Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Alimentação > Sopa uma refeição económica

Sopa uma refeição económica

Categoria: Alimentação
Visitas: 6
Sopa uma refeição económica

Dizem os estudiosos da alimentação que a sopa teve origem na pré-história. Os antecedentes teriam sido os caldos, que podiam ser doces (feitos a partir de vegetais frescos no seu estado natural) ou ácidos (à base de plantas ácidas, como as urtigas, ou através de fermentação alcoólica ou láctea).

Não se sabe muito sobre os hábitos “sopeiros” dos povos do Egipto, da Mesopotâmia, da Pérsia, da Fenícia ou da Síria, mas os caldos hebreus eram elaborados à custa da fervura de carne e cereais.

Já os gregos, pelo seu apreço ao consommé, detinham um verdadeiro ex-libris: o célebre Caldo Negro de Esparta. Ao que parece, na sua composição entraria sangue de animais misturado com vinagre e ervas aromáticas. É razão para dizer: «Que caldo…» Talvez fosse esta a razão de os espartanos mostrarem enorme vilipêndio pela vida no campo de batalha: até a morte seria preferível!

Os romanos tornaram-se mestres no que à sopa diz respeito, e era grande a tradição no seio do império. Para os pastores, a sopa, geralmente de cereais, constituía o prato principal e diário, a que juntavam outros produtos da época: verduras, legumes, frutas e queijo. O imperador Nero não dispensava um caldo quente todos os dias, por considerar que lhe preservava as cordas vocais, que ele gostava de exercitar (não só para emanar asneiras atrás de asneiras, mas também na arte do canto).

Cada país tem usos muito próprios, e as singularidades culturais, climáticas, sociais, geográficas e outras, contribuem para especificidades que a gastronomia deixa transparecer quase como uma imagem de marca. Assim, temos o gaspacho espanhol, a bouillabaisse de Marselha (França), o borscht, da Rússia, a fasolada grega, o goulash húngaro, o minestrone italiano, o menudo, do México, a brabançonne belga, o caldo verde português e toda uma vasta panóplia de sopas que transmitem a “alma” de cada civilização.

Na génese etimológica da palavra “sopa” encontra-se o significado “bom alimento”. Efectivamente, a sopa assenta numa confecção natural dos alimentos. Estes cozem em água, na qual permanecem alguns nutrientes, mormente dos legumes. Como não se deita fora essa água, que passa a corresponder ao caldo da sopa, os nutrientes não se perdem. Deste modo, a sopa corresponde, tão simplesmente, ao processo mais saudável para confeccionar e consumir os legumes, tornando-os mais saborosos, de textura aveludada e com maior digestibilidade.

Em muitas casas, sobretudo em tempos de crise, a sopa, que é um alimento económico, aparece como um espécie de salva-vidas. De facto, este “salvamento” opera-se de duas maneiras essenciais: enche-se o estômago e vela-se pela saúde.



Maria Bijóias

Título: Sopa uma refeição económica

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 6

783 

Comentários - Sopa uma refeição económica

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como fazer disfarces de Carnaval

Ler próximo texto...

Tema: Vestuário
Como fazer disfarces de Carnaval\"Rua
O ano começa e depressa chega uma data muito ansiada principalmente pelos mais jovens: o desejado Carnaval!

Esta é uma data que os pequenos adoram e deliram com as fantasias. O problema maior é a despesa que os disfarces representam e no ano seguinte já não usarão o mesmo disfarce ou, no caso dos mais pequenos, já não lhes serve.
O melhor nesta data é mesmo reciclar e aprender a fazer disfarces caseiros utilizando truques mais económicos e materiais reciclados para preparar as fantasias dos pequenitos!

Uma sugestão para os meninos é o traje de pirata que pode facilmente ser criado a partir de peças que tenha em casa. Procure uma camisa de tamanho grande e, de preferência, de cor branca com folhos. Se não tiver uma camisa com estas características facilmente encontrará um modelo destes no guarda-vestidos de alguma familiar, talvez da avó.

Precisará de um colete preto. Na falta do colete pode utilizar um casaco preto que esteja curto, rasgue as mangas pelas costuras dos ombros. As calças devem ser velhas e pretas para poderem ser cortadas na zona das pernas para envelhecer a peça. Coloque um lenço preto ou vermelho na cabeça do menino e, de seguida, com um elástico preto e um pouco de velcro tape um dos olhos.

Para as meninas não faltam ideias originais para fazer disfarces bonitos e especiais para este dia. Uma ideia original é a fantasia de Flinstone. É muito fácil e prática de fazer e fica um disfarce muito bonito. Comece por arranjar um pedaço de tecido branco. Coloque o tecido em volta do corpo como uma toalha de banho e depois amarre num dos braços fazendo uma alça. Depois corte as pontas em ziguezague mantendo um lado mais comprido que o outro. Amarre o cabelo da menina todo no cimo da cabeça, como se estivesse a fazer um rabo-de-cavalo mas alteie-o mais. Com o auxílio de um pente frise o cabelo, pegando nas pontas e passando o pente em sentido contrário até que fique todo despenteado. Numa loja de disfarces compre um osso de plástico e prenda na fita da criança.

Pegue nos materiais, puxe pela imaginação e ponha mãos ao trabalho!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Como fazer disfarces de Carnaval

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    09-06-2014 às 04:01:21

    Não em carnaval, mas em bailes de fantasia, sempre usei o TNT. Eles são ótimos para trabalhar o corte, para costurar e deixa bem bonito!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios