Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > Viver a Inércia

Viver a Inércia

Categoria: Literatura
Viver a Inércia

Em um cenário triste, de muita chuva, o menino dormia sem deixar, sem querer de viver esta noite em que por uma infelicidade teve de viver, pois, em 1958, na capital da Turquia um sangrento e lamentável ataque terrorista ocorreu roubando a infância de um lindo bebê, a plenitude da criança que nada sabe em relação ao que se vê, que nada mais era do que um roubo, na mão grande, de seu maior tesouro que foi o desencarne de sua mãe solteira.

Com a criança que, nem mesmo, sabia seu próprio nome, eles foram embora, mas não pense que tudo terminou assim, pois depois de dezessete anos, eles começaram a treiná-lo para que ele fosse um deles e nunca frequentou uma escola regular para que, ao menos, soubesse seu nome.

Depois de um ataque surpresa, a quem tinha como pai que depois do ocorrido perdeu os movimentos e ficou paraplégico, então ele passou a se dedicar mais e mais ao seu pai que foi responsável por tirar a vida de sua mãe, além de matar mais e mais, incansavelmente em nome do Islã até que em um desses ataques, ele conheceu quem o faria mudar, apaixonando-se incondicionalmente, porém, não, um minuto que seja de cuidar de quem lhe roubou a infância e a vida de sua mãe.

Em uma manhã de sexta-feira, quem o tinha como pai morre após passar cinco anos vivendo a inércia e, desde então, o garoto viveu o resto de sua vida com a culpa de o ter matado, até se deixar vitimar pela depressão.
Essa garota, por quem, se apaixonou o garoto que nem mesmo sabia seu nome, descobriu o câncer em seu cerebelo que já havia se espalhado e ela teve de cortar o cabelo loiro, sua maior fascinação.

Ela, por meio de cartas, deu a notícia e o propôs que a fizesse viver o hoje como se fosse o seu último dia e ela queria viver a experiência de ser mãe. Esse desejo maçante de ser mãe foi o motivo que a fortaleceu muito, pois esse momento na vida de toda mulher é um divisor de águas.
A partir daí, ela começou a cabular suas aulas para realizar seu maior sonho e teve sua primeira relação sexual com esse menino e engravida dele.

No final de semana, em que os dois se encontram ela conta a ele sobre o câncer e que estava grávida e combinaram um dia para ele cortar o cabelo dela e ela o dele.
No dia em que se inicia o tratamento, ela começa a sentir os sinais de sua gravidez.

E seis meses depois, ela recebe a melhor notícia de sua vida que é de sua cura e os dois começam um relacionamento carregado por frutos sadios.


Kaique Barros

Título: Viver a Inércia

Autor: Kaique Barros (todos os textos)

Visitas: 0

0 

Comentários - Viver a Inércia

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os primeiros brinquedos

Ler próximo texto...

Tema: Brinquedos
Os primeiros brinquedos\"Rua
O brinquedo é mais do que um objecto para a criança se divertir e distrair, é também uma forma de conhecer o mundo que tem ao seu redor e para dar asas à sua imaginação. Desta forma, os brinquedos sempre estiveram presentes na sociedade.

Os primeiros brinquedos datam de 6500 anos atrás, no Japão, em que as crianças brincavam com bolas de fibra de bambu. Entretanto há 3000 anos surgiram os piões feitos de argila e decorados, na Babilónia.

No século XIII apareceram os soldadinhos de chumbo, porém só eram acessíveis às famílias nobres. Cinco séculos mais tarde, apareceram as caixas de música, criadas por relojoeiros suíços.

As bonecas são muito antigas, surgiram enquanto figuras adoradas como deusas, há 40 mil anos, mas a primeira fábrica abriu apenas em 1413 na Alemanha. Barbie, a boneca mais famosa do mundo, foi criada em 1959, mas ainda hoje é das mais apetecíveis pelas crianças.

O grande boom dos brinquedos aconteceu quando se descobriu o plástico para o fabrico. Mesmo assim, muitas famílias não podiam comprar brinquedos aos filhos, como tal, estes utilizavam diversos tipos de materiais e construíam os seus próprios brinquedos.

Actualmente, as crianças têm acesso a uma enorme variedade de brinquedos, desde bonecas, a carros telecomandados, a videojogos… Educativos ou apenas lúdicos, há de tudo e para todos os gostos e preços.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Os primeiros brinquedos

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • umdolitoys 23-01-2013 às 05:46:38

    Adorei a reportagem! e tenho algo para vocês verem!!

    Espero que gostem!!!

    ¬ Responder
  • sofia 22-07-2012 às 21:56:29

    Achei muito interecante e muito legal saber que ano foi fabricadoas bonecas

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios