Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Praxes Académicas

Praxes Académicas

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Visitas: 6
Comentários: 4
Praxes Académicas

A praxe académica é um conjunto amplo de tradições, usos e costumes que se praticam e repetem todos os anos no foro universitário. Fortemente ligada ao conceito de praxe académica está a tradição de integrar os caloiros na sua nova escola. Esta tem um ritual inicial fortemente hierarquizado, ou seja, os mais velhos dos seus cursos é quem mandam.

Muitas vezes a praxe académica ultrapassa os limites da brincadeira e prejudicam o caloiro física e psicologicamente. A praxe exagerada pode gerar mesmo processos-crime contra os praticantes. Associado à praxe académica, está o mote Dura Praxis, Sed Praxis, ou seja, a praxe é dura, mas é praxe.

A atual praxe académica aparece na Universidade de Coimbra. Tem como base uma jurisdição especial, à qual é aplicada uma polícia própria, os Archeiros, sob tutela das autoridades universitárias.

Antigamente, o seu papel era zelar pela ordem no campus e fazer cumprir as horas de estudo e recolher obrigatório por alunos e professores, sob pena de prisão, sobrepondo-se às autoridades policiais locais.

Em 1727, devido à morte de um aluno, D. João V proíbe as investidas feitas pelos veteranos. Os veteranos são alunos com mais de uma matrícula na Universidade.

No século XIX, o termo “investida” dá lugar ao termo “troça”. Os problemas de violência aumentam entre os caloiros e os mais velhos. Com o fim da polícia universitária em 1834, os estudantes organizam-se em trupes, ou seja, eles são uma espécie de polícias universitários. Após o toque vespertino da “cabra”, um dos sinos da Torre da Universidade de Coimbra, patrulham as ruas da cidade à procura de infratores.

Entretanto, a praxe foi interrompida durante alguns períodos. Durante a Implantação da República a praxe é abolida devido à oposição dos estudantes republicanos, sendo mais tarde reposta em 1919.

Durante o século XX, a Universidade de Coimbra tornou-se um centro de luta contra a ditadura e a Guerra Colonial. Isto causou o Luto Académico, em 1961, que levou à suspensão de todas as atividades académicas. Com o fim da ditadura a 25 de abril de 1974, as praxes foram proibidas em muitas universidades. O ressurgimento das praxes apenas ocorre no final dos anos 70. Nesta altura, a praxe deixa de ser um ritual apenas da Universidade de Coimbra.

No entanto, as praxes trouxeram de novo a violência para as universidades. Entretanto, surgem também movimentos anti-praxes. Os membros destes movimentos afirmam que as denúncias não chegam nem a metade do que realmente é na verdade. Atualmente, pelo menos em Coimbra, o caloiro já pode optar por ser praxado ou não, no entanto tem consequências se a sua decisão for negativa, não pode usar traje académico nunca mais.


Daniela Vicente

Título: Praxes Académicas

Autor: Daniela Vicente (todos os textos)

Visitas: 6

801 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 4 )    recentes

  • WB

    06-09-2014 às 11:58:19

    http://notasemelodias.blogspot.pt/2014/07/notas-as-trupes-academicas-origens-e_2.html

    ¬ Responder
  • Yuri SilvaYuri

    18-08-2014 às 04:24:49

    Muito interessante vocês chamarem em Portugal de praxes acadêmicas. Aqui no Brasil é chamado de "trote" logo quando se ingressa na faculdade. Adorei o texto.

    ¬ Responder
  • WB

    04-07-2014 às 20:44:13

    O seu texto está cheio de erros e imprecisões históricas.
    Queira visitar o blogue Notas

    ¬ Responder
  • WB

    05-07-2014 às 12:46:58

    O blogue é o Notas

    ¬ Responder

Comentários - Praxes Académicas

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Dicas para decorar salas pequenas.

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Decoração
Dicas para decorar salas pequenas.\"Rua
A realidade das grandes cidades é que a maioria das pessoas mora em espaços pequenos. É fato também que todos desejam ter um ambiente acolhedor e aconchegante para receber amigos. Em contrapartida, na medida em que os espaços encolhem, a quantidade de aparelhos eletrônicos que utilizamos aumenta cada vez mais. Há ainda quem use a sala como home-office.

Nesta busca de inspiração para organizar e incrementar sua sala, encontramos uma série de sites especializados e blogs com muitas, muitas ideias. O conceito de D.I.Y. (do it yourself) que significa "faça você mesmo” nunca esteve tão na moda. É uma alternativa para reduzir gastos com mão de obra e nada melhor do que criar um espaço com um toque todo seu. Inspirações e ideias não faltam. Hoje, de certa forma todos nos sentimos meio decoradores.

Mas planejar a decoração de uma sala pequena exige alguns cuidados para que o ambiente não fique entulhado de móveis, disfuncional ou até mesmo desagradável.

Confira algumas dicas para decorar sua sala com estilo e valorizando seu espaço:
Os espelhos, além da autocontemplação, causam efeitos interessantes. Aplicados, por exemplo, em uma parede inteira pode duplicar a amplitude do ambiente. Pode ser usado também em móveis, tetos, em diversos formatos e valorizar a luminosidade da decoração.

As cores tem poder de causar sensações. Em ambientes com pouco espaço, elas podem colaborar para que a sensação de amplitude possa tanto aumentar quanto diminuir. Para pintar as paredes de sua sala aposte em cores claras. O teto com uma cor mais clara que a das paredes, por exemplo, pode simular uma elevação do teto, já em uma cor mais escura, promoverá uma sensação de rebaixamento do teto.

A escolha e posição dos móveis são um aspecto muito importante. Opte por poucos móveis, nunca de tamanhos exagerados e posicione-os de forma que valorize o espaço. Móveis que misturam poucos materiais, baixos e com linhas retas proporcionam leveza ao ambiente.

Uma solução muito interessante para espaços pequenos é a utilização de prateleiras. Caixas para produtos horto frutícolas reformadas podem se tornar lindas prateleiras. Mas cuidado com a profundidade, para não atrapalhar na disposição de outros móveis e objetos.

Móveis multifuncionais ou móveis inteligentes são excelentes alternativas para uma sala pequena. Um bom exemplo são pufes, que podem ser usados como mesas de centro ou ficarem alojados debaixo de aparadores e quando recebemos visitas podem se transformar em assentos extras. Mesas dobráveis também são uma ótima opção.

Escolher o mesmo piso ou revestimento pode dar a impressão de área maior, de continuidade. Mudanças drásticas de um ambiente para outro pode causar a sensação de divisão e consequentemente fazer parecer menor.

Algumas outras dicas: um sofá retrátil ou reclinável garante muito mais conforto e ocupa o espaço de um sofá simples. Suporte ou painéis móveis para TV possibilitam que ela seja movida na direção desejável. Caso o ambiente tenha escadas, escolher um modelo de escadas vazadas evita divisões e pode se tornar uma peça de destaque na sala. E para as cortinas, escolha tecidos leves, lisas e sem estampas.

De qualquer forma, ouse, não tenha medo de arriscar, crie, não copie, só assim será seu!

Luciana Santos.

Outros textos do autor:
Dicas para decorar salas pequenas.

Pesquisar mais textos:

Luciana Maria dos Santos

Título:Dicas para decorar salas pequenas.

Autor:Luciana Maria Santos(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Carlos Rubens Neto 16-06-2016 às 16:20:24

    Excelente matéria! Parabéns Luciana ;)

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios