Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > Mais Mais

Mais Mais

Categoria: Literatura
Mais Mais

A Ordem
A ordem que me falta
Se assemelha ao que também falta
A essa pizza a que no cesto de lixo os Ratos fizeram a matinal vizita,
Por não entender ser bem-vinda
Se tanta escassez de alegria causa ao meu coração
Que chora devido essa perdição a qual me
Dispõe dentre aos restos de pizza que na caixa
Permanecia intacta até a submissa invasão
A qual sou disposto sem mais já que a ordem
Me falta até por amar e
Sentir-me desejo por alguém que,
Com prazer descentraliza a minha ordem.

Se Passa
Se passa pelo meu coração
Um turbilhão sentidos
Tão quão vazia
Fazendo da ilusão
Tão quão decorrente ao que sinto
Por essa emoção que me invade
Me deixando sem a mínima privacidade
Que sem idade
Continua a se desleixar de
Minha felicidade que se sobressaí
Decorrente a essa tão cruscial e dolorosa perdição.

Arrecadação
Arrecado além do seu ardente calor,
O seu tão premisso amor
E eloquente paixão que se sobressaí
Acima da ilusão satirizando a sua
Própria sarcásticidade que me sobrepõe
O peso das palavras ditas em episódios
Quase que totalmente não recorrentes
A qualquer coisa que fazemos
Ou há cada instantes que respiramos,
Mas também há cada segundo que paro
Somente para pensar em quem somente me deu asas
Para ao céu,
Explorar essa tamanha imensidão
Recorrente à essa paixão que como o fogo
Incendeia minha alma descatando todo esse
Episódio de ódio e
Rancor a qual sobreponho essa poesia.

Metas
Metas que apresento para
Alcançar essa insana imensidão
Que parece se distânciar de meu coração,
Massacrando a liberdade
De sentir uma emoção
Mais forte que a da paixão
Que há cada instante a que dou-me
Conta de que um dia vejo-me tocar ela,
Esse sentimento parece há cada instante
Que respiro parece se distanciar tão
Rápido quanto o raio de luz dessa emoção
De um dia te golpeia e
Acerta em cheio o meu coração
Que nunca se parece saciar a fome de amar.

Com Juros
Com juros cobro por seu amor
Substância que me atinge sem a
Complexidade de enxergar a insanidade
De quem ama sem se importar em ser amado
Por quem tanto ama
Que se deixar levar pelo coração
De quem expressa uma pureza ainda somente
É possível enxergar aos olhos de uma criança
Que sem família e
O amparo de quatro paredes
Para que do frio se proteja não sendo
Obrigado pela paixão seder-se
À insana perdição que com juros cobra
Pela escuridão,
A compreensão por parte desse amor
Que me cobra pelos juros de seus erros.


Kaique Barros

Título: Mais Mais

Autor: Kaique Barros (todos os textos)

Visitas: 0

0 

Comentários - Mais Mais

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os primeiros brinquedos

Ler próximo texto...

Tema: Brinquedos
Os primeiros brinquedos\"Rua
O brinquedo é mais do que um objecto para a criança se divertir e distrair, é também uma forma de conhecer o mundo que tem ao seu redor e para dar asas à sua imaginação. Desta forma, os brinquedos sempre estiveram presentes na sociedade.

Os primeiros brinquedos datam de 6500 anos atrás, no Japão, em que as crianças brincavam com bolas de fibra de bambu. Entretanto há 3000 anos surgiram os piões feitos de argila e decorados, na Babilónia.

No século XIII apareceram os soldadinhos de chumbo, porém só eram acessíveis às famílias nobres. Cinco séculos mais tarde, apareceram as caixas de música, criadas por relojoeiros suíços.

As bonecas são muito antigas, surgiram enquanto figuras adoradas como deusas, há 40 mil anos, mas a primeira fábrica abriu apenas em 1413 na Alemanha. Barbie, a boneca mais famosa do mundo, foi criada em 1959, mas ainda hoje é das mais apetecíveis pelas crianças.

O grande boom dos brinquedos aconteceu quando se descobriu o plástico para o fabrico. Mesmo assim, muitas famílias não podiam comprar brinquedos aos filhos, como tal, estes utilizavam diversos tipos de materiais e construíam os seus próprios brinquedos.

Actualmente, as crianças têm acesso a uma enorme variedade de brinquedos, desde bonecas, a carros telecomandados, a videojogos… Educativos ou apenas lúdicos, há de tudo e para todos os gostos e preços.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Os primeiros brinquedos

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • umdolitoys 23-01-2013 às 05:46:38

    Adorei a reportagem! e tenho algo para vocês verem!!

    Espero que gostem!!!

    ¬ Responder
  • sofia 22-07-2012 às 21:56:29

    Achei muito interecante e muito legal saber que ano foi fabricadoas bonecas

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios