Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Existem espíritos?

Existem espíritos?

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Existem espíritos?

Essa é uma pergunta cada vez mais frequente na nossa civilização, em que o número de ateus está crescendo assustadoramente, em especial nos últimos anos. Esse número cada vez maior de ateus, se deve ao fato de que a ciência desenvolve-se e cresce proporcionalmente assustadoramente.

Esse crescimento do pensamento científico gera cada vez mais ateus por que a ciência ainda não provou a metafísica, embora já esteja nos primeiros passos pela física subatômica, por exemplo. Mas os ateus, se baseando na ciência comum, não acreditam nos espíritos, consequentemente, também nem acreditam na vida após a morte.

Uma das ideias que os ateus se baseiam para chegarem a essa conclusão é fazendo a seguinte pergunta: - Já foi provado a existência dos espíritos? E eu rebato simplesmente com a ideia de que só por que uma coisa ainda não foi provada pela ciência comum, não faz com que ela seja falsa. Já como a causa ainda não foi nem reconhecida como verdadeira nem falsa pela ciência comum, eles deveriam pelo menos considerar como sendo "possível".

Mas voltando a questão de existir ou não os espíritos, pense primeiramente se é racional pensar que bilhões de pessoas no mundo teriam tido alucinações ao dizerem que viram um espírito; se é racional pensar que, já como quase 3% da população brasileira é espírita, e ainda existem uma boa porcentagem de umbandistas, condombledistas e etc., são todos vítimas de alucinações.

Outra ideia que me baseio para provar a existência dos espíritos é o chamado Experiência de Quase-Morte (conhecido como EQM). Nesses eventos, pessoas que sofreram acidentes, ou estavam no fim de suas forças orgânicas, logo após voltarem à normalidade, relataram que durante esse período de libertação, foram recebidos por "seres de luz", ou muitas vezes, pelos próprios familiares que já partiram. Como explicar tal fato, que é na verdade tão frequente?

Como explicar também as aparições? Os sonhos que temos? Os pressentimentos que estavam certos?

Mas em minha opinião, o caso que mais faz que se acredite na existência dos espíritos, são os casos de obsessão, quando um espírito começa a perturbar e obsidiar alguém. Alguns dirão que se trata de esquizofrenia. E então como explicar os casos de casas mal assombradas? Teria toda uma família perdido a sanidade? E quando se trata de casos que continuam mesmo após a venda da casa para outra pessoa? Já existem até profissionais nessa área, são os parapsicólogos, que estudam esses fenômenos, e ajudam as pessoas suas vítimas.

É preciso bom senso para não considerar que tanta gente ficou louca da noite para o dia. Só por que você nunca viu (o que é muito difícil), não quer dizer que o que as outras pessoas veem não seja real. É preciso largar o orgulho e admitir que existam, sim, coisas superiores a nós, e coisas que nós ainda não entendemos.


Diego César

Título: Existem espíritos?

Autor: Diego César (todos os textos)

Visitas: 0

609 

Comentários - Existem espíritos?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios