Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Evangélicas > Guerreiros Visionários - A criação de Deus

Guerreiros Visionários - A criação de Deus

Categoria: Evangélicas
Comentários: 2
Guerreiros Visionários - A criação de Deus

Num passado bem distante a terra estava em densas trevas, pois as pessoas não reconheciam a luz de Deus. O Espírito de Deus passeava em volta das trevas, porém ninguém O convidava para entrar. O homem não estava mais respeitando as criações de Deus. Ele com sua astúcia aprisionava boa parte dos seres viventes para extingui-los do planeta.

Em uma terra bem distante dali nascem crianças com alterações genéticas, onde possuíam características de animais. Seus pais sabendo disso esconderam seus filhos em diversos lugares tais como campinas, desertos, florestas, topo de árvores, perto de oceanos. Os pais cuidavam dos seus filhos até que guerreiros ímpios executam-os.

Os filhos já crescidos fogem como podem. Foram excluídos da humanidade e visto como aberrações. Cada criança abominada pela sociedade aprende técnicas de luta e começam a perceber suas habilidades especiais. Tornam-se adolescentes e iniciam a busca pela sua razão de vida que até então não se achara.

Gigama era uma adolescente que vivia na água, sua pele era bem dura e escamada. Não tinha muita velocidade em razão da concha que nascera em suas costas. Seu corpo era muito úmido por causa da corrente de água que fluía em conjunto com sua pele. A guerreira contempla um pergaminho boiando no mar e logo toma posse. Ela abre e contempla algo poderoso pairando por sobre as águas, era o Espírito de Deus. Gigama não sabia o que era, mas queria conhecer. O Espírito diz: O homem não te perdoa, mas Eu te perdoo e aceito. Gigama se prostra diante dEle.

Enquanto isso no deserto, Cuirasson, um adolescente vaga procurando conhecer a verdadeira razão de sua vida. Ele era diferente em razão de uma carapaça cheia de escamas nas suas costas que o protegia de ataques inimigos. Sua pele era dura e grossa com pequenos espinhos. O guerreiro avista algo extraordinário se movendo por sobre o deserto, era o Espírito de Luz. Deus diz ao guerreiro: Eu sou o mesmo, no passado, no presente e no futuro. Cuirasson não estava acreditando naquela voz sobrenatural.

O Espírito diz: Eu sei que o homem te desprezou e te abandonou, mas Eu não desisti de você. Imediatamente o jovem se prostrou. Ele declara: Não importa o meu passado. Faça-te a tua vontade.

Na floresta havia uma adolescente que se chamava Gigave. Ela possuía potentes pés em forma de patas fazendo-a ser bem rápida para atacar seus adversários. Em suas costas existiam pequenas asas que serviam para ajudar seu equilíbrio. Gigave corre em direção da árvore em treinamento e tropeça machucando-se no chão. Ela chora e fica se perguntando o porquê de tanto sofrimento. Neste momento, uma mão iluminada brilha a sua frente e diz: Levante-se desse chão! Deus diz a ela: Seu passado por mim foi esquecido, o seu futuro está em minhas mãos, Eu nunca desisti de você. Gigave se rendeu e adorou a Deus sorrindo de alegria. Ela diz: Finalmente, encontrei meu propósito de vida.

Nesta mesma floresta, em uma árvore vivia Oison, um adolescente muito inteligente. O jovem possuía nadadeiras com estilo de peixes-voadores que o ajudava a planar em até 100 metros de altura. Ele pode voar rápido e permanecer imóvel no ar, gostava de meditar pendurado em árvores. Em sonho uma voz diz: Até quando viverás nesta prisão? Eu já te perdoei, agora faça a sua parte.

Cumpra a minha missão. Reúna-se com os meus escolhidos e lute para trazer a liberdade os que se encontram presos pelos homens ímpios. Ele acorda atemorizado. Ele diz para si mesmo: O futuro não perdoa prisioneiros do passado.

Com isso, todos avançam rumo as cidades onde permaneciam em cárceres entre muitos cristãos e seres viventes.


Natanael Genoel

Título: Guerreiros Visionários - A criação de Deus

Autor: Natanael Genoel (todos os textos)

Visitas: 0

617 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoGil

    25-05-2014 às 01:25:45

    Guerreiros visionários , amei

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoFernando alves

    24-05-2014 às 23:20:04

    " Em sonho uma voz diz: Até quando viverás nesta prisão? Eu já te perdoei, agora faça a sua parte. "

    Adorei esta parte, simplesmente sublime, parabéns !

    ¬ Responder

Comentários - Guerreiros Visionários - A criação de Deus

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

A história da fotografia

Ler próximo texto...

Tema: Fotografia
A história da fotografia\"Rua
A história e princípios básicos da fotografia e da câmara fotográfica remontam à Grécia Antiga, quando Aristóteles verificou que os raios de luz solar e com o uso de substâncias químicas, ao atravessarem um pequeno orifício, projetavam na parede de um quarto escuro a imagem do exterior. Este método recebeu o nome de câmara escura.

A primeira fotografia reconhecida foi uma imagem produzida em 1826 por Niepce. Esta fotografia foi feita com uma câmara e assente numa placa de estanho coberta com um derivado de petróleo, tendo estado exposta à luz solar por oito horas, esta encontra-se ainda hoje preservada.

Niepce e Louis –Jacques Mandé Daguerre inciaram em 1829 as suas pesquisas, sendo que dez anos depois foi oficializado o processo fotográfico o nome de daguerreótipo. Este processo consistia na utilização de duas placas, uma dourada e outra prateada, que uma vez expostas a vapores de iodo, formando uma pelicula de iodeto de prata sobre a mesma, ai era a luz que entrava na camara escura e o calor gerado pela luz que gravava a imagem/fotografia na placa, sendo usado vapor de mercúrio para fazer a revelação da imagem. Foi graças á investigação realizada por Friedrich Voigtlander e John F. Goddard em 1840, que os tempos de exposição e revelação foram encurtados.




Podemos dizer que o grande passo (não descurando muitas outras mentes brilhantes) foi dado por Richard Leach Maddox, que em 1871 fabricou as primeiras placas secas com gelatina, substituindo o colódio. Três anos depois, as emulsões começaram a ser lavadas com água corrente para eliminar resíduos.

A fotografia digital


Com o boom das novas tecnologias e com a capacidade de converter quase tudo que era analógico em digital, sendo a fotografia uma dessas mesmas áreas, podemos ver no início dos anos 90, um rápido crescimento de um novo mercado, a fotografia digital. Esta é o ideal para as mais diversas áreas do nosso dia a dia, seja a nível profissional ou pessoal.

As máquinas tornaram-se mais pequenas, mais leves e mais práticas, ideais para quem não teve formação na área e que não tem tempo para realizar a revelação de um rolo fotográfico, sem necessidade de impressão. Os melhores momentos da nossa vida podem agora ser partilhados rapidamente com os nossos amigos e familiares rapidamente usando a internet e sites sociais como o Facebook e o Twitter .

A primeira câmara digital começou a ser comercializada em 1990, pela Kodak. Num instante dominou o mercado e hoje tornou-se produto de consumo, substituindo quase por completo as tradicionais máquinas fotográficas.

Sendo que presentemente com o aparecimento do FullHD, já consegue comprar uma máquina com sensores digitais que lhe permitem, além de fazer fotografia, fazer vídeo em Alta-Definição, criando assim não só fotografias quase que perfeitas em quase todas as condições de luz bem como vídeo com uma qualidade até agora impossível no mercado do vídeo amador.

Tirar fotografias já é acessível a todos e como já não existe o limite que era imposto pelos rolos, “dispara-se” por tudo e por nada. Ter uma máquina fotográfica não é mais um luxo, até já existem máquinas disponíveis para as crianças. Muitas vezes uma fotografia vale mais que mil palavras e afinal marca um momento para mais tarde recordar.

Pesquisar mais textos:

Bruno Jorge

Título:A história da fotografia

Autor:Bruno Jorge(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    05-05-2014 às 03:48:18

    Como é bom viver o hoje e saber da história da fotografia. Isso nos dá a ideia de como tudo evoluiu e como o mundo está melhor a cada dia produzindo fotos mais bonitas e com qualidade!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios