
  • Sofia Nunes 13-09-2012 às 17:07:44

    Na minha opinião e de acordo com o que tenho observado, a relação qualidade/preço das habitações está a melhorar. E isso não é necessariamente bom, uma vez que é resultado da crise económica. Como refere, o valor das casas está a descer, pelo que se pode comprar uma vivenda pelo preço que há uns anos era de um apartamento. O problema é que, apesar de as casas estarem mais baratas, os compradores não têm dinheiro.

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios