Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Arte > O Renascimento

O Renascimento

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Arte
Visitas: 2
O Renascimento

A arte é uma linguagem, e tem sempre um emissor e recetor. Para que a arte resulte e seja aceite, o emissor (artista) e o recetor têm de estar na mesma sintonia. Não há movimento com melhor «feedback» até aos nossos dias que o Renascimento.

O Renascimento tem origem na Itália, no século XV. A passagem da Idade Média para o Renascimento, nos restantes países europeus, não foi automática. Não se fez de de forma igualitária. As influências italianas misturaram-se com «backgrounds» diferentes. Foi aceite e rejeitado.

Como movimento, o Renascimento destacou dois temas: a Natureza e a Antiguidade Clássica (os artistas renascentistas conhecem a História de Roma e começam a dar valor aos vestígios e aos textos romanos). Valorizou a perspetiva, o gosto pelo profano e pelo retrato, o domínio do movimento, da luz, da cor, do espaço e da plasticidade.

Na pintura, o Renascimento conquistou o espaço pictórico através da perspetiva e da profundidade. Giotto é pioneiro nesta conquista, sendo o primeiro a limitar o chão e o espaço físico das personagens. Sobrepõe cores claras e cores escuras para criar distância. Masaccio constrói a perspetiva e vários elementos da luz (a tridimensalidade existe perante a luz). Deste pintor, destacamos os frescos da capela Brancacci, igreja de Santa Maria del Carmine, em Florença. Também Paolo Ucello se destacou no desenvolvimento da perspetiva. Foi um mestre da perspetiva. Botticelli vai começar a tratar alguns temas que até aí não tinham sido tratados. Rafael foi o expoente máximo da evolução da pintura. Leonardo da Vinci marcou o Renascimento, mas este artista, só foi pintor por acidente. A pintura, para Leonardo, é um instrumento de investigação. Criou a técnica do sfumato.

No campo da escultura, destaca-se Lorenzo Ghiberti, e as Portas do Batistério de Florença, Donatello, com David, Bernardo Rosselino, com o monumento sepulcral a Leonardo Bruni, Miguel Ângelo, com David, entre outros.

Na arquitetura renascentista, Filippo Brunelleschi foi o expoente máximo em Florença, com obras como a cúpula da catedral de Florença e o Hospital dos Inocentes.

Enquanto que a arte da Idade Média apresentou-se sobretudo simbólica, a arte do Renascimento apresentou-se como figurativa/realista. Usou todos os elementos para atingir este objetivo primordial: a representação da realidade.


Daniela Vicente

Título: O Renascimento

Autor: Daniela Vicente (todos os textos)

Visitas: 2

709 

Comentários - O Renascimento

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Fine and Mellow

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Música
Fine and Mellow\"Rua
"O amor é como uma torneira
Que você abre e fecha
Às vezes quando você pensa que ela está aberta, querido
Ela se fechou e se foi"
(Fine and Melow by Billie Holiday)

Ao assistir a Bio de Billie Holiday, ocorreu-me a questão Bluesingers x feminismo, pois quem ouve Blues, especialmente as mais antigas, as damas dos anos 10, 20, 30, 40, 50, há de pensar que eram mulheres submissas ao machismo e maldade de seus homens. Mas, as cantoras de Blues, eram mulheres extremamente independentes; embora cantassem seus problemas, elas não eram submissas a ponto de serem ultrajadas, espancadas... Eram submissas, sim, ao amor, ao bom trato... Essas mulheres, durante muito tempo, tiveram de se virar sozinhas e sempre que era necessário, ficavam sós ou mudavam de parceiros ou assumiam sua bissexualidade ou homossexualidade efetiva. Estas senhoras, muitas trabalharam como prostitutas, eram viciadas em drogas ou viviam boa parte entregues ao álcool, merecem todo nosso respeito. Além de serem precursoras do feminismo, pois romperam barreiras em tempos bem difíceis, amargavam sua solidão motivadas pelo preconceito em relação a cor de sua pele, como aconteceu a Lady Day quê, quando tocava com Artie Shaw, teve que esperar muitas vezes dentro do ônibus, enquanto uma cantora branca cantava os arranjos que haviam sido feitos especialmente para ela, Bilie Holiday. Foram humilhadas, mas, nunca servis; lutaram com garra e competência, eram mulheres de fibra e cheias de muito amor. Ouvir Billie cantar Strange Fruit, uma das primeiras canções de protestos, sem medo, apenas com dor na alma, é demais para quem tem sentimentos. O brilho nos olhos de Billie, fosse quando cantava sobre dor de amor ou sobre dor da dor, é insubstituível. Viva elas, nossas Divas do Blues, viva Billie Holiday, aquela que quando canta parte o coração da gente; linda, magnifica, incomparável, Lady Day.

O amor vai fazer você beber e cair
Vai fazer você ficar a noite toda se repetindo

O amor vai fazer você fazer coisas
Que você sabe que são erradas

Mas, se você me tratar bem, querido
Eu estarei em casa todos os dias

Mas, se você continuar a ser tão mau pra mim, querido
Eu sei que você vai acabar comigo

Pesquisar mais textos:

Sayonara Melo

Título:Fine and Mellow

Autor:Sayonara Melo(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios