Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Arte > Arte da Europa do século XVIII ao século XX

Arte da Europa do século XVIII ao século XX

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Arte
Visitas: 16
Comentários: 2
Arte da Europa do século XVIII ao século XX

A arte francesa do século XVII e início do século XIX é marcada por personagens como Claude Monet, Vincent Van Gogh e Paul Gauguin.

A Mulher no jardim em Saint-Adresse, de Claude Monet, em 1866, mostra uma mulher, Jeanne-Marguerite Lecadre, de branco na solidão de um jardim banhado pela luz solar. A sua figura branca contrasta com o colorido da composição. O pequeno lago em Montgeron mostra um lago refletindo a sombra das árvores, com reflexos muito bonitos. Uma figura feminina surge detrás de uma árvore, e uma outra figura, quase diluída pela cor, está sentada. O Fardo de palha em Giverny é uma obra onde Monet retrata os campos em Giverny, onde viveu alguns anos da sua vida. Este é um tema vulgar usado pelo pintor para pintar as várias estações do ano, assim como o tempo.

Espectadores na arena, uma obra de Vincent Van Gogh, data do tempo em que viveu no sul de França com o seu amigo Paul Gauguin. A composição passa para o espectador a confusão de uma multidão inflamada. Conseguimos ver parte da arena (arena romana de Arles), o ponto de partida de Vincent Van Gogh para representar uma cena descoordenada. Como podemos ver, as figuras não estão individualizadas, pois o que interessa ao pintor é representar o conjunto de pessoas excitadas e loucas com a tourada. A tonalidade é quase monocromática, conforme vai diluindo as figuras no espaço. Meros traços pretos fazem as figuras sair da multidão. Esta falta de cor não é prática comum de Van Gogh, como podemos verificar na obra Duas mulheres em passeio num parque, onde vemos duas mulheres em destaque, definidas, a sair da composição. Atrás destas está uma outra mulher a apanhar as belas e coloridas flores. A obra Lilases, de 1889, é uma composição simples, onde só os lilases fazem parte. O movimento e a cor que o pintor dá à árvore, transformam um mero tema, numa composição interessante e cheia de vida.

Nave Nave Moe, de Paul Gauguin, foi uma obra pintada em Paris. É uma composição interessante com várias sugestões. O que passa ao espectador à primeira vista é todo o sensualismo envolvente.

Daniela Vicente

Título: Arte da Europa do século XVIII ao século XX

Autor: Daniela Vicente (todos os textos)

Visitas: 16

774 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • Davi Rodney

    23-11-2012 às 13:52:43

    Alguém sabe me dizer qual o nome do quadro em destaque, bem como seu pintor?

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãolehh

    22-11-2015 às 17:10:27

    a mulher no jardim_Vicent van gogh

    ¬ Responder

Comentários - Arte da Europa do século XVIII ao século XX

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

10 motivos para você fazer um cruzeiro

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Viagens
10 motivos para você fazer um cruzeiro\"Rua
Vai chegando o final do ano e começa a bater aquela vontade de viajar, de ir descansar longe da correria do dia-a-dia, sem se estressar, a dica é que não há nada mais prático e relaxante do que fazer um cruzeiro, sabe por quê?

1. Você pode contratar o serviço parcelado, em muitas agências de viagem; assim começa a pagar agora e provavelmente já estará mais da metade pago na ocasião da viagem;

2. Relaxar em lugar calmo, com todas as comodidades à bordo, garçons, camareiro, equipe de animação, entre outros;

3. Geralmente o pacote já vem com comida e bebida liberados, o que quer dizer que você se delicia e não se preocupa com quanto vai gastar e onde vai comer.

4. Como o navio atraca em vários portos, dá um tempinho para conhecer vários lugares bacanas e tirar muitas fotos nos pontos turísticos. Dependendo da parada, você até consegue alugar um kit de mergulho e dar uma olhada no fundo do mar.

5. A diversidade cultural costuma ser muita e você acaba conhecendo pessoas e costumes de outros países;

6. Para não ir achando que as horas à bordo do navio são entediantes, vale ressaltar que há inúmeras atividades fornecidas pela tripulação responsável, o que inclui brincadeiras, atividades físicas em grupo, dança, sorteios e muita música.

7. Para aqueles que apreciam jogos de azar, o navio tem um cassino que é um encanto mesmo para quem não joga.
8. Outra atração impressionante é a danceteria, aberta todas as noites, com músicas de variados estilos, e bebidas liberadas com o bar no mesmo ambiente;

9. Já se preferir lagartear ao sol dentro do navio costuma ter espaço para o banho de sol e com piscinas grandes e também jacúzis para você se sentir em um verdadeiro spa.

10. Não menos importante, os navios contam com um teatro que costuma impressionar os passageiros, com um elenco digno de grandes palcos, e histórias incríveis.


Então, se você ainda não teve essa incrível experiência, vale a pena se programar aí com a família, e aventurar no mar, colecionar um misto de emoções, lembrancinhas e milhares de fotos. Com certeza será uma experiência inesquecível e você vai acabar querendo fazer mais vezes!

Pesquisar mais textos:

Clarissa Reinoco Machado

Título:10 motivos para você fazer um cruzeiro

Autor:Clarissa Reinoco Machado(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios