Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Máquinas > Máquinas de Costura

Máquinas de Costura

Categoria: Máquinas
Visitas: 10
Comentários: 9
Máquinas de Costura

As máquinas de costura têm várias funções. Podem cozer botões, fazer bordados, cozer e cortar ao mesmo tempo e até podem fazer duas costuras ao mesmo tempo com duas agulhas em paralelo.

Desde há muito tempo que nos habituamos a ver em algumas casas máquinas de costura portáteis. Estes equipamentos, por norma escondidos em maletas nas arrecadações de muitos de nós, tem a principal função costurar algumas pequenas peças que necessitam de remendos. Fazem o trabalho mais básico, mas vêm equipadas com vários dispositivos que permitem fazer trabalhos diferentes do habitual.

São práticas e eléctricas, munidas de um pedal, ligado por um fio à máquina, que permite a execução do trabalho com uma enorme facilidade.

Os valores podem variar, naturalmente conforme a marca e a sua munição. Se vier equipada com o sistema de coze e corte, prepare-se para pagar um valor mais elevado do que uma máquina normal, pois não se trata de uma máquina básica.

Os dispositivos podem ser comprados à parte, pois permite ganhar experiencia e só depois aventurar-se em novas modalidades como os bordados.

Se as máquinas de hoje nos permitem fazer dezenas de coisas diferentes, sem que sejamos profissionais da costura, as máquinas de outros tempos não eram assim.

Quem não se lembra de ver uma mesa com máquina de costura em casa das avós? A cabeça das máquinas recolhem, e em vez de se ver toda a máquina, via-se uma mesa de madeira, com uma pequena gaveta de lado.

Com uma particularidade única, estas máquinas eram movidas a pedal, e a roda lateral estava colada à mesa, tal e qual a roda de uma bicicleta.

Hoje, estas máquinas de costura antigas podem ser vistas em museus ou em casas de antiguidades e muitas delas podem ter valores mais elevados que as máquinas mais recentes.

Costureiras e costureirinhas, usam e abusam destes utensílios tão fundamentais e importantes para o nosso dia-a-dia, mas não se julgue que são só elas. Muitas pessoas têm por habito aventurar-se na execução de uma blusa ou um vestido. Parta para a aventura e tente também.


Carla Horta

Título: Máquinas de Costura

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 10

771 

Imagem por: House Of Sims

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 9 )    recentes

  • SophiaSophia

    12-05-2014 às 03:47:46

    Com tanta facilidade hoje, a máquina de costura tornou-se um equipamento de acesso rápido e que facilita muito a vida de muitas pessoas. Que bom é costurar modelando a sua própria roupa.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoLourdes

    26-07-2012 às 11:33:11

    Já fiz cursos de costura e devo dizer que dão muito jeito. Desde que me reformei, passei a fazer roupas para as minhas netas e alguns arranjos para fora, o que me permite ganhar algum dinheiro extra. Valem a pena e não paguei muito perante as técnicas que aprendi. Recuperei o investimentos num instante.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoMatilde

    26-07-2012 às 11:32:48

    Não é necessário gastar muito dinheiro na mesa de costura. As mesas com o pedal e a roda estão à venda em vários sítios e por um preço bem acessível. Até lojas onde se vendem móveis usados que não são considerados antiguidades, conseguimos encontrar isto. Agora, se a ideia é ter a mesa com a máquina, aí já é diferente. Ainda mais com uma máquina boa e que funcione.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoAlzira

    24-07-2012 às 09:58:02

    Também tenho uma máquina com mesa e pedal. A minha mãe ofereceu-ma há uns anos e uso-a com regularidade. Os arranjos da roupa são feitos cá em casa e a máquina dá muito jeito. Como a chamada cabeça da máquina antiga estava estragada, optei por comprar uma nova e adaptar à mesa. O resultado é muito bom, pois consegui associar a beleza da mesa com o pedal antigos, às utilidades de uma máquina nova.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoAna Maria

    24-07-2012 às 09:57:28

    Nunca soube costurar e confesso que nem sequer é uma coisa que me interesse muito. No entanto, lembro-me perfeitamente das máquinas de costura antigas, com a mesa, o pedal e a roda. Lembro-me do barulho característica que faziam, pois a minha avó trabalhava imenso com a dela. Quando esta faleceu, trouxe a mesa com a máquina para casa e uso-a como decoração no hall de entrada.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoMiriam

    23-07-2012 às 11:59:29

    Já fiz um destes cursos e são de facto muito uteis. Valem a pena. São baratos e acontecem de vez em quando na minha zona (numa papelaria onde vendem imensos produtos de artesanato para serem executados). Já aprendi coisas muito uteis e os resultados práticos que afinal são os que mais interessam fantásticos.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoCristina

    23-07-2012 às 11:58:33

    Existem já alguns sítios onde fazem pequenos cursos e workshop’s de costura. Valem a pena frequentar estes pequenos cursos pois além de ensinarem a trabalhar com as máquinas, ensinam algumas técnicas que vão ser muito uteis, como o coze e corte que nem sequer é tão simples quanto se julga. Experimenta saber onde na tua zona estão a ocorrer estes pequenos cursos.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoPaula

    19-07-2012 às 12:20:26

    Tenho uma máquina de costura das elétricas já há algum tempo. No entanto, ainda não consigo trabalhar com ela como deve ser. Será que existem formas de aprender, ou a minha máquina vai acabar por ficar encostada num canto sem ser utilizada? Tenho pena pois ideias tenho muitas, mas a máquina acaba por estar arrumada sem utilização.

    ¬ Responder
  • Cristiane Maciel

    20-04-2014 às 19:32:26

    Eu comprei uma máquina de costurar faz uns 2 anos,eu não sabia nem como passar a linha! mas fui me empolgando e tentando, quebrando agulhas ...
    rsrsrsr.Mas agora já me arrisco a confeccionar algumas peças. comecei fazendo bainha em pano de copa. O segredo é não desistir se possível faça um cursinho básico de corte e costura. Um abraço! 3

    ¬ Responder

Comentários - Máquinas de Costura

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os descendentes de Eça

Ler próximo texto...

Tema: Literatura
Os descendentes de Eça\"Rua
Recentemente, por via da comunicação social, soubemos da entrega do prémio Leya, a um trineto de Eça de Queirós. Julgo que bastou essa noticia, para que todos ficássemos curiosos sobre os seus descendentes…esse mistério, como o Mistério da Estrada de Sintra, começou a adensar-se entre quem se interessa por estas coisas da literatura e da genealogia…então aqui deixo algumas notas que poderão ser importantes para quiçá, um dia, um qualquer jornalista, ou editor, se lembre, de conseguir reunir todos os seus descendentes vivos e se tire uma fotografia de família.

José Maria Eça de Queirós, escritor pródigo da nossa nação, contraiu matrimónio em 1886, com Emília de Castro Pamplona Resende, condessa de Resende, deixando à data de sua morte, em Paris, quatro filhos como seus descendentes e herdeiros diretos; foram eles António Eça de Queirós, Maria Eça de Queirós, Alberto Eça de Queirós e José Maria Eça de Queirós; portanto três meninos e uma menina.
Através do site Geneall.net, foi possível perceber as linhas genealógicas que se seguiram aos seus filhos. No entanto, nem todos os nomes dos seus bisnetos e trinetos estão aí presentes, com certeza por motivos de ordem pessoal, de resguardo da privacidade, motivos que não podemos questionar. Porém, é possível, pelo menos determinar a existência desses membros da família queirosiana.

De antemão sabemos que não houve descendência por parte de dois dos seus filhos, António Eça de Queirós e de Alberto Eça de Queirós.
Maria Eça de Queirós teve dois filhos, uma menina e um menino, porém a menina morreu muito nova, ficando apenas o menino, de seu nome Manuel Pedro Benedito de Castro, que mais tarde casou com Maria da Graça Salema de Castro, a mulher que se tornou a primeira diretora da Fundação Eça de Queirós, na casa de Tormes, pertença da família da esposa de Eça de Queirós. Como Manuel Pedro Benedito de Castro não teve filhos, sabemos que por este ramo, terminou a descendência do escritor.

Convém, entretanto, acrescentar aqui uma curiosidade. Depois do regresso a Portugal da viúva de Eça, ela e os filhos, foram residir para a casa da Granja, pertencente à família de Sophia de Mello Breyner. Inicialmente como esta casa costumava ser arrendada pela família de Sophia, Emília de Castro, arrendou-a, vindo a compra-la uns anos depois. Portanto, é aqui nesta casa que ela cria os seus filhos, e é onde, José Maria Eça de Queirós, um dos seus filhos, permanece após a sua morte, tendo criado aqui os seus filhos e netos, e tendo aqui também falecido.

Podemos então seguramente afirmar que a sua grande linha de descendência parte do seu filho, com o mesmo nome, José Maria Eça de Queirós, que teve também ele, atente-se à curiosidade, quatro filhos, neste caso, ao inverso, um menino, e três meninas, respetivamente de seus nomes, Manuel Eça de Queirós, Maria das Dores Eça de Queirós, Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós e Emília Maria de Castro Eça de Queirós. Esta ultima, Emília, teve ao que consta nove filhos, sendo que um deles, Afonso Maria Eça de Queirós Cabral, é quem atualmente preside à Fundação acima citada, depois da morte da primeira presidente, referida atrás, Maria da Graça Salema de Castro.

Manuel Eça de Queirós por sua vez teve seis filhos, Maria das Dores Eça de Queirós teve três filhos, e Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós, dois filhos. Somados, contabilizamos vinte, os bisnetos do famoso escritor. Seria interessante avançar um pouco mais nos ramos genealógicos e aflorar quem são ou pelo menos, quantos são os trinetos e tetranetos de Eça, por conseguinte fica aqui o desafio, pois é certo que porventura alguns destes descendentes não se conhecem, e nunca terão trocado qualquer impressão sobre o seu ascendente, para uns, bisavô, para outros trisavô, e ainda para outros, tetravô.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Os descendentes de Eça

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Imagem por: House Of Sims

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios