Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > O que se passa com o Mundo?

O que se passa com o Mundo?

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Visitas: 14
O que se passa com o Mundo?

Quantas vezes nos temos colocado esta mesma questão? Que será que se passa com o mundo? Parece que está tudo maluquinho!? Acredito que não existe um argumento ou justificação válida para o tipo de acontecimentos negativos que temos vindo a presenciar nestes últimos anos ou para o estado, aparentemente cada vez mais assustador a nível económico a nível mundial, existem sim vários. Varias são as causas que têm levado a um crescente número de efeitos negativos e atitudes que temos vindo a presenciar e a ouvir falar nos media.

A meu ver existem várias possíveis respostas mas apenas duas fazem mais sentido.




A primeira resposta põe a culpa do estado caótico do mundo nas pessoas e nos dirigentes que estiveram no poder a algumas décadas atrás, que não souberam antever o resultado da sua má gestão das finanças públicas e privadas, pensando que o dinheiro nunca iria acabar. Os que vieram antes, pensavam apenas no dia de hoje, passando essa mesma mentalidade consumista cada vez mais valorizada para esta ultima geração.

Mas será que isto é desculpa!? Não é a primeira vez que se vive um caos e irresponsabilidade a nível económica na história do planeta por causa dos erros do passado dos nossos antepassados ou por causa daqueles que se encontram no poder, aliás, a história da humanidade mostra-nos que isto é um facto socioeconómico recorrente ao longo das eras.

A segunda hipótese, que tem uma maior probabilidade de estar correta, ou que melhor complementa a ideia anterior ou qualquer uma das outras que se possa ter, é muito simplesmente justificada por, uma alteração demasiado grande e rápida nos valores, que nós enquanto seres humanos e/ou sociedade temos vindo a adotar. Faça a si mesmo esta pergunta: O que mudou no mundo nestes últimos 20 a 30 anos?

Não se terá dado uma alteração profunda na forma como educamos os nossos filhos? Não nos tornamos uma sociedade cada vez mais consumista? Que tipo de programas de televisão deixamos as crianças ver? Não passou a ver uma crescente dessensibilização daqui que era considerado errado? Não existirá também agora, graças à uma cada vez mais rápida evolução tecnológica, uma maior facilidade na transmissão e recepção de informação que muitas vezes não temos como filtrar?

Ficam estas duas ideias, qual acredita que está mais próxima da verdade? Ou estarão as duas igualmente certas? A verdadeira questão que nos deverá preocupar não é, como será que isto vai acabar. Mas sim o que podemos fazer para mudar as mentalidades que não ponderam acerca deste assunto e que precipitam o mundo para um caminho que poderá ser desastroso!?


Bruno Jorge

Título: O que se passa com o Mundo?

Autor: Bruno Jorge (todos os textos)

Visitas: 14

631 

Comentários - O que se passa com o Mundo?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Um sinal de compromisso

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Jóias Relógios
Um sinal de compromisso\"Rua
Exibir uma aliança de compromisso é, frequentemente, motivo de orgulho e, quando se olha para ela, vai-se rodando-a no dedo e fica-se com aquela expressão ridícula na cara.

Uma questão se coloca: qual a razão de estas alianças de compromisso serem tão fininhas: será porque os seus principais clientes, os jovens, são sujeitos de poucas posses (tendendo as mesadas a emagrecer ainda mais com a crise generalizada) ou porque esse compromisso, não obstante a paixão arrebatadora, é frágil e inseguro?

Sim, porque aqui há que fazer cálculos matemáticos: x compromissos vezes y alianças…com um orçamento limitado sobre um fundo sentimental infinito…

Depois, importa perpassar os tipos destas alianças. Há as provisórias, que duram em média quinze dias; há as voadoras, que atravessam os ares à velocidade da luz quando a coisa dá para o torto; há as que insistem em cair do dedo, sobretudo em momentos em que ter um compromisso se revela extremamente inoportuno; e depois há as residentes, que uma vez entradas não tornam a sair.

Os pombos-correios usam anilhas onde figuram códigos que os identificam. Talvez não fosse completamente descabido fazer umas inscrições deste género em algumas alianças de compromisso por aí…

Só para ajudar os mais esquecidos a recordarem a que “pombal” pertencem.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Um sinal de compromisso

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Luene ZarcoLuene

    22-09-2014 às 05:46:10

    Um sinal de amor e lealdade perpétua! Adoro ver os vários modelos de aliança! Vale a pena escolher uma bem bonita!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios