Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Bicicletas, veículos do futuro

Bicicletas, veículos do futuro

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Visitas: 4
Comentários: 2
Bicicletas, veículos do futuro

Nos dias de hoje, o tempo livre é cada vez mais precioso para a maioria de nós. Se contabilizarmos o tempo que perdemos em viagens diariamente para o emprego, muitas das vezes parados no transito a queimar combustível durante muitos minutos ou até mesmo horas, concluímos que seria muito mais interessante, chegar ao destino de bicicleta, mesmo que seja necessário combina-la com um transporte publico, como um comboio.

As bicicletas dobráveis permitem em apenas alguns segundos transformar uma bicicleta em uma mala de transporte muito compacta e fácil de transportar, dobrando apenas a bicicleta em dois pontos, podendo desta forma ser facilmente arrumada em casa ou no seu local de trabalho. Os modelos de melhor qualidade são também bastante leves e ainda mais compactos.




Quer seja usada como complemento de um transporte publico, na mala do seu carro ou simplesmente para realizar toda a viagem ajudando desta forma a melhorar a nossa condição física e mental, é sem duvida alguma um objeto extremamente útil e versátil. Permite-nos ainda economizar dinheiro e ao mesmo tempo contribuir para um planeta mais limpo e saudável.
Devemos ter em atenção quando compramos uma bicicleta, que o peso será muito importante, pois se queremos comprar uma bicicleta que se dobra, vamos querer que pese o mínimo possível.

É também importante que os travões tenham alguma qualidade se considerarmos que estas bicicletas foram pensadas para um meio urbano, onde os acidentes acontecem com maior frequência. Naturalmente quanto maior for o nosso orçamento melhor será a bicicleta, mas uma boa bicicleta não tem de ser necessariamente cara. Realize uma pesquisa na Web de forma a garantir que escolhe a melhor bicicleta para a sua carteira.

Existem bicicletas para todos os gostos e todos os ambientes, devemos pensar no tipo de terreno onde vamos usar mais o nosso veiculo, principalmente ás grandes inclinações. Se não vamos usar a bicicleta no comboio ou no autocarro, talvez devêssemos considerar usar um bicicleta de montanha ou até mesmo uma de estrada. No entanto existem também bicicletas de montanha dobráveis o que é ideal para quem a vai conduzir em terrenos mais acidentados ou com grandes subidas.


Ruben Gonçalves

Título: Bicicletas, veículos do futuro

Autor: Ruben Gonçalves (todos os textos)

Visitas: 4

625 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • Yuri SilvaYuri

    18-08-2014 às 06:31:42

    Nooossa, como as bicicletas são importantes na nossa vida. Conheci uma garota que viajava pela estrada de uma parte para outra, apenas com sua bicicleta. Ainda bem que existe ciclovias em alguns lugares.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoSofia Nunes

    11-09-2012 às 16:23:58

    As bicicletas são de facto excelentes alternativas, principalmente para quem não precisa de percorrer grandes distâncias para se deslocar para o local de trabalho ou escola. Para aqueles que vivem na cidade, são perfeitas: evitamos o trânsito ao mesmo tempo que poupamos o ambiente e fazemos exercício, sendo o único inconveniente o cansaço ao chegar ao destino. Cansaço esse que, no entanto, é apenas para os novatos. Devemos transformar o andar de bicicleta em rotina!

    ¬ Responder

Comentários - Bicicletas, veículos do futuro

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Literatura
Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal\"Rua
Gertrude Stein foi uma escritora de peças de teatro, de peças de opera, de ficção, de biografia e de poesia, nascida nos Estados Unidos da América, e escreveu a Autobiografia de Alice B. Toklas, vestindo a pele, e ouvindo pela viva voz da sua companheira de 25 anos de vida, os relatos da historia de ambas, numa escrita acessível, apresentando situações caricatas ou indiscretas de grandes vultos da arte e da escrita da sua época. Alice B. Toklas foi também escritora, apesar de ter vivido sempre um pouco na sombra de Stein. Apesar de ambas terem crescido na Califórnia, apenas se conheceram em Paris, em 1907.


Naquela altura, Gertrude vivia há quatro anos com o seu irmão, o artista Leo Stein, no numero 27 da rue de Fleurus, num apartamento que se tinha transformado num salão de arte, recebendo exposições de arte moderna, e divulgando artistas que viriam a tornar-se muito famosos. Nestes anos iniciais em Paris, Stein estava a escrever o seu mais importante trabalho de início de carreira, Three Lives (1905).


Quando Gertrude e Alice se conheceram, a sua conexão foi imediata, e rapidamente Alice foi viver com Gertrude, tornando-se sua parceira de escrita e de vida. A casa, como se referiu atrás, tornou-se um local de reunião para escritores e artistas da vanguarda da época. Stein ajudou a lançar as carreiras de Matisse, e Picasso, entre outros, e passou a ser uma espécie de teórica de arte, aquela que descrevia os trabalhos destes artistas. No entanto, a maior parte das críticas que Stein recebia, acusavam-na de utilizar uma escrita demasiado densa e difícil, pelo que apenas em 1933, com a publicação da Autobiografia de Alice B. Toklas, é que o trabalho de Gertrude Stein se tornou de facto reconhecido e elogiado.


Alice foi o apoio de Gertrude, foi a dona de casa, a cozinheira, grande cozinheira aliás, vindo mais tarde a publicar algumas das suas receitas, e aquela que redigia e corrigia o que Gertrude lhe ditava. Assim, Toklas fundou uma pequena editora, a Plain Editions, onde publicava o trabalho de Gertrude. Aliás, é reconhecido nesta Autobiografia, que o papel de Gertrude, no casal, era o de marido, escrevendo e discutindo arte com os homens, enquanto Alice se ocupava da casa e da cozinha, e de conversar sobre chapéus e roupas com as mulheres dos artistas que visitavam a casa. Depois da morte de Gertrude, Alice continuou a promover o trabalho da sua companheira, bem como alguns trabalhos seus, de culinária, e um de memórias da vida que ambas partilharam.


Assim, este livro que inspirou o filme “Meia noite em Paris”, de Woody Allen, é um livro a não perder, já nas livrarias em Portugal, pela editora Ponto de Fuga.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios