Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Um Pensar Sobre A Autonomia

Um Pensar Sobre A Autonomia

Categoria: Outros
Um Pensar Sobre A Autonomia

Temos o costume de não agir num determinado momento porque estamos a esperar pelo outro. E não apenas isso, mas de deixarmos o controle de nossa vida à mercê do governo, do chefe, de um outro alguém. Não temos autonomia de ir lá e fazer!

Sofremos com a síndrome da interdependência. Inter significa “dentro” e dependência “precisar de algo, alguém”. Não me refiro no sentido de precisar dos outros, literalmente, pois não tem como viver sem eles. Dependo do padeiro para poder comer pão, dependo do transporte para me locomover, dependo do dinheiro para comprar, comer, estudar. Enfim, nesta vida dependemos uns dos outros. Refiro-me na questão de possuir maior autonomia sobre o que será seu futuro e de ser pró-ativo. É agir sem esperar outro alguém para que eu possa tomar alguma atitude. Isso é autonomia!

A participação cidadã nas questões da sociedade deve estimular a ideia de que não basta cruzar os braços e transferir a culpa para as gestões governamentais. Temos que romper os paradigmas de dependermos do governo, e assumir as decisões de planejamento e desenvolvimento pessoal e com o meio social. Você precisa ter autonomia sobre sua vida e seu futuro e não ficar à mercê do que está a sua volta. Uma sociedade autônoma é formada por cidadãos conscientes e responsáveis com o futuro da coletividade, ou seja, de seu país.

Assumir essa postura de autonomia é ter rédea sobre o que faz com sua vida. Só porque o governo dificulta certas oportunidades acadêmicas ou profissionais, você logo aceita isso e não faz mais nada. Não procura alternativas para fugir do monopólio, é uma delas. Só porque a empresa não dá um aumento significativo, você aceita ficar anos e anos ganhando a mesma miséria. Só porque ninguém faz nada para mudar, você também não o faz!

Não espere sempre pelos outros, pelo governo. Não espere o seu patrão decidir sobre seu tempo de trabalho exigindo que fique no serviço além do que lhe é exigido. Não se submeta a certas falcatruas por medo de perder seu emprego. Não seja dependente de seus sentimentos, emoções. Aja com racionalidade! Tenha autonomia para decidir sobre as questões de sua vida e não ser levado pelas circunstâncias que lhe acontecem.

Depender do governo é não ter autonomia. Nunca devemos nos submeter a isso. Nunca! Não dependa da educação que o governo oferece. Estude em casa, leia livros, tente sempre melhorar nos seus conhecimentos. Depois, você não precisará culpar ninguém. Na verdade, a única culpa será a sua! Ter autonomia é isso: “não culpar ninguém pelo seu insucesso, pelas mazelas”! Você é o autor de sua vida.


Briana Alves

Título: Um Pensar Sobre A Autonomia

Autor: Briana Alves (todos os textos)

Visitas: 0

457 

Comentários - Um Pensar Sobre A Autonomia

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O que é uma Open House?

Ler próximo texto...

Tema: Imóveis Venda
O que é uma Open House?\"Rua
Este é um tema que vem pôr muito a lindo o trabalho de alguns mediadores imobiliários e do seu trabalho.

Quando temos um imóvel para vender, muitos são os métodos a utilizar e os meios que nos levam até eles para termos o nosso objetivo cumprido – A venda da Casa.
Quando entregamos o nosso imóvel para que uma mediadora o comercialize, alguns aspetos têm de ser tidos em conta, como a legalidade da empresa e quem será a pessoa responsável pela divulgação da sua casa, mas a ansia de vermos o negócio concretizado é tanta, que muitas vezes nos escapa a forma como fazem a referida divulgação e publicidade do imóvel.

Entre anúncios na internet e as conhecidas folhas nas montras dos estabelecimentos autorizados, muitas mediadoras optam por fazer uma ação que está agora muito em voga que é uma Open House. Mas afinal, o que é isto de nome estrangeiro que tanto se vê pelas ruas e em folhetos de anúncio?

Ora bem, a designação em Português é muito simples – Casa Aberta. E na realidade, uma Open House é isso mesmo. Abrir uma Casa para que todos a possam ver. NO entanto, requerem-se alguns aspetos que as mediadoras normalmente preveem, mas que é fundamental que o proprietário do imóvel também tenha consciência e conhecimento.

Por norma as imobiliárias só fazem este tipo de intervenção e ação em imóveis que têm como exclusivo, isto é, quando é uma só determinada mediadora, a autorizada a poder comercializar o imóvel.

Em segundo lugar, este tipo de ação de destaque requer à mediadora custos com tempo, recursos humanos e financeiros.
A mediadora começa por marcar um dia próprio que por norma é datado para um feriado ou fim de semana. Faz então publicidade local através de folhetos e flyres anunciando a Open House, o dia e a hora, tal como o local. Muito provavelmente serão tiradas fotografias ao seu imóvel.

Através de redes sociais também poderão ser divulgadas as ações.
No dia da Open House, o local será indicado com publicidade da sua casa e da imobiliária e começarão a aparecer visitas ao imóvel.

Sugiro que não tenha mobiliário e muito menos valores em casa. O ideal será o imóvel estar desocupado de todos e quaisquer bens, por uma questão de segurança, mas também porque as áreas parecerão maiores e isso com toda a certeza ajuda à venda.

A imobiliária será responsável pela limpeza e trato do imóvel, pelo que se ocorrerem danos, serão eles os responsáveis.
Neste tipo de ações, é normal que a concorrência das imobiliárias apareça e faça parcerias que para si só trará vantagens.

Uma Open House pode não ser uma ação de destaque em Portugal, mas por exemplo nos Estados Unidos, é o normal e mais agradável. Os clientes não se sentem pressionados como numa visita normal e os negócios concretizam-se com muito mais rapidez e naturalidade.

Pesquisar mais textos:

Carla Horta

Título:O que é uma Open House?

Autor:Carla Horta(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios